Empate melancólico de um time que esqueceu o que é garra

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o empate entre São Paulo e Atlético-PR neste sábado, no Morumbi, foi digno de dó. Dois times sem técnica, sem garra, sem nada, tornando o sábado frio, de quem foi ao Morumbi, pouco mais de 13 mil pagantes, enfadonho.

Apesar de três bolas na trave – duas do São Paulo, uma do Atlético-PR – foi um jogo de dar raiva, pela apatia e falta de estrutura tática, principalmente do São Paulo.

O time escalado por Diego Aguirre deu raiva. Dentro do Morumbi, precisando da vitória, ele mantém o lado esquerdo com Edimar e Reinaldo, uma invenção que deu certo no jogo do Corinthians por ser uma surpresa. De lá pra cá, em todas as tentativas, nada deu certo. Pior, porque ao invés de fazer a ala esquerda Reinaldo virou o cérebro do time, caindo pelo meio para armar o jogo. Inicialmente eu pensei que isso fosse função de Diego Souza, mas ele ficou lá na frente, ocupando o mesmo espaço de Gonzalo Carneiro.

Ainda que o uruguaio tentou algumas jogadas, conseguiu até criar chance de gol, perdida pelo próprio Diego Souza, numa das bolas que bateram na trave. Mas com pouca movimentação, Diego Souza mais atrapalhou do que ajudou. O meio de campo do São Paulo ficou acéfalo. Vamos reconhecer que Reinaldo vive grande momento, mas depender dele para ser o armador do time, só na cabeça do Aguirre.

Do lado direito tinha o Araruna que marca bem, mas é péssimo no ataque, pior ainda na armação. Rojas tinha que se desdobrar e tentar fazer as jogadas sozinho.

No segundo tempo, já com 20 minutos, Aguirre colocou Nenê em campo, mas tirou, erroneamente, Diego Souza. O lógico ali seria tirar Edimar, voltar Reinaldo para a posição dele e colocar Gonzalo mais deslocado para a esquerda. O time até cresceu de produção, mas não o suficiente para levar perigo ao gol do Atlético.

Aguirre então, voltou  a errar, ao colocar Trellez o lugar de Gonzalo, o único que ainda fazia alguma coisa. Verdade que o time foi para cima, que o goleiro do Atlético teve trabalho duas vezes, mas foi muito pouco para o volume de jogo que esse time tinha até alguma semanas atrás.

Em todo o Campeonato Brasileiro o São Paulo nunca demonstrou qualidade técnica exuberante, nem ganhou jogos que nos fizeram crer que éramos imbatíveis. Mas a raça, a dedicação, a vontade de ganhar, faziam do São Paulo o grande favorito ao título, pois essa determinação supria a falta de técnica e até de elenco.

Tudo isso sumiu e hoje, sem querer ser alarmista, o que vejo em campo é um time que em muito pouco se difere daquele que lutou para não cair ano passado. Se já deixei de acreditar no título, agora começo a colocar em dúvida nossa capacidade de ir para a Libertadores. Estamos num viés de baixa impressionante e será difícil reverter esse quadro.

Quanto a Aguirre, o gato subiu no telhado. Sou radicalmente contra sua demissão, mas nesse momento não arriscaria a renovação do contrato que se encerra em dezembro deste ano. Raí foi muito sábio – e de novo teho que me render a ele – que no momento em que todos pediam, ou mais, exigiam a renovação do contrato do técnico uruguaio, ele ponderou, disse que esperaria o momento certo e fez o correto. Hoje, aqueles torcedores que reputavam em Aguirre um grande técnico, já o chamam de burro.

Por isso temos que dar tempo ao tempo e esperar o que tem por vir. Não tiro do meu foco a ideia de que Libertadores já estará de bom tamanho para o elenco que temos e para a terra arrasada que existia no São Paulo. Mas 2019, que já está sendo planejado, tem que ser com muito cuidado, pois o comandante poderá não ser o que hoje dirige o time.

 

 

14 comentários em “Empate melancólico de um time que esqueceu o que é garra

  1. Realmente o SPFC é mau treinado. Não consegue trocar 4 passes sequenciais. Passes certos decorrem de boa pontaria(?) e boas colocações dos colegas. Vejam os jogos dos times treinados pelo Guardiola. Tivemos sorte de sermos o melhor do 1º turno. Muita correria e vontade, mas….

  2. A principal falha de Aguirre no Sábado não foi nos nomes escalados, mas tática.

    Aguirre recuou nossas linhas de marcação. O Atlético-PR vinha tocando bola até a nossa intermediária sem ser importunado. Quando recuperávamos a bola estávamos muito longe da meta adversária e não temos jogares com a velocidade necessária para matar o jogo em contra ataques.

    No primeiro turno, principalmente nos jogos em casa, o Tricolor avançava a marcação e sufocava o adversário marcando a saída de bola próximo à área do oponente. Quando recuperávamos a bola estávamos próximos do gol.

    Eu não entendo o que causa a mudança de um estilo que estava dando certo. Só quem está lá dentro poderia explicar.

    Pela amostra do segundo turno está mais do que na hora do Raí fechar com um novo treinador para a próxima temporada. Mas deixemos Aguirre finalizar o trabalho neste campeonato brasileiro.

