Cotia continua nos dando isso: nada!

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, tenho por  costume não comentar jogos da Copinha, a não ser quando algo relevante mereça. Assim o foi na terça-feira, quando o time fez uma exibição estupenda goleando o Atlético-MG por 4 a 0, e como nesta quinta-feira, perdendo para o Corinthians e sendo eliminado da competição.

Dizia no meu comentário anterior que, apesar da vitória e da apresentação espetacular do time, não poderíamos nos iludir, pois precisaria de mais tempo para analisar. E o jogo de hoje comprovou que eu estava certo.

Parece que a vitória contra o Atlético, ao invés de encher o time de moral, fez mal para o elenco. Jogadores entraram de salto alto, achando que a qualquer momento ganhariam do Corinthians, enquanto o adversário jogou mordendo desde o início do jogo.

Não me venham falar que o importante é revelar jogadores, que o título é o que menos importa nesta categoria. Uma banana! O São Paulo sempre terá obrigação de brigar pelo título no torneio que disputar, na categoria que for. E Cotia, mais uma vez, mostrou que um ano de trabalho não frutificou nada. Mudaram os nomes, mas a m…. continuou a mesma. E nós vamos ter que continuar jogando com isso que temos no profissional, sem uma luz no fim do túnel para pensar num futuro próximo.

Sei que este time que disputou a Copinha é o Sub-17, enquanto outros times, como o Corinthians, entraram com o Sub-20. Não importa. Tem que brigar para ganhar.

Claro que não foi tudo tragédia. Gostei de Gustavo Hebling e do Matheus Queiroz, acho que João Paulo pode ser bem trabalhado e Luis Araújo tem que deixar de imitar o Osvaldo. De resto, só com muita boa vontade para esperar alguma coisa útil.

Mas nesta sexta-feira o time profissional estará de volta. Vamos ver o que está sendo feito nessa pré-temporada. E fica aqui minha torcida muito grande pela pronta recuperação de Muricy Ramalho.

14 comentários em “Cotia continua nos dando isso: nada!

  1. O passado tem demonstrado e o futuro demonstrará que a politica de formar jogadores é a que dá resultados melhores que a de formar time com compras para ganhar Copinhas.
    Vamos olhar projetando o futuro e não somente o presente.
    Apoio integralmente a politica de base do São Paulo é só ver o time jogar da forma que estão jogando.

  2. Parece-me que a nova administração de Cotia não teve tempo para ser responsabilizada por qualquer resultado. O time apresentado é resultado de administrações anteriores, tanto que os mesmos erros puderam ser notados.
    Zagueiros grandes, lentos e toscos (Aislam, Bruno Uvini, Lucão), são fruto da mesma filosofia.
    Meio campista, o time apresentou só um, o Gustavo, no mais vários ciscadores.
    Na minha opinião o melhor jogador foi o lateral esquerdo Mateus e, em seguida, o volante Gustavo.
    Aguardemos as próximas participações dos times de Cotia para podermos avaliar a nova administração.

  3. PERDEU E DAI? QUERO VER QUANTOS GROTOS OS MARGINAIS VÃO REVELAR E QUANTOS COTIA REVELA, É SÓ COMPARAR. NA REALIDADE SE ESSES MENINOS GANHAM OU PERDEM PARA MIM NÃO FAZ DIFERENÇA, O QUE IMPORTA É O TIME TITULAR, O CLUBE, O RESTO NÃO INTERESSA.
    QUEM ESTÁ RECLAMANDO SE LEMBRA DE ALGUM JOGADOR DO ROMA QUE GANHOU DO SÃO PAULO NUMA FINAL?

  4. Copiado do Boteco do Morumbi,
    a quem interessar

    O ambiente político do SPFC anda mais quente que o clima infernal e sufocante da cidade de São Paulo. A disputa política rompeu os limites do Morumbi e chegou à imprensa, onde surgiram diversas acusações e denúncias nos últimos dias e semanas. Uma das polêmicas, surgiu após publicação de uma nota no Blog do jornalista Juca Kfouri, onde é comentado um suposto acordo para amortização da dívida tricolor através de parceria com a empresa BWA. Na ocasião da publicação algumas interpretações ao fato ficaram no ar e isso incomodou o mandatário são-paulino, que por sua vez enviou uma carta ao jornalista pontuando e rebatendo ao texto publicado, o que acabou gerando mais polêmica quando a mesma foi respondida na manhã de hoje no mesmo Blog.

