Após crise com Aidar, Abílio Diniz irá a reunião do conselho no Morumbi

O Morumbi deve receber na noite desta segunda-feira mais uma quente reunião do conselho deliberativo do clube. Além da promessa do presidente Carlos Miguel Aidar de esclarecer as polêmicas sobre a contratação do zagueiro Iago Maidana, o encontro no salão nobre do estádio tricolor também terá a presença do empresário e membro do conselho consultivo do clube, Abílio Diniz.

Antes crítico ferrenho da gestão Aidar, Abílio sinalizou com aproximação ao mandatário nos últimos meses, principalmente para indicar Alexandre Bourgeois para o cargo de CEO. A ideia do empresário era dar ao São Paulo uma gestão profissional e o executivo tinha papel decisivo para que os planos fossem colocados em prática. Do lado da diretoria, a expectativa era que o empresário pudesse investir dinheiro para ajudar o Tricolor na crise financeira.

Há duas semanas, porém, a relação entre os dois voltou a ruir. Em encontro no Morumbi cercado de acusações sobre ofensas e ameaças, Bourgeois foi demitido por Aidar. O presidente já havia avisado que o plano de gestão escolhido não seria o do executivo e, no dia seguinte à dispensa, anunciou Paulo Ricardo Oliveira como o novo CEO.

Abílio reagiu publicando uma carta oferecendo ao São Paulo o dinheiro necessário para contratar uma empresa de auditoria, uma das promessas feitas por Aidar no anúncio do plano de gestão. O empresário disse ter tudo encaminhado para acerto com a PWC e que só aguardaria o aval do mandatário para concretizar os negócios. O presidente recusou rispidamente e avisou que já havia fechado com outras duas empresas, em acertos nunca divulgados ao público.

A reunião do conselho deliberativo desta segunda-feira também deve ser marcada por cobranças sobre a situação de Juan Carlos Osorio, que pode deixar o time para comandar a seleção do México, e ao vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro, sobre as reclamações do técnico e dos jogadores em relação à interferência dos problemas políticos em campo.

A maior pressão, no entanto, deve mesmo recair sobre Aidar no “Caso Maidana”. Depois de dizer que não sabia que o zagueiro de 19 anos jogava pelo Criciúma, o presidente agora argumenta que nunca ouviu falar da Itaquerão Soccer, grupo de empresários que tirou o garoto do time catarinense para registrá-lo no Monte Cristo (GO) por dois dias antes da venda ao São Paulo por R$ 2,4 milhões.

– A negociação do Maidana, eu já disse, precisa ser questionada ao Carlos Miguel – afirmou Ataíde em entrevista à rádio Jovem Pan.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*