Autuori diz que não espera decisão da Justiça: ‘Trabalho com o jogo’

O técnico Paulo Autuori voltou a fazer críticas à organização do futebol brasileiro. Nesta terça-feira, o Sindicato dos Atletas Profissionais de São Paulo e a Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) entraram com uma ação na Justiça do Trabalho para mudar a data da partida do Tricolor contra o Criciúma, marcada para quinta-feira, às 21h, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. A alegação é de que o Tricolor não poderia fazer duas partidas num intervalo inferior a 66 horas, mínimo previsto no regulamento da CBF – a equipe encarou o Náutico em Recife, na noite desta terça, e venceu por 1 a 0.

O treinador preferiu não se posicionar sobre se é contra ou a favor da medida, mas lembrou que ela poderia ter sido tomada há duas semanas, quando a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou a remarcação das partidas. Ele assegurou que não vai aguardar a decisão e que seguirá treinando normalmente a equipe.

– Nós nunca estamos no caminho. Estamos fazendo coisas em cima da hora. Como vamos trabalhar se a 48h do jogo não sabemos se vai ter? Vou trabalhar com o jogo. Por isso, o futebol brasileiro não é o melhor. Tem os melhores jogadores, grandes profissionais, mas está vulgarizado. Toda hora se joga – afirmou.

Paulo Autuori (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Paulo Autuori, no jogo do São Paulo contra o Náutico (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

A alegação é de que o Tricolor não poderia fazer duas partidas num intervalo inferior a 66 horas, mínimo previsto no regulamento da CBF – a equipe encarou o Náutico em Recife, na noite desta terça. A decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas, onde o processo foi protocolado, deve ser divulgada nesta quarta-feira. A ação cita também os atletas da Ponte Preta, Náutico, Atlético-MG, Santos e Internacional, que também passarão por maratonas semelhantes.

– Quando Raí, Paulo André, Rogério Ceni, Alex, Juninho Pernambucano, Zé Roberto e mesmo Seedorf falam, as pessoas que estão lá em cima tem de ser humildes para escutar. Está na hora daqueles que cuidam do futebol escutarem quem trabalha com futebol. É desumano, mas não é de hoje ou de ontem. É desumano desde que foi marcado. No Brasil, as coisas são feitas para não acontecerem. Não é só no futebol – ressaltou.

O São Paulo vive uma semana agitada. O time enfrentou o Botafogo, domingo, no Rio de Janeiro, e encarou o Náutico, nesta terça-feira, em Recife. O Tricolor ainda tem o Criciúma, quinta, no Morumbi, e fecha a sequência frente ao Coritiba, domingo, no Paraná.

– Não vou lamentar nada. Não aceito por parte de ninguém do grupo criar justificativas – disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.