Empate, apesar de ruim, foi normal dentro das características deste campeonato

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, ninguém pode comemorar o empate em 2 a 2 com a Chapecoense, no Pacaembu, na noite desta quinta-feira. Mas há que se compreender que resultados surpreendentes tem ocorrido neste Brasileiro. Basta lembrar que o líder e virtual campeão perdeu dos dois últimos colocados dentro de Itaquera.

Além do mais, o retrospecto deve ser lembrado, o São Paulo nunca conseguiu uma vitória contra a Chape como mandante. Dá para considerar esse time uma asa negra que temos, assim como o Atlético-PR< jogando na Arena da  Baixada.

O primeiro tempo do São Paulo foi completamente apático. Dava a impressão que era Hernanes e mais dez. Ele driblava, lançava, chutava, cabeceava, marcava, desarmava, enfim, jogou sozinho. Em determinado momento não entendi a razão dele estar jogando mais recuado do que Petros. Mas fez parte de sua iteligência, pois Gilson Kleina colocou dois jogadores para marcar Hernanes. Seu recuo foi para pegar a bola ainda no campo de defesa e armar o jogo a partir dali.

Jogando melhor, a Chape chegou ao gol. Cruzamento de Reinaldo da esquerda, no meio da pequena área, nas mãos de Sidão. Só que nosso goleiro não foi na bola e tomamos o gol. Falha grotesca dele, pois era bola para encaixar, nem para socar.

Araruna fazia uma péssima partida. Marcos Guilherme, por mais que cuidasse do lado esquerdo não deixando Apodi subir, perdeu uma jogada clara de gol, numa cobrança de falta ensaiada (estava dormindo), e Shaylon se omitia do jogo.

Dorival, acertadamente, voltou com Lucas Fernandes para o segundo tempo, tirando Araruna. Perdeu a força de Petros no meio de campo, mas ao colocá-lo na lateral deu maior poder ofensivo ao time. E a Chape estava vivendo de contra-ataques.

O São Paulo cresceu muito, foi para cima, começou um massacra, mas tomou um contra-ataque, pênalti e o segundo gol. Eu joguei a toalha. Achei que poderia ser ainda pior, pois o time se lançaria todo à frente e deixaria a zaga desguarnecida.

Dorival continuou botando atacante. Colocou Gilberto e tirou Shaylon. Já não existia mais esquema tático. Era Jucilei como volante, Luca Fernandes de meia, Pratto saindo para dar assistência, Gilberto enfiado na área e Marcos Guilherme na esquerda. Hernanes foi para a frente. Até Arboleda virou atacante.

Foi muita pressão e, meio na marra, saíram os dois gols que nos deram um ponto precioso, já que a derrota, pelas circunstâncias da partida, era iminente.

Não vou, no entanto, criticar o time e chamá-lo de incompetente. Temos a segunda melhor campanha do segundo turno. Dorival Jr foi contratado com a missão de refazer o que Rogério Ceni desfez: um time. Tirá-lo do Z4 e evitar o vexame maior.  Tirou. Brigar pela Libertadores já seria algo impensável há dois meses. Estamos brigando. Ainda dependemos das nossas forças para chegar a um bom posicionamento que, dependendo do que Grêmio e Flamengo farão na Libertadores e Sul-Americana, respectivamente, darão ao nono colocado uma vaga. E nós estamos nessa briga.

Teremos dois jogos muito difíceis pela frente? Claro que sim. Mas antes sabermos que se perdermos os dois jogos poderemos, no máximo, da adeus a uma chance de classificação para a Libertadores do que viver o que vivíamos há algumas semanas, onde uma derrota significava a volta ao Z4.

Ficou nesta quinta-feira a vontade dos jogadores e o poder de reação. Isso nos dá esperança de que dias melhores, ainda que sejam em 2018. virão.

10 comentários em “Empate, apesar de ruim, foi normal dentro das características deste campeonato

  1. PP,
    voce escolhe nas musicas o que ha de melhor,
    GIGANTE,
    porem,
    no futebolez que entende tanto quanto,
    as vezes derrapa gigante.
    Ceni, nao foi o que tambem esperava dele,
    tentou,
    masss,
    lutar contra
    pixu leko & curriola
    e’ mesmo impensavel,
    pois jogam contra o nosso SAMPAULO,
    o deles e’ outro $£$£$£$£$£$
    oucam a musica em homenagem a essses fdps
    FILHA DA PUTA – ULTRAJE A RIGOR
    Ceni eternamente.

  2. Que absurdo de post…
    Qual time o Rogerio desfez??? O time que quase caiu no ano passado?

    Presta atenção no que escreve… pois isso foi uma bobagem…

    Arboleda, Petros, Hernanes, Marcos Guilherme chegaram depois do Rogerio.
    Edimar, Pratto e Jucilei não fizeram nem pré temporada.
    Militao foi garimpado pelo Rogerio na base.

  3. O problema não é o técnico, alguns que não entendem vão pedir o Cuca, mas o momento é de manter alguem que está fazendo um bom trabalho.
    A derrota é explicada por dois motivos: Sidão e elenco fraco, para 2018 só poderemos insistir se tivermos um bom elenco, caso contrário, não!

    Em relação a pergunta do Beto, um diretor acima de tudo deveria ser profissional, de preferencial algum com conhecimento em private equity, investment Banking ou consultoria estratégica. Qualquer empresa exige um gestor profissional, caso o contrário está fardada a estagnação.

  4. beto disse:
    10 de novembro de 2017 às 15:43
    vou fazer um pergunta para todos

    quem seria um presidente bom para o soberano em 2018?

    todos juntos com o soberano na libertadores

  5. esse não é o editorial que o soberano precisa nesse momento

    eu espero que os próximo editorias sejam mais produtivos para o soberano .

    os anos de 2016 e 2017 deveriam ser melhor analisados.

    todos juntos com o soberano na libertadores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*