    Afim de expor às versões dos fatos, o Boteco do Morumbi teve acesso à carta do presidente Carlos Miguel Aidar e disponibiliza para que cada um possa tirar suas próprias conclusões. A intenção não é defender um lado ou outro da história, mas sim deixar o torcedor a par dos movimentos que fazem parte da disputa política do clube.

    Carta na íntegra do presidente Carlos Miguel Aidar ao jornalista Juca Kfouri:

    S. Paulo, 20/01/2015.

    Senhor jornalista Juca Kfouri,

    Antes de qualquer coisa, lamento que tenha se negado a ouvir minha versão para os fatos sobre os quais escreveu em sua coluna do último dia 15. Aliás, me surpreendeu também que o tivesse feito sem nunca me procurar para checar as informações que passa para os seus leitores, nem todos corintianos como o senhor, mas também muitos são-paulinos, que, com isso, infelizmente ficaram desinformados. Preferiu, assim, a versão distorcida de gente que hoje se dedica exclusivamente a tentar manchar minha honra e a atacar a atual gestão do São Paulo Futebol Clube.

    Ao escrever e publicar seu texto, o senhor tenta, também, atacar a minha reputação e minha honra, apenas baseado em suposições. É minha obrigação, meu compromisso e característica de minha personalidade ser transparente e honesto nas minhas atitudes pessoais e profissionais, mais ainda, agora, em que estou novamente na posição de dirigente esportivo e em vias de completar 70 anos de idade, em que erros desse tipo podem custar caro, já que a expectativa de vida para corrigi-los é, naturalmente, cada vez menor.

    Pensei que ouvir os dois lados da notícia fosse obrigação ética dos jornalistas.

    Mas vamos aos fatos:

    1 – Em resumo, em seus primeiros parágrafos do texto, o senhor fala de uma suposta conspiração para assaltar os cofres do clube. Sugere que toda a minha pregação por uma solução para a trágica situação financeira que o São Paulo FC enfrenta nunca passou de encenação, com o objetivo de fechar negócio com a empresa BWA.

    2 – A dívida bancária do São Paulo hoje é de R$ 160 milhões e pode quase dobrar em um ano por conta de seus custos financeiros elevados. Isto é fato! Inexorável! Facilmente constatável através da simples análise dos dados financeiros do Clube. Chamar a atenção para essa informação é minha obrigação. Aliás, transparência é um dos pilares desta minha administração. Meu objetivo ao expor a dívida não foi gerar “alarme” e sim convocar os dirigentes e Conselheiros para que juntos possamos encontrar uma solução. Como poderia esconder esses números? Isso sim seria incompatível com minha conduta. Esconder dos associados, e dos conselheiros, informações como essa era prática corriqueira na administração anterior. Não na minha! Seria correto com os nossos associados não informá-los, nem chamar a atenção para essa situação? Nem mais cabe a discussão sobre como e quando essa dívida surgiu. Meu dever maior agora é buscar alternativas para solucionar o problema. Mas por estar cumprindo meu papel, o senhor me acusa de ter ardilosamente tramado essa divulgação. Ora, se não informamos, falta transparência, se informamos, somos mal intencionados.

    3 – A decisão de buscar ou não uma solução para essa dívida será tomada soberanamente pelo Conselho Deliberativo. Trata-se de providência de tal importância que precisa comprometer cada um dos que nos ajudam a gerir o clube. O Conselho pode decidir que as soluções apresentadas não são adequadas e não servem ao São Paulo FC. Ou, podem entender que será melhor termos novamente caixa para investir em melhorias no social e investimentos no futebol para nos trazer o São Paulo de volta ao caminho da vitória, do qual nos distanciamos nos últimos anos. Seja qual for a decisão, será tomada soberanamente pelo Conselho, faço questão de repetir.

    4 – Quando aceitei ser candidato, tinham me dito das dificuldades, mas a situação precisa só me foi transmitida no meu primeiro dia de mandato pelo atual Vice Presidente Administrativo, Sr. Osvaldo Vieira de Abreu, homem de confiança, como também o era na gestão anterior. Ele mesmo já teve a oportunidade de confirmar isto na mídia, na presença de Diretores, também para Conselheiros em diversas ocasiões. Quero esclarecer que não há paradoxo na permanência do Sr. Osvaldo Abreu na minha gestão, como alguns insistem em insinuar. A situação financeira do Clube não é resultado da incapacidade do Diretor Financeiro. Ela é resultante de escolhas administrativas que não deram certo, especialmente no futebol. Não fosse pela capacidade profissional e experiência do Osvaldo, a situação poderia estar pior. E aqui saio veementemente em defesa do Sr. Osvaldo Abreu, homem íntegro, probo e que goza de prestígio e credibilidade junto aos sócios e conselheiros do São Paulo FC. Rechaço suas insinuações contra ele ou qualquer outro membro da diretoria.

