Ameaçada, venda de zagueiro seria salvação salarial no São Paulo

A transferência de Rodrigo Caio para o Valencia está ameaçada. Algumas condições mostradas pelo clube espanhol não agradaram ao zagueiro, que detém 10% de seus direitos econômicos. Para sacramentar o negócio, o vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, irá intervir.

“Falei com ele e avisei que vou entrar na questão para tentar resolvê-la. Existe um problema entre o Rodrigo Caio e seu empresário. Quero ajudar a encontrar uma solução. Não queremos que ele volte, porque (o negócio) será bom para ele e será bom para o clube, que precisa de dinheiro”, disse o dirigente.

Há pouco mais de duas semanas, o São Paulo chegou a divulgar nota oficial em seu site para confirmar a venda por € 12,5 milhões (R$ 44 mi), dos quais terá direito a 90%. Até R$ 3.119.479,69 desse valor, no entanto, já estão penhorados judicialmente por conta de dívida antiga referente à transação de Jorginho Paulista. Do montante, parte será utilizada pela diretoria para quitar débitos com o elenco.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Recentemente, o atacante Alexandre Pato recorreu à Justiça para cobrar o São Paulo e teve o débito quitado

Ao todo, já são três meses de atraso com os jogadores que recebem os vencimentos por direito de imagem – com os que recebem em carteira, o salário está em dia. Na sexta-feira, o grupo se reuniu com o vice-presidente para pedir satisfação.

“Não existe revolta nenhuma dos jogadores”, minimizou Ataíde. “Eu me reuni com todos, falei que estávamos com três meses de direito de imagem atrasados, que iríamos entrar no quarto no dia 10 de julho e que assim que o dinheiro das vendas entrasse, tudo seria resolvido”, comentou o dirigente, neste domingo.

Além da venda de Rodrigo Caio, o São Paulo também espera quantia inferior pelas negociações do zagueiro Paulo Miranda (para o Red Bull Salzburg, da Áustria) e do volante Denilson (Al Wahda, dos Emirados Árabes).

Recentemente, o atacante Alexandre Pato recorreu à Justiça para cobrar dívida tanto do Corinthians, clube que detém seus direitos econômicos, quanto do São Paulo, para o qual está emprestado. Dias depois, os dois clubes quitaram os débitos com o jogador.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Ameaçada, venda de zagueiro seria salvação salarial no São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.