Burocracia adia a estreia de Denílson e jogador não viaja com o São Paulo

O atacante Denílson assinou contrato com o São Paulo na última sexta-feira, mas ainda não está liberado para vestir a camisa tricolor. O jogador, que pertence ao Granada (ESP) e estava emprestado ao Avaí até o fim o ano, ainda não foi regularizado pela CBF devido à burocracia que envolve uma transferência internacional. Portando, ele não estará à disposição de Rogério Ceni para o jogo com o Sport, nesta quarta-feira, na Ilha do Retiro, válido pela sétima rodada do Brasileiro.

Denílson sequer viajará com o restante do elenco para Recife. A expectativa é que ele seja liberado nos próximos dias. Apesar de a saída do Avaí ter sido motivada pelo descontentamento do jogador com a reserva, o diretor de futebol Joceli dos Santos garante que, pelo menos no Avaí, toda a papelada está em dia, já que a multa rescisória foi paga e o atleta está liberado. Agora, resta ao clube espanhol cumprir o protocolo para que ele seja regularizado na CBF.

O atacante de 21 anos chegou ao São Paulo na quinta-feira, quando realizou exames médicos, conheceu o CT da Barra Funda e foi ao Morumbi acompanhar o triunfo de 2 a 0 sobre o Vitória. Mas sua filha nasceu enquanto ele viajava e, por isso, ele acabou liberado para voltar a Santa Catarina.

Revelado pelo Fluminense, onde acumulou título nas categorias de base, Denílson foi negociado em 2015 com o Granada e atuou no time B do clube espanhol por duas temporadas, período em que marcou dez gols em 38 jogos. No ano passado, foi emprestado ao Neftchi, do Azerbaijão – fez um gol em nove partidas – e chegou ao Avaí no início do ano. Com a camisa do clube catarinense, ele balançou a rede oito vezes em 21 jogos disputados.

O garoto foi emprestado até o fim do ano e chega com valor de compra fixado em contrato e não revelado pelo São Paulo. O Granada espera receber cerca de 2 milhões de euros (mais de R$ 7 milhões) para liberar o jogador em definitivo.

 

Fonte: Lance

5 comentários em “Burocracia adia a estreia de Denílson e jogador não viaja com o São Paulo

  1. Eu também acho que devemos colocar jogadores da base neste momento, mas com uma ressalva, desde que tenham condições físicas de jogar no futebol profissionalmente.
    No caso de Marquinhos Cipriano é uma temeridade já colocar o rapaz para jogar, nem sua compleição física está pronta para suportar o vigor do futebol profissional.

    É um jogador altamente técnico, mas tão franzino quanto era Zico nos juvenis do Flamengo, e precisa passar pelo mesmo processo de fortalecimento adotado para o Galinho de Quintino.

  2. Ficam contratando qualquer m…, e não põem pra jogar os mesmos garotos que times da Europa vivem assediando – tipo o Cipriano. Não dá para entender o que se passa na administração são-paulina! Ou melhor, talvez dê sim, se considerarmos que compras e vendas podem render “algum por fora” para alguns!!!!

  3. Aos leitores que tiverem tempo hábil, olhem o Twitter do Avaí. No post em que anunciaram a saída deste jogador, torcedores comemoraram a saída.

    Só espero que ele não seja o que os torcedores citaram…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*