    5 – O senhor também cita a venda do jogador Lucas. Este é um bom assunto, mas sobre o qual o missivista prefere não especular. Por quê?

    6 – Pelo seu texto não é difícil depreender a enorme admiração que nutre pelo senhor Juvenal Juvêncio. Respeito-a. Mas com certeza o democrata jornalista, sempre tão sensível às causas sociais, faria melhor juízo se conversasse com funcionários do Morumbi para saber como eram tratados pelo ex-presidente (mais uma informação que só vim a descobrir depois de assumir a presidência), se tivesse me procurado, poderia conhecer contratos que estavam escondidos nas gavetas e que agora nos deixam boquiabertos pela desfaçatez. Mas permita-me rapidamente dizer que sobre esses desmandos que encontrei e estou sanando, não falarei, pois o único prejudicado será o São Paulo FC, que está acima de qualquer disputa pessoal.

    7 – Sim, logo que assumi contratei o jogador Alan Kardec. E não foi só: vieram também Michel Bastos e Kaká. Preste atenção nos nomes. Sobre isso também cabe alguma acusação? Não parecem ao jornalista que essas contratações nada se assemelham com as de Cortez, Lúcio, Cañete, Pabón, Clemente Rodriguez e outros? E que esses e outros atletas que não atuam no elenco do São Paulo FC custam aos cofres do clube cerca de 22,8 milhões de reais ao ano em salários!!! Isso é mais um dos fatos que nos leva à situação de penúria financeira que estamos.

    8 – Com a responsabilidade de quem preside um dos maiores clube do mundo, e sendo avalista da dívida, tenho procurado alternativas para resolver a questão, bem como solucionar o problema do nosso fluxo de caixa (relação receita/despesa). No caso da dívida, estudo com a minha diretoria, alternativas e inclusive a possibilidade de ceder a receita da bilheteria em troca de eliminação imediata do passivo bancário (principal, juros e amortização). A princípio, esta última, parece ser uma saída interessante, pois o custo financeiro mais a amortização anual da dívida são superiores a 92,4 milhões de reais (sendo 32,4 milhões de reais só de juros) e a média anual histórica da receita de bilheteria é de aproximadamente 22 milhões (em 2014 a receita com bilheteria foi 19,0 milhões de reais).

    Note que, tudo isso ainda está na fase de estudos. Não há, REPITO, NÃO HÁ qualquer acordo firmado, muito menos assinado com qualquer fundo ou empresa nesse sentido. De fato, o que há é a contratação de uma nova empresa para prestar serviços de catraca e bilheteria, firmada no final do ano passado, a Ingresso Fácil Pré-Venda e Venda de Ingressos Ltda., em decorrência do encerramento do contrato que o São Paulo Futebol Clube mantinha com a empresa Total Acesso.

    No que tange à dívida, qualquer proposta que envolva cessão de receita será submetida à aprovação da Diretoria, e principalmente do Conselho Deliberativo, conforme preconiza o nosso estatuto. Aliás, vale destacar que a cessão de receitas para a obtenção de recursos não é uma medida inédita no São Paulo Futebol Clube, uma vez que no início do ano passado foi firmado contrato deste tipo com fundo de investimento que nos antecipou (a juros, é claro!) valores de cotas de televisão. Portanto, também no que concerne à dívida, não há trama diabólica premeditada. A diferença de lá para cá é que aquela negociação e depois celebração de contrato foram feitas sem divulgação alguma e sequer foi submetido ao Conselho Deliberativo.

    9 – Outro erro que poderia ter sido evitado na sua reportagem: ainda que se (e somente se) o São Paulo Futebol Clube aceitar proposta nesse sentido (e não Legardè, como o senhor afirma) NÃO haverá o pagamento de comissão a quem quer que seja. Isso nunca foi sequer cogitado.

    10 – Ainda sobre suas insinuações a respeito de comissões à empresa da Sra. Cinira Maturana, embora eu entenda que todos os esclarecimentos sobre o assunto já tenham sido feitos, o senhor ainda não os entendeu. Não há problema, esclareço e os repito: o São Paulo Futebol Clube pagará, como sempre pagou, comissões para todos aqueles que trouxerem negócios que sejam bons para o Clube, principalmente sabendo-se da nossa delicada situação financeira. Essa é praxe de qualquer intermediação de negócios. Mas ela não beneficiará a referida senhora. Em maio do ano passado, o São Paulo Futebol Clube firmou contrato com a empresa dela, objetivando a captação de novos negócios. Entretanto, nenhuma comissão será ou foi paga àquela empresa, pois, a pedido dela e com a concordância do São Paulo Futebol Clube, o contrato firmado em maio do ano passado foi distratado no início de janeiro deste ano.

