Caso Maidana tem suposto envolvimento do PCC citado em depoimento

Um dos trechos mais escabrosos da investigação do Ministério Público sobre supostas irregularidades no São Paulo levanta a suspeita de envolvimento do PCC na compra de Iago Maidana.

A denúncia foi feita por Newton Luiz Ferreira, o Newton do Chapéu, ex-candidato à presidência são-paulina. Ele afirma ter participado de conversa por viva voz entre um dos agentes envolvidos no negócio e um sócio do clube. Durante a ligação, segundo seu relato, o empresário declarou que o dinheiro usado pelo Monte Cristo na compra do jogador junto ao Criciúma veio da facção criminosa Primeiro Comando da Capital.

O sócio citado, Guaraci Sampaio Araújo, ex-assessor do departamento de esporte amadores, porém, afirmou em seu depoimento não lembrar de ter ouvido o empresário Edvaldo Pires fazer a afirmação sobre a verba do PCC. Ao blog, a direção do time goiano negou uso de dinheiro ilícito na compra do atleta. Maidana foi repassado em seguida à equipe do Morumbi por R$ 1,6 milhão a mais do que a quantia investida na aquisição.

Mas a negativa não encerrou o assunto para o MP. A suspeita aguçou o faro dos promotores. “Nós temos meios para saber se foi usado dinheiro com origem criminosa na compra do Maidana e estamos investigando. Nossa prioridade é saber se houve lavagem de dinheiro, até para podemos ajudar na criação de medidas de combate à essa prática no futebol”, disse ao Arthur Pinto de Lemos Júnior, do GEDEC (Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos).

Em seu depoimento ao MP, Guaraci contou que conheceu Edvaldo ao fazer uma corrida para ele até o hotel Ibis. Ao ouvir o empresário falar sobre a negociação de Maidana, explicou que era sócio do São Paulo e queria saber o que tinha acontecido. Declarou ter ouvido que como o Criciúma estava criando dificuldades para vender o jogador para o clube paulista, o empresário, representando a Itaquerão Soccer, se ofereceu para viabilizar a negociação.

Guaraci conta que a partir daí ficou amigo de Edvaldo, que pedia indicações de garotos do departamento social do São Paulo que jogassem futebol. Contudo, ele afirma não se lembrar de o empresário ter dito que foi usado dinheiro do PCC na compra de Maidana. Ele teria conversado com Edvaldo por telefone no escritório de Newton, para quem teria contado sobre o caso.

No trecho sobre o depoimento de Guaraci está registrado que o suposto uso de dinheiro da facção criminosa chegou ao conhecimento de pelo menos mais um conselheiro do São Paulo. José Francisco Cirino Manssur, hoje vice-presidente de comunicação e marketing, soube da denúncia no ano passado, e fez uma acareação entre Guaraci e Newton, mas o sócio negou ter dito que o dinheiro era do PCC.

Ao blog, Manssur confirmou que juntou Guaraci e Newton num jogo do São Paulo para fazer a acareação. Ele ratificou que o taxista negou ter ouvido sobre dinheiro do PCC na compra de Maidana, e que Newton não gostou da resposta.

Procurado, Moises Luis do Nascimento, diretor de futebol do Monte Cristo e que já ocupava o cargo quando Maidana foi comprado, em 2015, atestou a origem lícita do dinheiro.

“Não estão reconhecendo o trabalho sério que estamos fazendo aqui. Claro que não tem dinheiro de facção criminosa na negociação. A Itaquerão Soccer fez o empréstimo para podermos comprar o jogador. Eles até deram um caminhão como garantia para levantar o dinheiro”, declarou Nascimento.

Segundo ele, Maidana custou R$ 400 mil ao Monte Cristo. De acordo coma investigação do MP, dias depois de sua contratação, o clube vendeu o atleta para o São Paulo por R$ 2 milhões.

Como mostrou o blog nesta sexta, Maidana disse ao MP que primeiro acertou sua transferência para a equipe tricolor. Depois, assinou a rescisão com o Criciúma e um contrato com o Monte Cristo, clube no qual admitiu nunca ter pisado.

Outro que negou ter sido usado dinheiro do PCC na operação foi Wilton Martins de Oliveira, um dos donos da Itaquerão Distribuidora, que segundo ele empresou R$ 400 mil para a Itaquerão Soccer na operação Maidana.

“Não sei quem falou em PCC, mas vou processar quem disse isso para o Ministério Público. Pode vir aqui e ver todos documentos, tenho o comprovante de que fizemos três empréstimos para levantar os R$ 400 mil. Como a Itaquerão Soccer estava começando, não tinha dinheiro. Então, quem emprestou para o Monte Cristo foi a distribuidora de bebidas”, disse Oliveira, que afirmou também atuar na Itaquerão Soccer.

No procedimento aberto pelo MP, estão anexadas fotos que mostram mercadorias no endereço da Itaquerão Soccer. Segundo a investigação, isso dá a entender que ela é uma extensão da vizinha Itaquerão Distribuidora.

 

Fonte: Blog do Perrone Uol

 

Nota do PP: apesar de termos denunciado todas as irregularidades, cada vez me surpreendo mais até onde as coisas chegaram. Eu não imaginava tanto.