  3. Aguirre ja provou que é um distribuidor de camisa pq escala mal e substitui ainda mais pior, estamos ladeira abaixo ja disse isso, vai perder para o vitoria gora de casa no proximo jogo e perde para o Flamengo em casa na sequência. E o Rai e cia vai manter esse treineiro?

  4. Bom jogo, com resultado não desejado, mas previsível, afinal o adversário veio de vitórias respeitáveis e o São Paulo não foi eficiente nas conclusões.
    Quanto à escalação não seria a minha, mas como não sou o técnico, respeito.

  5. Corinthians deve a até a alma , e vive desmontando elenco a toda e nos últimos anos , foram duas vezes campeão brasileiro ( 2015 -2017) , e 2 vezes Campeão Paulista , 2017 -2018. e Vice da Copa do Brasil.

    São Paulo é a mesma desculpa de sempre , esta em reconstrução , título é pro ano seguinte ,e entra ano e sai ano os fracassos são os mesmos. São Paulo é o time que vive na eterna reconstrução.

  6. Quando Aguirre chegou, e o são Paulo passou a jogar esse “futebol moderno” digno da copa do mundo horrorosa da Rússia, achei que era o correto a se fazer. Jogou por 1 bola em Itaquera no Paulista e na vdd teve 3, com militao, trellez e D.Souza. Depois no brasileiro, a retranca deu certo até um determinado momento, agora que não dá mais certo, o time não tem outra alternativa. Acredito que a culpa é dividida entre Aguirre,pois teve bastante tempo pra treinar e aprimorar seu sistema de jogo e criar alternativas, do Rai pois o time titular é até razoável mas o elenco é fraquíssimo! E por fim, culpa dos jogadores, se nota que o aguirre perdeu a mão do elenco, como sempre no Brasil os clubes são praticamente reféns dos jogadores, que qndo querem se livrar de um técnico é essa postura que eles adotam em campo, como vimos ontem. Agora o Rai tem bastante tempo pra pensar no que fazer para 2019,tomara que com novo técnico! Eu gostaria de tentar o Rogério novamente , quero ver o sp jogando futebol ofensivo!! Encerramos uma década melaconlica, quem sabe a Zica vai embora ano que vem.

  7. Porque não coloca a base?
    Flamengo lançou Vinicius Júnior e paqueta e nós ficamos olhando, olhando o tempo passar
    Não entendo
    Ontem tinha nenê, Shaylon e Helinho no banco e ele monta um time torto! Pra que?

  8. Sinceramente já estou de saco cheio de tanta incompetência no SPFC, a desculpa eh a terra arrasada que o bêbado pilantra deixou, mas vejo times que tem dividas monstrengas ganharem títulos, o que falta eh competência no SPFC e acabar com os vícios de contratações da era do canalha cachaceiro.
    Contratar técnico que nunca ganhou nada pra tirar o SPFC da fila eh querer demais, eh contar com a sorte e não com competência.
    O SPFC competente d décadas atrás, fez na década de 70 oque deveria ter sido feito hoje em dia, contratou um grande técnico e jogadores que resolviam pra nos tirar de uma fila de 13 anos, fila essa porque estava construindo o Morumbi, hoje não tem estádio sendo construído, tem um bando de incompetentes que não sabem montar um time vencedor.
    Raí ao invés de privilegiar a competência, escolheu seus amigos para montar equipe, coisa que jamais faria se fosse com a empresa dele.
    Leco nem se fala, eh um fracassado perdedor nato, um lambe bolas do Juvenal que só faz burradas e negociações no mínimo bisonhas.
    Juntando tudo, o que reina no SPFC dessa década eh a incompetênciae e a canalhice, trouxa quem ainda perde tempo e dinheiro acreditando que ganharemos algo com técnicos medíocres e jogadores frouxos, pernas moles como esses.

  9. Paulo Pontes – Veja os fatos , Aguirre foi demitido do Inter em 2015 , do Atlético MG em 2016 ,e do San Lorenzo em 2017 , a reclamação foi sempre a mesma , após um bom começo , o futebol foi caindo e Aguirre perdendo o comando , ele esta apenas dando a continuidade do que fez nesses três clubes anteriormente.

    Um técnico que nunca ganhou nada , para um clube que a tempos não ganha nada.

  10. Paulo Pontes , diga sem enrolar vc é a favor de Diego Aguirre em 2019?

    O melhor nome seria Fabio Carille ex Corinthians , melhor técnico disparado de 2017 e começo de 2018 , o que ele fez no rival com elenco fraco e atolado em dividas foi fora de série, 1 Brasileiro,2 paulistas com um elenco bem mediano e parecido com do São Paulo atual não foi pouco , mas como é impossível tira-lo do futebol Árabe ,já deixaria tudo acertado com o Abel Braga …. Aguirre não da mais a visão de futebol dele é essa mesma e não vai mudar , PENSE no Atlético MG ele tinha um elenco bem melhor que esse do São Paulo e não conseguiu nada por lá e foi demitido. Sendo eliminado da Libertadores pelo péssimo São Paulo do Edgardo Bauza. E perdeu uma final de mineiro pro América MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*