    11 – A respeito das suas insinuações sobre o contrato com a Puma, vale lembra-lo: a) os documentos que provam nossas afirmações já foram publicados por pelo menos dois veículos de comunicação: o Diário de S. Paulo e o portal noticioso em que o senhor trabalha, o UOL; b) o não fechamento do negócio acabou gerando demissões na empresa alemã e essas providências só são tomadas quando alguém comete erro grave; c) as divergências entre São Paulo FC e Puma serão resolvidas em juízo, em ação proposta por nós.

    12 – Finalmente, cabe informá-lo que, para enfrentar o problema do fluxo de caixa, bem como a modernização da gestão (compromisso assumido em campanha) o São Paulo FC contratou o Instituto Áquila, que tem feito um trabalho primoroso (reconhecido pelos Diretores) para preparar o futuro do Clube. A partir deste ano, o São Paulo Futebol Clube trabalhará com metas objetivas para aumento das receitas, redução de despesas, desempenho esportivo e qualificação do quadro de colaboradores.

    13 – E para sanar toda e qualquer dúvida sobre a lisura dessa gestão, estamos assinando contrato com empresa ilibada, de reputação internacional, conhecida como uma das “big five”, para que promova rigorosa auditoria sobre nossos balanços e contratos.

    Eram esses os esclarecimentos que gostaria de ter feito e que, entendo, tinha o direito de ter feito antes da publicação da sua reportagem. Chega de polêmicas desmedidas, inverídicas, manipuladas e alimentadas por aqueles resistentes à mudança e que sofrem de abstinência de poder.

    Não tenho disposição, idade ou desvio de caráter que me permitam participar de tramas diabólicas, novelas, filmes ou estórias. Não! Absolutamente NÃO!

    Tenho certeza que a esperada credibilidade do jornalista o fará publicar minha resposta na íntegra. É o que espero.

    Carlos Miguel C. Aidar

    Observação: Sr. Juca Kfouri, o também jornalista André Kfouri, por sinal seu filho, dentro da melhor técnica jornalística, publicou matéria alusiva à minha filha, não sem antes, porém, ouvir-me e, na matéria, fazer menção ao meu posicionamento.

    A intenção do Blog Boteco do Morumbi é de apenas informar, a carta reproduzida na íntegra é de responsabilidade do autor, sendo disponibilizada apenas para que o são-paulino e torcedor em geral possa tirar suas conclusões e formar sua opinião. A disputa política deveria se restringir aos corredores e alamedas do Morumbi, não se expandir para a mídia tomando proporções incontroláveis… O SPFC é maior que qualquer disputa política, e sempre será!

  5. Discordo e muito de seu ponto de vista, com o devido respeito.
    Ta parecendo o meu, porem o que analiso
    e’ que, durante muitos anos tivemos equipes de kotia,
    onde a mascara imperava,
    a tatica, a tecnica, a raca, inexistiam.
    Esse time, porem, desde o primeiro jogo apresentou um padra’o tatico,
    raca e tecnica condizente, temos ainda bons valores, os dois alas,
    os volantes, meias e atacantes habilidosos.
    Ficamos ainda a um passo da finalissima, onde tivemos um juiza’o imaturo
    deixando o jogo correr como se fosse um futebol americano, onde a falta
    na’o era punida, ora falta e’ falta em qualquer lugar e deve, sim ser punida,
    no basquete americano o contato fisico e’ permitido, aqui na’o, isso e’ ate’
    admissivel tambem no futebol, o conta fisico, mas o que aconteceu ontem e’ lastimavel para iniciantes.
    Numa categoria de base onde ainda os atletas esta’o em formaca’o,
    pancadaria explicita e um juiza’o inconsequente.
    Nosso time foi surpreendido por esse fator, na’o jogou o primeiro tempo
    so’ levou bolacha, no segundo jogou muito e a bola na’o entrou.
    ???Fazer o que ????
    Tivemos uma copinha muito boa, pra idade desses garotos que sa’o sub 17
    ainda, e pra mim recuperaram, sim, o status Kotia.
    Falta agora dar continuidade com o projeto Nacional,
    coloca-los la, juntos com mais alguns tipo Evandro, Ademilson, Loka’o, Auro,
    joanderson se ficar, pra levarem pancadas na segundona, e aprenderem
    a verdade do futebol. Na’o sei como esta o projeto Nacional, porque na’o acredito mesmo nessa kartolagem, tipo PTrobraiz, mas este
    seria o verdadeiro caminho, pra ver realmente quem se salvara no futuro,
    depois de um ou dois campeonatinhos pelo interior, jogar a base e’ facil,
    com toda essa infraextrutura que Kotia oferece.
    Ainda, esse time da copinha tem aquilo que durante um ano todo
    o profissional, na’o ofereceu, intensidade, tatica, vontade,
    o time ainda na’o e’ previsivel, dependente de um ou dois medalho’es
    como o de cima, que jogam em funca’o deles e quando na’o acontece
    e’ um desastre so’.
    Vamos agora ver se esses profissionais da bola mellhoraram com novas
    contratacoes duvidosas faltando ainda defesa e atacantes, porque confiar
    no medalha’o atacante e’ morte certa. Hoje, temos a estreia, jogando
    com um timeko da segundona.
    Enfim, se Kotia, continua igual,
    ??? o que dizer dos marmanjos ???
    ???? ainda da kartolagem?????.

