O “Wednesday day” do Morumbi

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, a quarta-feira promete muito pelos lados do Morumbi. Teremos a eleição da nova mesa diretora do Conselho Deliberativo, do presidente da diretoria e da cobertura do Morumbi.

Começo pelo Conselho Deliberativo. Por acordo firmado lá atrás, para retirada de candidatura, Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, será eleito presidente do Conselho, substituindo o atual José Carlos Ferreira Alves. Por mais que não nutra tanta simpatia por Leco, tenho real esperança que seu mandato à frente do nosso Conselho será bem melhor do que o exercido pelo atual presidente. José Carlos Ferreira Alves foi, digamos, um político exercendo a presidência. De fato nada fez que quisesse, mas sim foi um mero cumpridor de ordens de Juvenal Juvêncio, que mandou e desmandou no Conselho nos últimos anos. Se isso foi bom para a diretoria, muitas vezes pode ter sido nocivo para o clube e, consequentemente, para os sócios.

Já para a diretoria, não resta dúvida que Carlos Miguel Aidar será eleito. O mínimo que espero é que ele dirija o São Paulo com soberania, fazendo que nosso clube retorne ao patamar mais alto da história, de onde nunca deveria ter saído. Que não haja nenhum novo rasgo em nosso estatuto e que as regras sejam fielmente cumpridas. Suas promessas de campanha, resumidas na entrevista que publicamos no Tricolornaweb, ficarão arquivadas e serão cobradas nos próximos anos.

Mas a situação ficará tensa na votação da cobertura do estádio do Morumbi. A oposição já deu como certa a derrota para a presidência, então vai esvaziar o plenário para não dar quorum e, consequentemente, não permitir a votação do projeto.

Na minha opinião o projeto de cobertura do Morumbi, com a construção da Arena de shows, não carece de nenhum retoque. Está perfeito. Mas sou absolutamente contra o projeto de estacionamentos, que vai acabar com a alameda arborizada do clube e destruir o cenário que passa total tranquilidade aos sócios. Também não concordo com o projeto de estacionamentos apresentado pela oposição, pois destruiria o campo de futebol social.

Então entendo que a melhor coisa a se fazer é haver um entendimento entre as partes, que o Morumbi tenha sua cobertura aprovada com urgência mas que encontrem uma maneira melhor de construir os estacionamentos sem destruir o que é direito dos sócios.

2 comentários em “O “Wednesday day” do Morumbi

  1. Li entrevista do MAC já contando com a vitória da situação, inclusive fazendo menção o quanto todo desgaste com JJ interferiu em sua vida pessoal.
    Segundo ele também os eleitores da sauna, das piscinas e de outras tantas atividades do clube é que predominaram nas eleições, que a meu ver, corretamente se unem, pois, desejam maior controle sobre futuras obras para não perderem seus espaços sociais.
    Uma vez que todos estes associados gostassem de futebol e torcessem pelo São Paulo, não vejo motivos para preocupação, todavia, conforme estatísticas o grupo de não torcedores de futebol, no Brasil, supera as torcidas do Flamengo e Corinthians juntas, o que vale dizer que muitos deles podem ser associados do clube, com agravante que os que não fazem parte deste grupo podem ser torcedores de outras agremiações.
    Realmente o futebol do São Paulo, conforme estamos presenciando já algum tempo, pode estar indo para o esgoto, pois, começa a ser menos importante do que a farra do leitão com cerveja na antessala da sauna para os gordos de roupão.
    Será que o time de futebol mais vitorioso do Brasil merecia este tratamento?
    Muita gente que sofreu para criar um time FUTEBOL deve estar se revirando nos túmulos.

  2. Algem me disse o poder fala mais alto.
    Pelo poder pode tudo.
    Cansei.
    Sabem duma coisa, cansei tambem com essa politicalha do futebol.
    E deprimente, as forcas se voltarem contra o proprio patrimonio.
    A cbf, os stjds, as arbitragens, as cartolagens,
    os proprios clubes coniventes e vendidos no caso da portuguesa,
    que nao diz quem a corrompeu e engana seus torcedores,
    nosso clube de primeirissima grandeza que se tornou
    um timeko no final da gestao desse ditador mentiroso
    e de toda sua diretoria maldita,
    e eu tenho que conviver com toda essa hipocrisia,
    nao da mais mesmo.
    Agora vem o problema com o Icasa,
    e se fosse algun clubeco do rio o posicionamento de quem
    manda seria diferente,
    entao, dane-se tudo mesmo.
    E melhor ver mesmo tudo de longe
    e aceitar mesmo, porque nos jamais teremos
    forcas de arrumar alguma coisa
    em qualquer policalha ou kartolagem.
    Essa turma ta pouca interessada em acertar nada,
    mesmo.
    Entao, fui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*