O São Paulo ganhou um ponto em BH. Mas poderia ter trazido três.

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo conseguiu segurar o Atlético e trouxe um bom empate de Belo Horizonte neste domingo. Se formos considerar que o Galo é o time que está jogando o melhor futebol do País e vem embalado na Libertadores, gerando um trauma no São Paulo, pois ele nos eliminou com duas vitórias (aqui e lá), temos que comemorar este ponto. Quanto mais que jogamos, mais uma vez, com dez jogadores boa parte da partida, pela expulsão do Denilson.

Mas entendo que perdemos a chance – até pela expulsão – de ganhar o jogo. O Atlético apelou para as faltas no segundo tempo, com total condescendência do juiz, pois estava sem pernas. Prova disso foi que, mesmo com dez jogadores, o São Paulo teve chance clara de gol com Osvaldo, que dentro da pequena área recebeu de Aloísio e bateu por cima do gol.

E vou colocar mais um ponto aqui: a arbitragem. E não é choro de perdedor, pois não perdemos. A expulsão foi justa. Mas Tardelli, que já tinha cartão amarelo, xingou o árbitro à vontade quando ele não marcou uma falta – na visão do atleticano, não na minha – e Sandro Meira Ricci não fez nada. Logo depois deu um cartão a Maicon por reclamação na marcação de uma falta; deixou bater uma falta gerando grande risco de gol quando começava a fazer a marca no chão. O gol só não saiu graças a uma defesa milagrosa do M1TO e o travessão. Ou seja: mais uma vez fomos prejudicados pela arbitragem deste Sandro Meira Ricci, que sempre apronta em jogo do São Paulo.

É evidente que o Atlético também teve muitas chances, principalmente após a expulsão. E Rogério Ceni tornou-se o grande nome do jogo, ao lado de Lúcio, um gigante na defesa.

Não gostei de Lucas Evangelista e não entendi a demora de Ney Franco em substituí-lo. Poderia ter voltado para o segundo tempo com Silvinho e jogar com dois atacantes abertos. Lucas Evangelista sentiu a estreia e foi um peso morto no time.

Apesar disso, jogando com dez quase todo o segundo tempo, com as ausências de Toloi – apesar de Paulo Miranda ter feito grande partida -, Jadson, Ganso e Luis Fabiano, e ainda com a contusão de Carleto logo no início do jogo, o São Paulo comportou-se bem e deu, a nós, uma certa esperança que tudo não está perdido. Ao contrário, temos um time em condição de disputar o título e, portanto, temos como torcer.

6 comentários em “O São Paulo ganhou um ponto em BH. Mas poderia ter trazido três.

  1. A lista de dispensa deveria aumentar para oito.

    ?????????? Quem seria ??????????

    Um tal de pipoka come dorme

    xinelinho folgado.

    vazzzzzzzzzzzzzzzzzzza

    • eu já vejo isso assim:

      esse tipo de comentário não influencia em nada a diretoria a tomar alguma providência em relação a negociar o jogador.

      por outro lado, esse tipo de comentário, se lido pelo LF, apenas contribui para deixá-lo ainda mais desestabilizado emocionalmente., o que, por consequência, faz ele atuar com menos confiança.

      resumindo… comentário que apenas atrapalha o time.
      pode até te rum fundo de verdade, na opinião de alguns..
      pode até ser vir para o torcedor extravasar algum ódio incontido…

      mas vai contra o time e o clube!

      não sei se torcer é extravasar raivinhas ou se é ajudar o time!
      alguém sabe???

  2. Este soprador de apito a exemplo de outros que tem por ai faz de tudo para prejudicar o tricolor. Acompanho todos os jogos com muita atenção e posso afirmar que ele é mau intencionado, e, claro, ninguém vai fazer, ele vai continuar fazendo as cirurgias dele e zombando da cara dos torcedores tricolores…. Pelo motivo que ele expulsou o Denilson, ele jamais expulsaria alguém do Atlético; Um dos objetivos dele era ter sido gol do Atlético naquela falta cobrada e se não fosse o RC ele tinha feito o trabalho 100%.
    O pior cego é aquele que finge que não vê!!

  3. Concordo integralmente com sua observação sobre a atuação do árbitro. Não acho que ele estava mal intencionado, apenas acovardou-se.
    Pensei a mesma coisa que você quando vi o Tardelli reclamando. E a cara de idiota dele, quando o Ronaldinho bateu a falta? Ele estava marcando o lugar da cobrança, ficou por um segundo pensando no que fazer e decidiu acompanhar o lance. É um banana. Se vai marcar o lugar e contar passos, dá a entender que a falta vai ser cobrada somente após o apito. Não pode fazer isso e depois deixar correr, pois prejudica uma das equipes. Certa vez o Palmeiras aplicou esse golpe no S.Paulo, o gol saiu e foi uma baita discussão. Na ocasião, venceu a malandragem e a estupidez do discurso pautado pela expressão “critério do árbitro”. A imprensa repete tanto essa besteira e não percebe a falta de profissionalismo que ela revela. O critério para todas as situações comuns do jogo deveria ser o da federação. A critério do árbitro deveria ficar apenas o imprevisto, o excepcional. E uma cobrança de falta com barreira não é nada excepcional. E o cartão amarelo para o Denilson? Nem falta foi. Hoje em dia, nas disputas de bolas altas, há atleta que não pula para disputar a bola, prefere se jogar pois é mais fácil e mais seguro quando se tem um banana no apito.

  4. Paulo Pontes espero que a diretoria colabore e traga ao menos 2 bons reforços é urgente trazer um bom volante e um bom atacante , ficar dependendo do Luis Fabiano estamos fritos ou esta suspenso ou machucado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.