  6. Desde o início da competição tenho dito que o time não é brilhante, porém ouso discordar do articulista, quanto ao resultado.
    Acompanhando os campeonatos do ano passado e o início desta copinha, não esperava ver o resultado que a garotada alcançou. O jogo contra o galo foi antológico; o de ontem, a meu ver, foi perdido nos detalhes. Achei pênalti, sim, sobre o Luis Araújo, que, após cortar para dentro o zagueiro, foi abraçado e impedido de continuar na jogada; se tivesse sido fora da área, por certo, o apitador teria dado a falta. Se convertido a história seria diferente!
    Pesou também, como fiz meu comentário sobre o que esperava do jogo de ontem, o perfil do árbitro, que começou deixando o “pau comer” e isto, além de inibir alguns jovens jogadores – como, por ex. o Lucas Evangelista, irritou a maioria, que perdeu a concentração, acabando por tomar dois gols por falta dela. Depois foi aquilo que vimos: no restante do primeiro tempo a garotada perdida; no início do segundo tempo, a bola insistindo em não entrar – coisas de futebol, não era o dia.
    Ontem fiz uma observação quanto ao resultado do jogo e o futuro do João Paulo. Mesmo perdendo do jeito que foi, ele se salvou, sim, e muito bem. Enfrentou uma forte marcação, com um sempre na sobra, e ganhou com folga o duelo contra os zagueiros. Mesmo que não tenha marcado como na terça – parece destino quando o jogo é contra o corintias ; se contra o galinho, a bola teria batido na trave e entrado. Que o jogo de ontem sirva para os enfrentamentos da Libertadores, caso o curintia se classifique – parece problemas psicológicos.
    A meu ver, pela copa toda e especialmente por alguns jogadores, como Luís Araújo; João Paulo; Gustavo volante; Foguete, acho que valeu a pena. Passei até a respeitar o trabalho do Menta…

    • Concordo totalmente, acho que nao e porque nao ganhou que o trabalho e ruim, e nem porque perdeu, nada presta. E tem outro detalhe, nao pensem que de uma hora pra outra vai se aproveitar um time inteiro de baixo no time profissional. Se uns 3 ou 4 jogadores forem aproveitados o trabalho tera surtido efeito. E assim que vejo que a coisa funciona.

    • Concordo com você. E discordo muito do Paulo Pontes com relação a ganhar competições de base, o Corínthians já ganhou muitas e quase nenhum desses jogadores vingou no profissional, provavelmente na mesma quantidade e qualidade que o Tricolor, então, qual é a vantagem?
      Pra mim, base você só cobra título de seleção. Clubes tem base para revelar jogadores para o profissional, e algumas promessas apareceram, pena que não seja nenhum zagueiro.

  7. Só a diferença de idade já explica o massacre. Gostei dos meninos, o Corinthians ganhou porque os moleques de lá são mais calejados. Esse João Paulo é o atacante que o Muricy tanto quer. Deveriam parar de gastar à toa e subir esse moleque.

  8. Heranças de JJ e Geraldo!!!!

    Não vai se aproveitar um jogador para ser titular esse ano e futuramente desse elenco!!!

    Fracos!!! Fazem parte da colônia de férias de Cotia!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*