Alguém me disse

Está rolando no São Paulo uma negociação, envolvendo o conselheiro Francisco de Assis, aquele que ganhou ação que anulou todos os atos posteriores a 2004, e o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, para chegarem a um acordo e volte a valer o estatuto de 2002. É verdade que as mudanças de 2004 foram danosas ao clube, mas o que vigia à época era pior ainda.

Um exemplo: hoje os conselheiros vitalícios são indicados por listas apresentadas pelos grupos políticos, com aval do presidente e posterior aprovação do Conselho Deliberativo. Antes era o Conselho Consultivo quem indicava os novos vitalícios. E vai daí afora.

Quando se pede por todos os cantos modernização no estatuto, não e possível voltar atrás. A única ideia boa que Carlos Miguel Aidar lançou – porém não tornou realidade – foi a profissionalização em alguns departamentos como, por exemplo, o futebol. Não podemos mais ficar nas mãos dos grupamentos políticos para saber quem vai ser o vice-presidente de futebol. Chega disso. E hora de termos elementos novos que revigorem nosso estatuto, completamente arcaico.

 

Paulo Pontes

9 comentários em “Alguém me disse

  1. é muito triste tudo isso que está acontecendo a muito tempo no soberano .

    é preciso procura urgentemente gente que entenda de futebol no campo para fazer essa ponta com os atletas e treinador .

    moro ta com medo de prende o lula ou nao tem nada contra ele de prova para prisão ?

    pra sempre soberano

    pra sempre soberano

  2. PP, essa é minha principal crítica ao Leco, ele não propõe nada de novo, em nenhum setor, seja na parte administrativa, do estádio, e agora isso, ao invés de resolver um problema, quer simplesmente voltar ao passado, seria uma oportunidade de um amplo diálogo para mudar para melhor, modernizando o estatuto.

  3. Agora me respondam, do que adianta ter o melhor estatuto do mundo se ele não é respeitado? De que adianta um conselho de ética se é presidido pelo ricardo lewandowski tricolor?

  4. Para se desatar um nó , talvez seja nescessario voltar atrás e fazer uma nova proposta de alteração seguindo o rito legal.

    Sobre o técnico com a saída do Atayde abre se a chance de troca de técnico , embora eu seja contra , se perder domingo o Bauza vai.

    • Marco, nunca defendi qualquer ilegalidade. Mas o momento é mais do que propício para avançarmos no estatuto, aproveitando que a Justiça foi favorável a estancar este mal que foi criado por Juvenal Juvêncio, lá atrás. Então, por que retroagir, se podemos avançar?

  5. É ruim em Celso o Bauza ser demitido agora, quem sabe quando tudo estiver perdido, libertadores, paulista e brasileirao ai quem sabe troquemos de treinador, agora só o Bauza pedir conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*