Bauza repete no São Paulo economia de gols por LDU e San Lorenzo

Edgardo Bauza identificou na falta de chances claras de gol o maior problema do São Paulo na derrota por 1 a 0 para o The Strongest, quarta-feira, pela Libertadores. A escassez de bolas na rede é justamente uma das características das equipes dos últimos três anos do argentino, conhecido por formar times com solidez defensivas. Os exemplos recentes são a LDU em 2013 e o San Lorenzo de 2015 e 2014.

Nos primeiros sete jogos do ano, o Tricolor marcou oito gols: média de 1,14 por partida. O time ficou zerado diante dos bolivianos e contra o Corinthians (revés por 2 a 0), pelo Paulistão.

E, dos oito gols, quatro foram marcados num mesmo jogo: contra o Água Santa.

O desempenho ofensivo nos sete primeiros jogos é parecido nas últimas temporadas. Em 2015, o San Lorenzo fez nove gols no mesmo período (média de 1,28). Antes, em 2014, marcou cinco vezes (média de 0,71), ano em que foi campeão da Taça Libertadores e se classificou com a segunda pior campanha na fase de grupos: oito pontos.

OITO GOLS EM SETE JOGOS

C. Porteño 0 x 1 São Paulo
RB Brasil 1 x 1 São Paulo
C. Vallejo 1 x 1 São Paulo
São Paulo 4 x 0 Água Santa
São Paulo 1 x 0 C. Vallejo
Corinthians 2 x 0 São Paulo
São Paulo 0 x 1 The Strongest

A temporada de 2013, último ano da segunda passagem pela LDU, de Quito, mostrou a mesma média baixa de gols da equipe de Patón: cinco gols nos primeiros sete jogos (novamente média de 0,71).

Em busca de uma solução para aumentar o número de gols, Bauza praticamente descartou usar Alan Kardec e Calleri juntos no ataque. A opção foi apenas circunstancial para o segundo tempo da derrota para o The Strongest.

Neste domingo, contra o Rio Claro, no Pacaembu, o São Paulo de Bauza terá nova chance para melhorar o desempenho. O jogo deve marcar a reestreia de Diego Lugano.

 

Fonte: Globo Esporte

8 comentários em “Bauza repete no São Paulo economia de gols por LDU e San Lorenzo

  1. Problema que faz poucos gols e não tem ganho as partidas , em 6 partidas oficiais vencemos apenas 2 , e uma na bacia das almas contra o Cesar Vallejo.

    Aliás se o time do Cesar Vallejo fosse pouco mais qualificado teria passado pelo São Paulo na pré Libertadores.

    Sei que é cedo pra julgar o Bauza , mais ele não disse a que veio ainda e tem teimado além da conta com Centurion.

  2. Convenhamos, fazer 4 no Água o que?, time super tradicional e competente, não expressa nenhum mérito… Eu quero é enfiar 4 num dos grandes… o River Plate por exemplo, no próximo jogo da Libertadores.

  3. Se o São Paulo não passar da fase de grupos na Libertadores e for mal no Paulista , Bauza não chega ao Campeonato Brasileiro como técnico do São Paulo.

  4. So tem um detalhe, fazia poucos gols, mas nao sofria gols, o mesmo caso das galinhas quando foram campeoes invictos da libertadores, ganhava com placar magro ou empatava, e foi assim.
    Se o Bauza nao arrumar a defesa e os volantes para proteger a zaga ele nao fara sucesso e sera mais um treinador a passar por aqui e nao conseguir nada.

  5. Todos sabíamos do esquema que ele tentaria implementar no São Paulo, o mesmo das frangas, defesa sólida e fazer um gol para ganhar de 1×0. As frangas só tomaram sufoco esse ano, mas ganharam todas de um gol de diferença, com exceção da entregada do Lucão. Agora o que não dá é ficar escutando a imprensa falando um bocado de asneira e acreditar em tudo. O jogo de domingo foi muito igual e poderíamos ter ganhado se não fosse a entregada do Lucão. Vamos ter um pouco de paciência, também estou muito frustrado e puto com esses dois últimos jogos. Vamos apoiar pelo menos uns três meses para ver o que teremos…

  6. E tem mais, se o SPFC não conseguir se passar na primeira fase da Libertadores por que vamos precisar de um técnico retranqueiro?

    Bauza foi contratado para mudar a filosofia de trabalho e propor uma renovação, mas manter jogadores deficientes como titulares e um padrão tático confuso que se defende mal e não faz gols, não é isso que o torcedor espera !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*