Cássio x Volpi: o duelo particular dos goleiros na final do Paulista

O Majestoso valendo a taça do Campeonato Paulista irá colocar em lados opostos dois goleiros que chegam como heróis para a grande final. Após o empate sem gols no jogo de ida, no Morumbi, o corintiano Cássio e o são-paulino Tiago Volpi voltam a travar um duelo particular neste domingo, às 16 horas (de Brasília), em Itaquera.

Não fossem as atuações decisivas de ambos nas semifinais, talvez outro clássico definisse o campeão estadual de 2019. Enquanto Cássio cansou de fazer defesas importantes contra o Santos, no Pacaembu, Volpi foi o principal responsável pela eliminação do Palmeiras, no Allianz Parque.

Mais experiente e já com um posto assegurado entre os grandes ídolos da história alvinegra, Cássio chega ao embate com muito menos em jogo com relação ao adversário. Suas buscas pessoais são por estender a hegemonia estadual para um tricampeonato e coroar uma grande campanha no mata-mata do Paulista.

Decisivo nas disputas de pênalti contra Ferroviária, nas quartas, e Santos, na semifinal, o camisa 12 já teve outra boa experiência ao ser decisivo no empate por 1 a 1 com o Racing-ARG, pela Copa Sul-Americana, outra classificação em disputas de penalidades na temporada.

Ao todo, são 17 cobranças defendidas com a camisa do Alvinegro, somadas a quatro com a camisa do Sparta Rotterdam, totalizando 21 como profissional. Antes, o camisa 12 já havia dado uma amostra do sucesso que poderia ter ao defender um penal batido por Cavani, no Sul-Americano sub-20 de 2007, no Paraguai.

Diferentemente de Cássio, ídolo incontestável do Corinthians, Tiago Volpi começa agora a escrever sua história no São Paulo. Em 20 partidas pelo clube, o goleiro já foi do questionamento à glória.

Após um início de temporada difícil, em que foi acusado de falhar em lances de gol, o camisa 23 conseguiu se recuperar a tempo de não cair em perseguição por parte da torcida. O ponto na mudança de rumo se deu nas semifinais contra o Palmeiras.

Após dois empates por 0 a 0, Volpi foi o principal personagem na disputa por pênaltis. Embora sua cobrança tenha parado em Fernando Prass, as defesas nas batidas de Ricardo Goulart e Zé Rafael o tornaram herói da classificação tricolor no Allianz Parque.

Com um total de 28 pênaltis defendidos na carreira, Tiago Volpi se dispõe a voltar à marca da cal em caso de necessidade na segunda final. A expectativa, no entanto, é de vitória no tempo normal.

“Sempre vou estar disponível. Não é porque errei uma cobrança, que iria me esconder neste momento. Mas temos que pensar em ganhar o jogo e não em procurar se defender para levar o jogo para os pênaltis”, projetou o arqueiro tricolor.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.