Bauza não vê conservadorismo com 3 volantes e mantém Ganso em dúvida

O técnico Edgardo Bauza negou nessa quarta-feira que esteja usando um conservadorismo defensivo ao aplicar um esquema tático com três volantes no São Paulo. A formação com Hudson, Thiago Mendes e Wesley foi testada pelo treinador no último treino antes da viagem para a Bolívia, onde o Tricolor decidirá a classificação às oitavas de final da Libertadores com o Strongest, às 21h45 (de Brasília) dessa quinta-feira.

Antes de tomar o avião no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, o Patón conversou com jornalistas e justificou os motivos que o levaram a adotar uma mentalidade defensiva. As mudanças ocorreram após a equipe ser eliminada do Campeonato Paulista ao sofrer uma goleada por 4 a 1 para o Grêmio Osasco Audax, no domingo. A partida com o Strongest será disputada nos 3.600m de altitude da capital boliviana de La Paz.

“Não é [um esquema] defensivo. Ele servirá para aproveitar a metade do campo e segurar a bola”, disse Bauza, ao ser indagado sobre o uso dos três volantes. “Nós temos que jogar uma partida inteligente. Não podemos jogar no mesmo ritmo que o Strongest. Para isso, precisamos prender a bola e atuar da forma que temos trabalhado. Creio que faremos uma boa partida”.

O treinador manteve em dúvida a escalação do meia Paulo Henrique Ganso como titular. O jogador começou entre os reservas no treino de terça-feira, alternando posições com Michel Bastos e Kelvin. “Vamos ver”, despistou Bauza, que optou por não fazer o reconhecimento do estádio Hernando Siles.

A comissão técnica do argentino entende que uma estadia curta em La Paz é o artifício mais eficaz devido ao pouco tempo de preparação disponível. O time viaja nessa quarta-feira para Santa Cruz de la Sierra e só chegará à capital boliviana no dia do jogo. “Vamos ter que estar preparados para seguir adiante”, disse Bauza.

Com oito pontos, o São Paulo ocupa a vice-liderança do Grupo 1 da Libertadores. A equipe comandada pelo Patón precisa de apenas um empate para terminar na frente do Strongest e avançar às oitavas de final. Uma derrota eliminará o Tricolor do torneio continental.

7 comentários em “Bauza não vê conservadorismo com 3 volantes e mantém Ganso em dúvida

  1. Tirar o Ganso para colocar o Wesley é jogar pedra na cruz. Não tem desculpa.
    Em sua coluna de hoje na Folha, Tostão escreveu sobre jogar na altitude. Sua receita é toques curtos e time compactado.
    Dividindo o trabalho entre planejamento e execução, acho que Bauza pensa certo em usar três volantes. Mas executará errado porque Wesley não presta para isso.
    Além do mais, o time caiu de produção em todas as ocasiões em que Bauza tomou a decisão de jogar com três volantes.
    O jogo na altitude já é por si só complicado. Mas colocar Wesley piora demais a situação.

  2. O trenador que tira único craque que o eqipe tem , tem que ser internado, non manicômio . Provavelmente manifestação precoce do Alzheimer no caso nosso.

  3. vou repetir de novo : esse nao é um jogo comum é uma questão de honra tem que ganhar de todo jeito dessas bolivianas , se perde sera a maior vergonha da historia do soberano os jogadores nao terão valor algum .

    sem essa papo de difícil é ganhar e ganhar e pronto tem que ter vergonha na cara

    chegou a hora de dar a resposta para essas bolivianas

    colocar o video no vestiário bauza para amimar os jogadores

    pra sempre soberano

  4. Alguém poderia me informar qual o mérito adquirido pelo Wesley em 2016 para ser escalado ou até de pensar em ser escalado para este jogo, é o fim da picada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*