Após drama no Fla, lesões perseguem Everton há quase um ano no Tricolor

Everton tem sido perseguido pelas lesões há quase um ano no São Paulo – nesta segunda-feira, foi diagnosticado um problema de grau 2 no adutor direito do atacante de 30 anos, que desfalcará a equipe contra o Atlético-MG, às 20h de quinta-feira, e talvez ainda esteja em recuperação quando o Brasileirão voltar após a pausa da Copa America. É a sexta vez que ele se machuca no clube, todas a partir de agosto do ano passado.

​O São Paulo liderava o Brasileiro e tinha Everton como um de seus pilares quando a série de lesões começou: foi na vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, pela 21ª rodada, quando ele sofreu um estiramento na coxa esquerda. O jogador ficou fora de três partidas, voltou no empate sem gols contra o Santos e sentiu uma fibrose na mesma coxa. Foram mais dois jogos fora até o retorno no intervalo da derrota por 2 a 0 para o Palmeiras. Embora tenha ficado em campo até o fim, Everton voltou a relatar dores na coxa esquerda e teve um novo estiramento diagnosticado. Foram mais quatro partidas ausente.

O fato de quase não ter contado com o camisa 22 ao longo do segundo turno do Brasileirão do ano passado é apontado até hoje no São Paulo como um dos motivos da perda do título. O time era líder quando o drama começou e acabou terminando a competição em quinto lugar.

​A coxa esquerda voltou a atrapalhar em fevereiro de 2019: o atacante se lesionou na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, pela primeira fase do Paulistão, e ficou fora de cinco partidas. Retornou a tempo de disputar os mata-matas, mas com dificuldades físicas – na final contra o mesmo Corinthians, por exemplo, sentiu câimbras nas duas pernas e foi substituído.

​O único dos problemas físicos de Everton no São Paulo que não foi muscular ocorreu no fim de maio: uma pancada na cabeça sofrida na derrota por 1 a 0 para o Bahia, em Salvador, pela Copa do Brasil. Ele ficou fora do empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, retornou diante do Avaí e se lesionou ainda no primeiro tempo.

Everton fez 50 jogos ano passado (11 no Flamengo, com três gols, e 29 no São Paulo, com cinco gols). Nesta temporada, balançou as redes duas vezes em 23 partidas.

Os problemas físicos atrapalham o jogador desde os tempos de Flamengo (veja levantamento abaixo). Inclusive, ele carrega uma fibrose na coxa esquerda desde 2015, fruto de uma das lesões que sofreu no Rio de Janeiro.

​EVERTON NO FLAMENGO

2014 (49 jogos e 10 gols)

– 20/4 – lesão na coxa direita
Ficou fora de três partidas e voltou a jogar em 18/5
– 25/5 – lesão na coxa direita
Ficou fora de duas partidas e voltou a jogar em 16/7, após a Copa
– 29/10 – lesão na coxa esquerda
Ficou fora de uma partida e voltou a jogar em 5/11

2015 (47 jogos e 6 gols)

– 22/2 – lesão na parte anterior da coxa esquerda
Ficou fora de sete partidas e voltou a jogar em 22/3
– 25/3 – lesão na parte posterior da coxa esquerda
Ficou fora de três partidas e voltou a jogar em 12/4

2016 (41 jogos e 5 gols)

– 16/10 – lesão no adutor direito
Ficou fora de três partidas e voltou a jogar em 16/11

2017 (56 jogos e 10 gols)

– 26/3 – pancada na coxa
Ficou fora de quatro partidas e voltou a jogar em 23/4
– 23/4 – pancada no tornozelo
Ficou fora de uma partida e voltou a jogar em 30/4
– 20/5 – pancada no tornozelo
Ficou fora de duas partidas e voltou a jogar em 4/6
– 16/8 – dores musculares
Ficou fora de uma partida e voltou a jogar em 23/8
– 13/9 – lesão na panturrilha esquerda
Ficou fora de três partidas e voltou a jogar em 27/9
– 16/11- lesão na coxa esquerda
Ficou fora de cinco partidas e voltou a jogar em 6/12

 

Fonte: Lance

4 comentários em “Após drama no Fla, lesões perseguem Everton há quase um ano no Tricolor

  1. Éverton Chinelinho ô ô
    não faz nem um golzinho
    some das entrevistas
    mas fatura “quinhetinho”

    No campo, ele só se enrola.
    Faz de tudo pra perder a bola.
    Quando machuca… fica feliz.
    São mais férias pagas no Reffis.

    Éverton Chinelinho ô ô
    não dá nem um carrinho
    foge das divididas
    mas ganha “quinhentinho”

  2. Aqui Rodrigo Caio vivia no “DM”, lá no Flamengo está jogando todos os jogos, portanto, nosso outrora “REFIS” que era excelência em recuperação e vinham jogadores de fora para se tratar, não passa de um “SUS piorado….

    O departamento médico hoje é a cara da administração nefasta que vem a anos…

  3. É muito fácil a gente jogar toda culpa no jogador, que é canela de vidro e tudo mais, porem até que ponto o SP tem um DM decente que recupera esses nossos jogadores? engraçado que em outros times existe essa reincidência de volta ao DM a cada poucos meses, CADE A COBRANÇA NESSA ADMINISTRAÇÃO PÍFIA? DEVOLVAM MEU SÃO PAULO.

    • Joga muita bola… mas a transição do time é muito ruim. Se assistir um jogo inteiro 95% das bolas que ele recebe são quebradas da zaga… ligação direta…

      Enquanto o SP não começar a jogar com a bola no chão, jogadores com mais técnica não produzirão nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.