Alguém me disse

O começo desta notícia já foi amplamente divulgada: “Leco não abre mão de candidatura e diz que vai até o fim, com críticas a Carlos Miguel Aidar”. A partir deste ponto, entra minha conta, com algumas informações de bastidores. Se Leco realmente levar sua candidatura até o fim – o que eu, particularmente, acho difícil -, fará com que haja uma eleição com três candidatos à presidência do São Paulo: Carlos Miguel Aidar e Carlos Augusto Barros e Silva (Leco), pela situação e Kalil Rocha Abdala pela oposição.

A oposição garante que tem, nesse momento, 68 conselheiros vitalícios (do total de 160) e 30 eleitos (do total de 80). A disputa entre três candidatos certamente levaria o pleito para o segundo turno. E, pelas contas feitas hoje, Kalil Rocha Abdala estaria nesse segundo turno contra um dos dois situacionistas.

Um desgaste absolutamente natural entre os concorrentes da mesma chapa, com ataques e ofensas, poderia levar conselheiros do derrotado para Kalil Abdala, o que o elegeria presidente do São Paulo.

Já no caso da desistência de Aidar ou Leco, a vitória da situação é praticamente certa.

Paulo Pontes

 

7 comentários em “Alguém me disse

  1. Paulo, vou sair um pouco do lugar comum.
    Quando todo mundo acha que dois candidatos da situação podem ser ruins para a situação, eu gostaria de pensar diferente.
    No começo de todo esse processo, muito se falou (e depois o assunto desapareceu), que JJ preparava uma estratégia de lançar até dois candidatos da situação com o objetivo de esvaziar a oposição. O ideal, segundo cheguei a ouvir, no entendimento dele, seria a eleição com um candidato único, mas, caso não fosse possível, tentaria uma eleição com dois candidatos situacionistas.
    O que garante que essa possível manutenção da candidatura de Leco não faça parte dessa estratégia? Será que a ideia não é cooptar possíveis conselheiros indecisos que mesmos desgostosos com JJ, mas pouco propensos a se unirem à oposição, fiquem com a segunda opção que seria Leco?
    No popular, será que a manutenção candidatura dele teria como objetivo apenas ‘roubar’ votos da oposição?
    Também não tenho tanta certeza assim de que o Kalil já esteja com todas essas assinaturas à favor da sua chapa que a oposição diz ter.
    Vale lembrar que o presidente do Conselho Deliberativo, um forte arregimentador de votos, não aderiu à campanha (pelo menos explicitamente) da oposição.
    Depois, acredito que o Kalil, pela pessoa ponderada que é, não irá agir como certos oposicionistas que parecem torcer contra o clube, como se viu na questão do monotrilho, na sociedade de amigos de bairro que briga contra o clube etc., e se perceber que não terá chances de vencer, tenho certeza que abrirá mão da disputa em prol do clube.

  2. Paulo Pontes:
    Sem querer entrar em polêmica mas, segundo comentários anteriores, quando a oposição era apenas MAC, veiculava-se que, para que um candidato pudesse se apresentar à eleição ele deveria ser apresentado por, pelo menos, 55 conselheiros vitalícios de um total de 160. Por essas contas, nunca poderia ocorrer a eleição com 3 candidatos, por imposição dessa cláusula numérica.
    Agora pergunto: mudou alguma coisa ou eu é que não entendi nada mesmo (antes ou agora)?
    um abraço

    • Paulo, são 55 assinaturas mesmo, e, até por isso, só podem ir dois candidatos para a eleição. Quando falo em segundo turno estou falando de Kalil (oposição) contra um da situação. Eles, Carlos Miguel Aidar e Leco, vão disputar a assinatura dos conselheiros. Essas 55 (mínimo) assinaturas não precisam ser apresentadas agora. E é exatamente nessa disputa que poderão sobrar mágoas entre os dois situacionistas. E, na hora final da assembleia, os conselheiros do candidato derrotado migrarem para Kalil. Então, quando chamei de segundo turno quis dar um sentido figurado à eleição, tanto que deixei claro que, nesse caso, Kalil certamente iria para o “segundo turno”. Desculpe se me expressei mal.

  3. Amigo Paulo

    Nem Situação e nem Oposição tem “CONSELHEIRO ELEITO”, pois votarão para Presidente na 2ª QUINZENA DE ABRIL, os novos Conselheiros que participarão da Assembléia Geral de Associados a ser realizada na 1ª QUINZENA do mesmo mês. O que temos certeza HOJE é que finalmente haverão 2 Chapas com 120 nomes cada, sendo uma de Oposição e outra de Situação. A Oposição já tem mais de 70 assinaturas das 55 necessárias,e é lógico que a Situação, com qualquer que seja o candidato, ou candidatos também terá a sua.
    NÃO EXISTE 2ºTURNO. Existem 2 fases, a Assembléia Geral e em seguida a Eleiçaõ para os Presidentes. ( Diretoria Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal)

    • Eu acho que vou ter que começar a desenhar meus posts aqui. Quando eu disse que a oposição tem 30 conselheiros eleitos só quis retratar o momento. E fui claro nisso. É ÓBVIO que esse número pode aumentar ou cair após a eleição de abril. Quanto ao segundo turno, se forem dois candidatos situacionistas, eles decidirão no voto quem será o adversário do oposicionista para, enfim, ocorrer a eleição. É UMA ESPÉCIE DE SEGUNDO TURNO. Da próxima vez eu desenho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.