Apoiado pela família, Denis cresce e torce por permanência de Bauza

O São Paulo não venceu Corinthians (1 a 1) e Grêmio (derrota por 1 a 0) nas duas últimas rodadas do Brasileirão, mas o ponto positivo em comum nos dois jogos foi Denis. O goleiro evitou gols do rival em Itaquera e foi muito exigido em Porto Alegre .

Criticado por falhas no início da temporada, ele encontrava poucos motivos para sorrir ao chegar em casa depois dos jogos do São Paulo. O consolo era o carinho das filhas Maria Rosa, de um ano e 11 meses, e Mirela, de três anos.

Goleiro Denis, do São Paulo, com a filha Maria Rosa, de quase dois anos (Foto: Marcelo Hazan)Goleiro Denis, do São Paulo, com a filha Maria Rosa, de quase dois anos (Foto: Marcelo Hazan)

Durante a folga do elenco do Tricolor, na última segunda-feira, Denis atendeu à TV Globo no CT da Barra Funda grudado em Maria Rosa. Ao olhar para a pequena fica claro perceber por que o sorriso do pai é fácil ao lado dela.

– Quando você chega em casa e é recebido com um abraço e um beijo… não tem nada no mundo que pague. Quem é pai sabe o que é receber um abraço do seu filho em casa, independentemente se o seu dia foi bom ou ruim – disse.

Apoiado pela família, o goleiro contou com blindagem nas redes sociais para ter tranquilidade fora de campo. Agora, quer que o seu bom momento individual ajude o time a retomar as vitórias. A última foi o 3 a 0 sobre o América-MG, no dia 10 de julho, no Morumbi, palco do jogo de domingo, com a Chapecoense.

– Estou colhendo os frutos de ajudar o São Paulo com boas defesas, mas não são os resultados que queríamos. Não adianta eu pegar 50 bolas e o time não vencer. Prefiro pegar uma ou nenhuma e o time sair com a vitória. O pensamento é esse, mas preciso estar preparado para dar o melhor sempre – afirmou.

A retomada do caminho das vitórias passa pelo futuro de Edgardo Bauza. Um dos alvos da AFA para assumir a seleção argentina, o nome do treinador perdeu força em comparação com Sampaoli. A indefinição da situação dele, no entanto, não afetou o grupo, segundo Denis, que torce pela sua continuidade no clube.

– Ninguém sabe se ele vai aceitar ou não, isso não está definido. Ele não falou nada para nós jogadores, mas preciso dar o meu melhor, ajudar o São Paulo e jogar bem. Se eu não fizer meu trabalho em campo nada disso interessa. Pode vir qualquer treinador: se você não estiver bem, está fora – disse.

– Trocar de treinador é sempre complicado. Não acho que seria bom (para o São Paulo) pelo trabalho que ele vem fazendo. Como todos, precisa de um tempo de adaptação. Não é em seis ou sete meses que ele faria milagres. Ele pediu reforços e nós precisamos. Sabemos disso, porque o elenco é enxuto e o Brasileirão é longo. Não acharia bom ele sair agora, mas é uma escolha dele e temos de respeitar – completou.

Com o São Paulo na nona posição do Brasileiro, com 22 pontos, Denis admite que o time precisa primeiro se reaproximar do G-4 para depois pensar no título. A equipe está a sete pontos de distância do Santos, quarto colocado.

A posição na tabela também se explica pela prioridade à Taça Libertadores, na qual o São Paulo foi eliminado nas semifinais, pelo Atlético Nacional. Denis diz que isso não serve de desculpa e crê na qualidade dos reforços contratados.

Goleiro Denis, do São Paulo, com a filha Maria Rosa, de quase dois anos (Foto: Marcelo Hazan)Goleiro Denis, do São Paulo, com a filha Maria Rosa, de quase dois anos (Foto: Marcelo Hazan)

Douglas, Buffarini, Andrés Chávez, Gilberto, Cueva e Maicon foram fechados durante a janela de transferências internacionais do exterior para o Brasil. Bauza pede tambémBarrios ou Pratto para o ataque.

A torcida de Denis é para que os novos atletas se encaixem tão rapidamente quanto Calleri, artilheiro do ano com 16 gols em 31 jogos. Além dele, Ganso, Alan Kardec e Rogério saíram recentemente.

– Nosso time vai se fortalecer muito com os reforços. Perdemos pontos importantes em casa e agora o que resta é correr atrás. Precisamos somar o mais rápido possível para encostar na ponta e no fim ver o que podemos buscar –  disse.

– Pela história do clube, o São Paulo sempre tem de buscar a ponta da tabela e ser campeão. O Brasileirão é longo. Precisamos encaixar esses reforços. Se eu preciso de adaptação para ser o goleiro titular, substituindo o maior da história, com 25 anos de clube, os estrangeiros também precisam de um tempo de adaptação. O Calleri chegou e já resolveu, mas é difícil encaixar tão rápido. Acontece? sim, mas não é fácil.

Permanência de Bauza, rápida adaptação dos reforços e retomar o caminho das vitórias do São Paulo: mais motivos para Denis sorrir com a pequena Maria Rosa.

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Apoiado pela família, Denis cresce e torce por permanência de Bauza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.