Antes do clássico, jogadores do São Paulo cobram diretoria por salários

O atraso no pagamento de imagem da maioria do elenco passou a incomodar os jogadores do São Paulo e se acentuou antes do clássico contra o Palmeiras, neste domingo, às 16h, no Allianz Parque. Perto de completar quatro meses sem receber direito de imagens, alguns atletas conversaram com a diretoria na sexta-feira e pediram uma posição sobre o assunto.

A promessa dos dirigentes é que os débitos serão quitados tão logo o clube receba o pagamento da venda de Rodrigo Caio ao Valencia (ESP), cerca de R$ 39 milhões. O São Paulo chegará a quatro meses de atraso da imagem no próximo dia 10.

A situação desconfortável é agravada pelos casos diferentes no elenco. Há atletas que recebem apenas em carteira, ou seja, não estão com vencimentos atrasados. Outros recebem boa parte do salário em imagem, portanto, estão sofrendo mais. Houve também o pagamento devido a Alexandre Pato por conta da ação na Justiça movida pelo atacante contra o Corinthians e, indiretamente, contra o Tricolor.

Além de Rodrigo Caio, o São Paulo vendeu Paulo Miranda e Denilson nos últimos dias. No total, vai arrecadar cerca de R$ 50 milhões com as vendas e promete quitar as dívidas. A situação, porém, incomoda o técnico Juan Carlos Osorio.

Na última sexta-feira, o treinador disse que não foi informado de que a situação econômica do clube era tão complicada, em evidente chateação. Ele reforçou que não foi enganado, mas torce para que tudo seja resolvido rápido.

Fonte: Lance

9 comentários em “Antes do clássico, jogadores do São Paulo cobram diretoria por salários

  1. Com um Imbecil á frente do Depto de MKT, o Costureiro Valente, só iremos conseguir um patrocínio master por milagre.
    Fora VP de MKT Despreparado e Incompetente.

    • Caro Alexandre por que acha que o costureiro e imbecil? ele e muito mais que isso meu querido.Essa gente que está ai alem de nao entenderem nada de sao paulo ,odeiam o clube na sua essencia, não pensam um segundo na instituição.Se ficarem ai por muito tempo,iremos brigar para nao cair,e em breve nos tornaremos uma lusa

  2. Este é o resultado das gestões do JJ com a ativa participação do atual presidente, em resumo, a muito estamos nas mãos de incompetentes ou mal intencionados, fico mais com a segunda hipótese, afinal, ao que me parece, suas vidas privadas vão bem.
    Quando é que se mudará a forma das eleições, pois, coloco como principais culpados os sócios que elegem um conselho casuístico e conivente com os desmandos.
    Saudações aos verdadeiros tricolores.

    • E verdade culpa do JJ, se bem que o Aidar era parceiro dele ne? E se nao me engano o Aidar nao conseguiu nenhum patrocinador master neste mais de 1 ano e meio de poder, acho que estou vendo demais mas a culpa nao e so do JJ ne? Alias, quem contratou o Kardec a peso de ouro mesmo?? ah o JJ ne?

    • Fernandes, como sócio que sou do São Paulo, me sinto na obrigação de responder aqui o que já o fiz outras vezes: o sócio não consegue, por mais que queira, mudar o quadro. São 240 conselheiros, dos quais 160 vitalícios. Ou seja: cabe aos sócios eleger 80. Desses 80, ao menos 20 entram por antiguidade, ou seja, se tiverem um voto (o deles mesmo), são eleitos. Sobram 60 para os sócios. Os vitalícios, em sua maioria, estão com a situação, seja ela qual for. E o Juvenal dispunha, na eleição do Aidar, o voto de 125 vitalícios. De que adiantaria os sócios elegerem 80 conselheiros da oposição se, somados aos 35 vitalícios oposicionistas, dariam 115 votos e Aidar seria eleito do mesmo jeito? E tem mais: a oposição teve muitos votos e elegeu muitos conselheiros na última eleição. Só que muitos já bandearam para a situação, mercê de cargos recebidos. Portanto…os sócios não são tão culpados assim. Abraços

      • Caro Paulo, agradeço seus esclarecimentos, sei que de fora fica fácil criticar, e apreciei, como sempre, sua sinceridade quando menciona “não são tão culpados assim”.
        Enfim, só nos resta torcer por um time que, aparentemente, se perpetuará nas mãos de uma “linhagem” que teve seu nível comportamental mudado, para muito pior, após a gestão JJ.
        Abraço.

      • VC ESTA CERTO PAULO MAIS OS SOCIOS PODERIAM QUALIFICAR MELHOR SEUS VOTOS POIS ESCOLHEM POR CEDULAS FECHADAS E ELEGEM UM MONTE DE LIXOS E NÃO SÃO PAULINOS QUE APOS ELEITOS VENDEM SUAS CONSCIENCIAS,SE E QUE TENHAM,POR UMA CARTEIRA, CARGO OU BENESSE,IGNORANDO POR COMPLETO A INSTITUIÇÃO

  3. Será que alguém fica vermelho lendo esta notícia?
    Pobre São Paulo; pobre torcedores são-paulinos (todos nós que amamos esse clube)…
    Onde a tradição; onde a inteligência, a honestidade de seus dirigentes? O hedonismo e o narcisismo não pouparam nem septuagenários e octogenários: esses senhores que, há anos, usam o clube e sua representação, em busca de novas sensações de poder e tudo o que disso advém, como grana farta, mulheres jovens, exposição midiática. Pra isso, parece que estão conseguindo destruir, moral e financeiramente, aquele que parecia ser uma fortaleza esportiva no país. Quase tenho vergonha de ser são-paulino. Já há algum tempo percebi que tenho visto os jogos do meu time menos com a alegria de torcer por vitória e mais como crítico de tudo que está acontecendo e que afeta o time e meus sentimentos (talvez a mesma forma de outros, cujos comentários acompanho aqui neste espaço). Critico salários desmesurados pagos a atletas descompromissados – e até a alguns compromissados; as contratações caras e sem critério que, “na largada”, a maioria de nós reconhece inútil, mas que deve gerar alguma das situações citadas a alguém interessado; e, dia sim, outro também, somos bombardeados com notícias como estas: salários atrasados; negociações incompletas ou mal feitas que geram dúvidas em todos os sentidos; contradições entre dirigentes sobre assuntos importantes.
    Como acontece com o governo do país, com a CBF e o futebol brasileiro, não vejo, a princípio, solução para o SPFC que não uma grande ruptura. Porém, à distância, só sou capaz de sugerir qual deveria ser a do clube. Talvez uma “Lava Jato” (operação que, se concluída, poderá romper com os mal-feitos da política brasileira) são-paulina, escancarando as entranhas das últimas administrações do clube, para que possa se “zerar tudo” e recomeçar de maneira correta, como era antigamente, quando éramos referência para o Brasil e o mundo como um grande clube de futebol.
    Hoje sequer conseguimos uma grande empresa que queira se associar ao clube, estampando seu nome em nosso “manto” como patrocinador master.
    Pobre São Paulo; pobres são-paulinos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.