Campeões mundiais projetam 2019 e pedem time mais competitivo

Após terminar o primeiro turno na liderança do Brasileiro, o São Paulo caiu de desempenho e, agora, briga por uma vaga direta na Libertadores de 2019. Para ídolos do clube, que ajudaram o Tricolor a levantar títulos na década de 1990, incluindo Libertadores e Mundial, 2018 é um ano positivo para o clube pela evolução. Mas faltam alguns ajustes para voltar a pensar em títulos.

Zagueiro Ronaldão participa de jogo de Masters — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

Zagueiro Ronaldão participa de jogo de Masters — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

Em São José dos Campos para um jogo festivo, Ronaldão, Muller e Vitor avaliam que se classificar para a Libertadores é uma obrigação para que o Tricolor volte a sonhar com troféus. Para Ronaldão, que faturou as duas Libertadores e os dois Mundiais de 92 e 93, faltaram peças neste ano para Diego Aguirre manter o nível do time. A prioridade em 2019 precisa ser um elenco mais forte.

– Em relação ao ano passado, foi proveitoso. Mas o time precisa manter uma regularidade e classificar, no mínimo, para a Libertadores. Falta montar um time mais competitivo. Há outras equipes no Brasil que estão à frente do São Paulo e, em um campeonato equilibrado como esse, faz a diferença – disse o zagueiro.

Masters São Paulo São José dos Campos Muller, Gustavo Nery, Vitor, Ronaldão e Pavão — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

Masters São Paulo São José dos Campos Muller, Gustavo Nery, Vitor, Ronaldão e Pavão — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

O lateral Vitor, que brigava por posição com Cafú no início da década e foi titular no jogo contra o Barcelona em 1992, sentiu falta de um elenco. Segundo ele, o Tricolor tinha um time titular bom. Mas quando as principais peças sentiam o cansaço de uma longa temporada, não havia reposição.

– Primeiramente, a gente não passa mais vergonha. A entrada do Ricardo Rocha e do Lugano, chegada do Aguirre também. Claro que não tínhamos ainda um elenco. São Paulo costuma ganhar títulos com um elenco. São Paulo tinha um bom time. Mas quando os jogadores principais machucavam, o time deixava a desejar. Precisa reforçar. Se tiver um elenco forte, retoma os títulos – disse o ex-lateral, que faturou três Libertadores na carreira. Uma pelo São Paulo e outras duas por Vasco e Cruzeiro.

Autor do histórico gol de calcanhar contra o Milan na decisão do Mundial de 1993, Muller cobra um técnico vencedor. Ele acredita que Jardine é um bom treinador para esta reta final de ano. Mas um novo nome deve ser anunciado visando 2019.

Atacante Muller no jogo festivo no interior de São Paulo — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

Atacante Muller no jogo festivo no interior de São Paulo — Foto: Filipe Rodrigues/GloboEsporte.com

– Para mim, o Aguirre não era treinador para o São Paulo. Nesse momento, o Jardine é o nome forte. Mas não vejo ele para o ano que vem. A não ser que ele permaneça para 2019 para promover a base. Tem uma garotada muito boa. Acredito que o São Paulo deva contratar um treinador mais experiente para o ano que vem – disse.

O atacante também reforça as críticas de Ronaldão e Vitor com relação ao elenco. Somado a isso, ele também vê um mau uso da base. Segundo ele, os jovens jogadores têm sido usados apenas em casos de necessidade do plantel e não com um trabalho de transição.

– Time grande como o São Paulo tem que contratar jogadores do nível do clube. Nosso futebol está bem nivelado por baixo, tecnicamente falando. O São Paulo pode contratar melhor. Principalmente para o Campeonato Brasileiro. São Paulo não merece isso. São Paulo quase não revelou. O jogador que é revelado precisa de uma referência positiva para crescer, um jogador experiente que dê sustentação. Então é isso, São Paulo precisa contratar melhor e dar espaço para a base. Se eu fosse o presidente, iria impor que o novo treinador use um número mínimo de atletas da base. O Aguirre só usava em caso de necessidade, não para dar oportunidade – afirmou.

Em quinto lugar no Brasileirão, o São Paulo tem 59 pontos, empatado com o Grêmio, quarto colocado. Os quatro primeiros se classificam direta para a Libertadores, enquanto o quinto e o sexto colocado disputam a pré-Libertadores.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*