Alvo da torcida em 99, Dodô se põe no lugar de Bastos: fase do SP não ajuda

De fora da partida contra o Rio Claro no último domingo (21), pelo Campeonato Paulista, Michel Bastos foi alvo de protestos por parte da torcida do São Paulo. A relação do capitão são-paulino com os torcedores, inclusive, tem atritos desde o último ano – contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro, o jogador chegou a fazer sinal de “cala boca” após marcar um gol.

Uma polêmica semelhante viveu Dodô em 1999. Na época, o então atacante do São Paulo balançou as redes contra o Guarani e, irritado, fez um gesto de “banana” para os torcedores presentes no Morumbi.

“Na época, eu tinha motivos (para fazer o gesto), mas você tem que se controlar e ficar tranquilo. Errei na época, mas com o calor do jogo, você acaba fazendo esse tipo de coisa. Por isso entendo os outros jogadores”, afirmou Dodô, em entrevista ao UOL Esporte. O atacante, inclusive, deixou o São Paulo no meio daquele ano e foi contratado pelo Santos.

Dodô explica, no entanto, que seu desentendimento com a torcida foi diferente da ocorrida com Michel Bastos. “O problema com a torcida é extracampo. No meu, em 1999, foi no jogo contra o Guarani, não foi durante a semana. Fiz um gol e fiz um desabafo só”.

Michel Bastos foi um dos principais alvos do protesto do último domingo. Ele foi representado por um sósia com uma garrafa de cerveja na mão e uma camisa escrito “Migué”. Uma faixa xingando o meio-campista e exaltando o uruguaio Lugano também fez parte das críticas ao jogador.

O protesto contra Bastos fazia referência à uma foto divulgada por uma das torcidas organizadas do São Paulo. Nela, o jogador aparecia bebendo cerveja e era acusado pelos torcedores de fazer isso depois da derrota para o The Strongest, pela Libertadores. A assessoria do meia, no entanto, negou que a imagem fosse nova e afirmou que ela havia sido tirada em um momento de folga no ano passado.

“O Michel tem cacife para aguentar as críticas, é um jogador experiente, que jogou Copa do Mundo. Ele é um cara que tem peso. Melhorando o futebol dele e o São Paulo voltando a jogar bem, pode ser que dê a volta por cima com a torcida. Com dois ou três jogos bons, com gols e assistências, isso já é superado”, acredita Dodô.

Michel Bastos foi blindado pelo São Paulo depois das polêmicas na última semana. O jogador, inclusive, treinou normalmente com a equipe nesta segunda-feira (22). De acordo com o técnico Edgardo Bauza, ele não havia sido barrado para a partida contra o Rio Claro, apenas poupado.

O erro do São Paulo na temporada

Longe do futebol desde 2014, quando se aposentou dos gramados, Dodô estuda agora para ser treinador. E é justamente nessa função que ele aponta como “o grande erro da diretoria do São Paulo” para 2016. Com a demissão de Doriva, o time do Morumbi anunciou o argentino Edgardo Bauza para o lugar.

“O grande erro da diretoria foi contratar um treinador estrangeiro para trabalhar no Brasil pela primeira vez. Encontrar um clube com problemas como o São Paulo, penso que é muito complicado. Se tivesse alguém daqui do Brasil, capacitado, penso que seria melhor nesse momento”.

“(Edgardo Bauza) é um treinador com mentalidade diferente, que trabalhou em outras equipe sul-americanas com sucesso. Mas a pressão no São Paulo é diferente, uma equipe mundialmente conhecida. Ele terá que se provar sempre”, completou Dodô.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*