Após reclamações públicas, São Paulo unifica discurso em tom inconformado

O elenco são-paulino procurou unificar um discurso e adotar tom de inconformação ao abordar o momento vivido pelo clube nos encontros com a imprensa. A nova postura foi adotada após as reclamações feitas por jogadores ao término da vitória por 2 a 0 contra o Mogi Mirim, na terça-feira, no Pacaembu. Nessa sexta-feira, o volante Thiago Mendes comentou as polêmicas recentes no Tricolor com uma declaração semelhante à feita pelo lateral direito Bruno no dia anterior. O atleta usou até o mesmo palavrão que o companheiro para defender o descontentamento de alguns atletas com o banco de reservas.

“Todos precisam entender [as escalações de Bauza]. Só jogam 11, é difícil todo mundo entrar. Quem não está jogando tem que ficar puto, tem que fazer cara feia e demonstrar em campo. [Os reservas] precisam estar melhores do que os colegas que estão jogando”, disse o volante. Na quinta-feira, Bruno já havia defendido que os suplentes ficassem “putos” com a condição. “Tem que ter paciência para trabalhar e, na hora que a oportunidade pintar, também tem que dar conta do recado”, afirmou o lateral.

A inconformação são-paulina com a reserva teve início após Alan Kardec cobrar mais oportunidades de Bauza. O centroavante afirmou que o treinador argentino não tinha explicado suas escolhas aos atletas e não dava abertura para o grupo conversar de forma privada com ele. O descontentamento foi compartilhado por Rogério, que atuou improvisado na armação das jogadas e admitiu não gostar da posição.

Surpreso com as declarações, Bauza disse em entrevista coletiva que já havia se reunido reservadamente com os jogadores descontentes. A fim de amenizar a crise, o técnico conversou com o elenco antes do treino de quinta-feira e abordou os episódios recentes. Segundo Thiago Mendes, a ordem entre os atletas é dar entrevistas sinceras e que mostrem aos torcedores o que de fato tem ocorrido no São Paulo. “Tem que vir aqui e falar o que está sentindo. Temos que ser realistas com as palavras”, afirmou.

Descontentamento pessoal – O inconformismo de Thiago Mendes também esteve direcionado às suas próprias apresentações nessa temporada. Decisivo para o Tricolor em 2015, o jogador teve atuações de destaque nos primeiros jogos do ano e se firmou como uma das principais peças do esquema tático de Bauza. Mas, segundo o próprio atleta admitiu, o rendimento nas últimas rodadas do Campeonato Paulista e Copa Libertadores deixaram a desejar.

“Eu não estou feliz com meu desempenho e sei que posso dar mais de mim. A ausência de resultados atrapalhou bastante, baixou a autoestima. Eu preciso mostrar para o treinador que estou vivo dentro de campo”, afirmou o jogador. “Esperava mais logo no começo, mas sei da dificuldade que é jogar contra os times paulistas. Eles estão marcando bastante, então tenho que trabalhar e dar o meu máximo aqui dentro”, concluiu.

2 comentários em “Após reclamações públicas, São Paulo unifica discurso em tom inconformado

  1. Viva democracia?
    É a democracia que coloca no poder essas tralhas como Lula e Alckmin. Democracia dá poder de só 1 dia pra um mar de gente burra colocar no poder por 4 anos quem fala o que eles querem ouvir ou dá um saco de arroz.

    Vamos continuar pagando pra vagabundos de gravata nos roubarem e pra polícia investigar vagabundos de gravata, enquanto ficamos sem segurança nenhuma nas ruas. Viva a democracia!

  2. Peço desculpas ao senhor Paulo pontes e a todos por fugir um pouquinho do tema futebol.

    Hoje é um dia histórico no Brasil um ex presidente fui conduzido ate a policia federal para depor .

    viva a democracia!

    Pra sempre soberano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*