Ainda sem receber bilhetes de Osorio, Hudson explica sua nova função

Os famosos bilhetinhos distribuídos pelo colombiano Juan Carlos Osorio já não são mais novidade no São Paulo. Quando o treinador chegou ao clube com a novidade, no entanto, o sentimento de Hudson foi de divertimento.

“A gente sabia que ele ia passar o bilhetinho e que a qualquer hora podia aparecer algum. É bem novidade para a gente, esse jogo agora (contra o Avaí) foi o primeiro que ele passou para o Souza”, começou o volante no Sportv.

“Não tem novidade, era só uma pequena mudança no nosso posicionamento mesmo”, explicou o atleta, que atuou mais recuado do que o normal – mudança tática que permitiu que Souza, capitão com a ausência de Rogério Ceni, fosse ao ataque e anotasse o gol  tricolor no empate em 1 a 1.

“O Osorio me pediu para jogar mais recuado. Ele gosta de ter um homem que faça a proteção no time”, declarou Hudson. No entanto, o jogador também não se mostrou contrário à ideia de atuar mais avançado quando houver necessidade.

“É sempre bom ter a oportunidade de jogar um pouco mais a frente. Fiz isso no ano passado, contra o Emelec (nas quartas de final da Copa Sul-Americana), e nesse ano de novo contra a Portuguesa. Quando jogo um pouco mais à frente, posso chutar ao gol com mais facilidade”, avaliou.

Sobre o empate contra o Avaí de Gilson Kleina, em pleno Morumbi, no último sábado, Hudson lamentou o gol tardio marcado por André Lima aos 44 minutos do segundo tempo. “A gente acreditava muito na vitória, achou que o placar já estava encaminhado, mas o Avaí foi feliz com o gol no fim do jogo”, comentou o jogador, que ainda não recebeu bilhetinhos de Osorio. “Nem vi o que o Souza fez com o dele depois de ler”, brincou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.