Ceni afirma que seu único problema é idade, mas contém ombro operado

A definição da volta de Rogério Ceni neste domingo, contra o Flamengo, foi estabelecida em reunião no campo do CT da Barra Funda na manhã desta sexta-feira envolvendo membros da comissão técnica, o goleiro e também Denis, que perdeu a posição. Embora até Ney Franco admita que o astro não está 100%, o veterano diz que seu único problema são os 39 anos de idade. Mas é claro que o ombro direito operado ainda o limita em alguns movimentos.

O camisa 01 protege o local que passou por intervenção cirúrgica mesmo em gestos simples. Após dar sua entrevista coletiva, por exemplo, ao abraçar amigos, nem erguia o ombro direito, mantendo o braço na altura do peito. O mesmo ocorreu durante um aperto de mão no qual ele usou a mão esquerda como base abaixo do braço direito para limitar os movimentos da área da lesão. A preocupação com a contusão é tanta que sua entrevista foi feita de maneira mais rápida para ele continuar o tratamento no Reffis, que deve fazer parte permanente do seu cotidiano.

Ainda nesta semana, o ídolo da torcida se queixou de dores após os treinos. Mas Ney Franco, que alega ter conversado com o capitão diariamente sobre sua situação, fez votos para a volta do astro após a derrota para o Atlético-GO, na quarta-feira. “É lógico que neste momento quanto mais experientes, melhoro. Como o Rogério está à disposição, não há razão para não usá-lo”, argumentou o treinador.

Rubens Chiri/Site Oficial SPFC

Goleiro defende bola chutada pelo preparador Haroldo: Ceni protege ombro direito até em apertos de mão

E o jogador fez graça ao ouvir que o técnico disse que ele não está 100%. “Eu me sinto bem, faço os movimentos. Deve ser pela idade, não sei. Quando você fica mais velho, é natural que não tenha o mesmo vigor físico de um menino de 20 anos, em contrapartida, acrescenta experiência.”

 

Nos treinos, dá para se notar que os movimentos ainda não estão completos. “Eu me sinto completamente bem, com todos os exames feitos, forças nas pernas, bem equilibrado. Estou no mesmo nível e na média dos demais atletas, isso é o mais importante. Sinto tranquilidade, estou bem para voltar”, insistiu Rogério Ceni.

Durante os seis meses de recuperação, o goleiro teve que ser contido muitas vezes principalmente por Haroldo Lamounier, preparador da posição – o jogador havia contado a amigos que já queria estar em campo em 15 de julho, contra o Palmeiras, na estreia de Ney Franco. Por isso, nenhuma limitação ou dor deve atrapalhá-lo neste domingo.

“Agradeço a todos os profissionais que me fizeram seis meses depois, com 39 anos idade, não desanimar para jogar”, disse Ceni, citando o nome e a função de cada um dos responsáveis por seu tratamento.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*