19 comentários em “Caso Maidana tem suposto envolvimento do PCC citado em depoimento

  1. Caro Paulo Pontes, obrigado por seus esclarecimentos, mas o que vejo aqui de fora é que o número de sócios com a sua disposição, dedicação e amor ao clube é cada vez menor, fazendo com que se torne difícil qualquer mudança. Principalmente porque a forma de conduzir as coisas da administração JJ fez escola, e agrava ainda mais o caminho, torna mais complicado encontrar aliados, cria um grande número de grupos cada um buscando seus interesses. Como torcedores e consumidores pouco podemos fazer, nos restaria talvez uma ação coletiva, que nem sei se caberia, mas qualquer coisa que fizermos poderá agravar ainda mais o quadro, pois pode prejudicar diretamente o futebol, por isso menciono sempre os sócios tentando conclama-los ou mexer com seus brios a encetar um movimento como o mencionado por você.
    Mais uma vez agradeço pelo seu empenho e por nos possibilitar este espaço democrático para externarmos nossas opiniões.
    Abraço tricolor.

  2. E tem mais Paulo, vários conselheiros sabiam pq eu levei isso a eles, tomei o cuidado de levar ao conhecimento de vários partidos, legião, legenda, sempre tricolor e oposição .e sei q vc tem amigos pode confirmar isso.

  3. Agora engraçado é ninguém entrar em contato comigo, será q o interesse é só de um lado? Estou extremamente chateado em ver meu nome exposto dessa forma e não dar minha versão. E quanto a da justiça vou procurar o que direito.

  4. E Paulo o Perrone fala o termo lembrar, o promotor me pergunta se eu lembro de ter ouvido eu afirmo; que não, nunca ouvi, e estive 3x com os representantes do itaquerao sendo q vc pode confirmar com o pessoal do globo ponto. Com Marcelo hussan q esteve comigo e eles, pois a intenção era tornar toda a transação pública. Por favor confirme com o Marcelo hussan!!

  5. Paulo, o Perrone não descreve na ordem minha oitiva no MP, ele pega partes e põe na ordem o que ele quer, se vc quiser eu mostro na íntegra meu depoimento, q aliás eu me ofereci a depôr e fui sem advogado, estou a sua disposição para fazer um jornalismo sério ouvir as partes, e para quem quiser ler procure essa matéria no uol, estranhamente saiu.

  6. Fica cada vez mais claro por que o CT Cotia não fornece jogadores para o profissional na quantidade e qualidade que deveria e por que dispensam todos que tem uma visão de no futuro a base ser o celeiro do profissional. Vide projeto de Renê Simões.
    Papais (sócios) e empresários, negociando preparar seus pupilos para o futuro, logicamente com contratos em euros ou dólar.
    Herança JJ, aquela que conseguiu destruir a melhor estrutura do futebol brasileiro.
    Parabéns ao quadro associativo o único que detém o poder de mudar as coisas e mudaram.

    • Fernandes, vou responder a você na qualidade de sócio, não de jornalista ou torcedor: engana-se quem pensa que o sócio pode mudar alguma coisa. O regime é presidencialista, e num estatuto onde, de 240 conselheiros, 160 são vitalícios (indicação do presidente e aprovação do Conselho para novos nomes), e dos 80 eleitos, 40 ou 50 são os de mais antiguidade no clube (número menor da carteirinha), não há muito o que fazer. Só uma mudança estatutária, com forte modernização e adequação aos interesses dos são-paulinos é que poderá começar a mudar essa situação. E eu, particularmente, estou disposto a puxar essa briga lá dentro, sem, no entanto, admitir me candidatar a qualquer cargo.

  7. poulo pontes , vê se essa informação e realmente verdadeira ,caso isso seja verdade nos torcedores temos que tomar um providencia urgente .

    vamos a justiça para tira todos do soberano .

    ontem o movimento tolerância zero foi a paulista mostra para os coxinhas e mortadela como deve ser os protestos de quem está preocupado com o futuro do brasil . fora PT PSDB,PMDB

    pra sempre soberano

    • Conheço o Perrone e ele merece toda a credibilidade. Aliás, tem ótimas fontes e conseguiu uma no Ministério Público. Daí as informações serem divulgadas. Se vocês lembrarem, tudo o que está sendo apurado é fruto de denúncia do Tricolornaweb. Mas, é claro, com o andar das investigações, novos fatos vão aparecendo. Portanto, é pura verdade.

  8. Cada vez eu me surpreendo mais com o nível rés do chão das pessoas que usam a instituição SPFC como um balcão de negócios! Esse não é o SPFC que aprendi a admirar ainda menino!

  9. Paulo frequentou seu site a muito tempo e sempre participei com postagens sobre diversos assuntos, onde vc viu ou ouviu eu negociando jogadores??? Na matéria o blog reproduz a minha oitiva, onde eu taxista fiz uma corrida do portão 5 até o ibis paraíso onde o passageiro perguntou pq eu tinha saído de dentro do clube, se tinha ponto lá e assim eu falei que era sócio, e ele se apresentou como empresário onde eu tive interesse em apresentar meu filho e alguns meninos do social.
    A corrida foi chamada pelo 99e está registrada, e aliás eles estavam participando de uma reunião no São Paulo.
    Vc tem amigos q tem o meu ce
    L

  10. Este é o legado JJ, não bastasse incompetência, conchavos, negociatas, agora esta suspeita de negócios financiados por facção criminosa. Não é a toa que não se tem um patrocínio master a muito tempo, quem em sã consciência investe em um ambiente destes. Dentro de campo é o simples reflexo de toda esta forma de conduzir as coisas do clube, jogadores sendo negociados por um taxista (sócio do clube), namoradas de ex-presidente, que me permite imaginar que tipo de negócios podem sair de situações como estas.
    Cada vez fica mais claro o tipo de pessoas que elegem o conselho, que por sua vez mantem na direção o grupo de asseclas do JJ, o destruidor da estrutura que um dia foi modelo no futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*