Bauza banca decisões e tem papel decisivo na reação do São Paulo

O São Paulo tem dado seguidos sinais de reação, após alguns tropeços na temporada. O mais contundente deles: a goleada por 4 a 0 sobre o Toluca, do México, na última quinta, no Morumbi, pelas oitavas de final da Libertadores. Essa melhora é um prêmio para o técnico Edgardo Bauza.

Mesmo lidando com críticas, o argentino jamais abriu mão de suas convicções. Comanda a equipe com mãos de ferro, faz exatamente o que quer, mesmo que para isso provoque alguma polêmica para quem está do lado de fora. Com quatro meses de casa, já é possível dizer que ele tem o time nas mãos.

Bauza não titubeou na hora de barrar Lugano, ídolo da torcida, em seu retorno ao Morumbi. Uma semana depois, colocou Ganso e na reserva contra o Strongest, em La Paz, em jogo decisivo pela Libertadores. Além disso, constantemente ele aposta em jogadores que são muito criticados pela torcida – casos de Centurión e Michel Bastos. No fim, tudo vem dando certo para o treinador e para a equipe.

– Já sabemos o modo de trabalhar dele. Certas coisas a gente já sabe como vão acontecer, isso facilita. Muitas vezes, ele não precisa nem falar que o jogador já se propõe a fazer dentro de campo – elogiou Michel Bastos, falando sobre a sintonia entre os jogadores e o treinador.

O zagueiro Maicon seguiu pela mesma linha de raciocínio do companheiro.

– Ele (Patón) é um cara muito experiente, já foi campeão da Libertadores. Em La Paz, percebeu que era melhor começar com o Wesley e que o Ganso poderia ajudar no segundo tempo. Foi o que aconteceu. O Lugano é um jogador brilhante, todo mundo esperou que ele fosse jogar, mas o Patón sabe o que faz. A torcida tem de confiar no treinador porque o melhor ainda está por vir – ressaltou o defensor.

Abaixo, o GloboEsporte.com mostra o que Patón já fez desde que chegou ao clube do Morumbi.

LUGANO NO BANCO

Lugano São Paulo (Foto: Marcelo Hazan)Lugano foi barrado por Bauza para a partida contra o River Plate, no Morumbi (Foto: Marcelo Hazan)

São Paulo e River Plate se enfrentaram no dia 13 de abril no Morumbi. Na véspera da partida, a ansiedade da torcida era pela reestreia do zagueiro uruguaio na casa são-paulina. Seu último jogo havia sido em 2006. Mas Patón preferiu apostar suas fichas em Rodrigo Caio como companheiro de Maicon. Lugano não esperava essa decisão, mas não reclamou. Dentro de campo, a aposta se mostrou certa, e a equipe venceu o River por 2 a 1. No jogo seguinte, diante do Audax, pelo Campeonato Paulista, Lugano jogou e teve péssima atuação na goleada sofrida por 4 a 1. Atualmente, ele se recupera de um estiramento na coxa direita.

GANSO BARRADO NA BOLÍVIA

Paulo Henrique Ganso contra o The Strongest Libertadores (Foto: Marcelo Hazan)Paulo Henrique Ganso só entrou no segundo tempo contra o The Strongest (Foto: Marcelo Hazan)

Após ganhar dos argentinos, o São Paulo foi decidir sua vida na Libertadores jogando em La Paz contra o The Strongest, enfrentando também a altitude de 3.600m. Patón planejou colocar um time mais compacto no meio-campo, priorizando o setor de marcação. Para isso, surpreendeu ao colocar Paulo Henrique Ganso no banco de reservas. Ele foi muito criticado nas redes sociais por isso e também por escalar Wesley, um dos jogadores mais vaiados pela torcida normalmente. A estratégia funcionou perfeitamente. Wesley foi um dos destaques em campo, Ganso entrou no segundo tempo, se destacou, a equipe arrancou um heroico empate por 1 a 1 e garantiu a classificação às oitavas de final da competição sul-americana.

APOSTA EM MICHEL BASTOS

Edgardo Bauza Michel Bastos São Paulo (Foto: Erico Leonan / Site oficial do São Paulo FC)Edgardo Bauza bancou Michel Bastos no time titular do São Paulo (Foto: Erico Leonan / Site oficial do São Paulo FC)

A relação de Michel Bastos com a torcida do São Paulo chegou quase ao divórcio no mês passado. O torcedor cobrava mais comprometimento do camisa 7 que, em suas entrevistas, deixava no ar que poderia pedir para ser negociado. Patón não quis saber dessa polêmica. Jogo após jogo, manteve o jogador entre os titulares.

– Ele vai continuar como está. Dentro do que eu penso para a equipe, ele é a melhor opção que temos – afirmou o treinador argentino.

CENTURIÓN PRESTIGIADO

 Ano novo, vida nova. Desde que chegou ao São Paulo em janeiro, Patón mostrou um carinho especial pelo atacante argentino. Ele começou como titular no início do ano e, mesmo com apresentações fracas, seguiu prestigiado. Quando foi barrado, não demorou para recuperar espaço. No jogo contra o Toluca, quando Alan Kardec mostrou que não estava 100% recuperado da virose sofrida no dia anterior, o treinador não teve dúvidas em apostar no camisa 20, que foi um dos protagonistas da goleada por 4 a 0 ao marcar dois gols (assista ao vídeo). Vale lembrar que Centurión jogou com liberdade total de movimentação e isso foi fundamental para a sua bela atuação.

DENIS TITULAR APESAR DAS VAIAS

Denis São Paulo (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net )Apesar das críticas da torcida, Denis será o titular na partida contra o Toluca (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net )

Nenhum jogador da equipe é tão criticado pela torcida atualmente quanto o goleiro e capitão Denis, que cometeu falhas em suas últimas partidas. Diante do Toluca, ele cumpriu suspensão pela expulsão ocorrida diante do The Strongest e foi substituído por Renan Ribeiro. Mas o treinador já avisou: na partida de volta, no México, Denis estará de volta.

fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Bauza banca decisões e tem papel decisivo na reação do São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.