Derrota irrecuperável no Morumbi

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, a derrota do São Paulo para o Goiás, no Morumbi, é daquela que você só vai recuperar no campeonato do ano que vem. Ou seja: são três pontos que não se conquista mais. O pior foi tomar o gol com um minuto e meio de jogo, ter mais 88 minutos (fora os acréscimos)  e não conseguir, ao menos, empatar a partida.

Não sou fervoroso defensor da demissão de Ney Franco e muito menos defendo a volta de Muricy Ramalho nesse momento para o São Paulo. Mas sou obrigado a reconhecer que nosso técnico foi o responsável direto pela derrota desta quarta-feira.

Ney Franco entrou com o time errado. Quando todos esperavam – e era a hora disso – do 4-3-3, com Aloísio, Luis Fabiano e Osvaldo na frente, e Ganso no meio, ele entra com Maicon e mantém Aloísio na defesa. Aí, no intervalo, coloca Aloísio e tira Douglas, passando Rodrigo Caio para a lateral. Numa única substituição ele matou o lado direito do São Paulo, porque, mal ou bem, Douglas fazia jogadas de ataque e causava preocupação ao lateral do Goiás, deixou o meio de campo vulnerável, pois Wellington continua muito mal, e tirou quebrou o domínio de do meio para a frente, pois Maicon, mesmo que sem qualidade, fazia isso, enquanto Ganso estava morto. Aliás, a escalação de Maicon deixou Ganso completamente sem função.

Percebendo o erro, Ney colocou Caramelo no lugar de Maicon, voltando Rodrigo Caio para o meio. Não mudou muita coisa, pois Caramelo foi responsável por uma jogada patética, quando avançou pela direita e caiu sozinho, coisa que mesmo em várzea, quando  acontece, vira motivo de risos.

Para completar o quadro, tirou Juan, numa nítida tentativa de agradar a torcida, e colocou Silvinho. Mas aí já era tarde demais.

Por incrível que pareça, mesmo jogando mal e tendo perdido a partida, o São Paulo ainda cansou de perder gols. Somente no segundo tempo foram dois com Aloísio – numa mesma jogada -, uma absurda com Juan, uma com Luis Fabiano, uma com Osvaldo e uma com Maicon. Pontarias péssimas. Sem contar o pênalti não marcado, quando um zagueiro do Goiás meteu a mão da bola para desviar um chute de Maicon.

Enfim, tudo o que fizemos para conseguir aquela “gordura” nas primeiras rodadas, jogamos por terra nessa quarta-feira. E o Goiás, para quem quer ser campeão, é daqueles times em que se faz necessário vencer dentro e fora de casa. Por isso esses três pontos perdidos nesta partida são irrecuperáveis.

7 comentários em “Derrota irrecuperável no Morumbi

  1. Fiquem com esse nota deixxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    A serie b esta ali mesmo.

    Como um trenero meia boka pode errar tanto

    num time de primeira linha

    e continuar errando jogo apos jogo

    com um time sem padrao tatico nenhum

    e ainda continuar com gente da area

    apoiando a nao demissao desse falastrao.

    O kara sempre tira o seu da reta,

    como o pipoka, que o time nao criou nada.

    ??????? E ele nao e kapaz de correr dez metros ????????

    Onze milhoes e muito dinheiro pra tamanha porkaria.

    Nota deixxxxxxx, voce o JJ, e toda essa diretoria e pura merda.

    Se o Goiaz veio pra se defender e voce sabia

    porque nao escalou Aloizio de saida,

    voce e um gozador kara, um fanfarrao e quem te apoia

    nao ve futebol.

  2. Fico indignado com tamanho cinismo desse técnico, como disse ontem, ele nem deveria ter aceitado o boné, e é claro que o ditador JJ não aceitará e nem pedirá o boné de volta e nós torcedores vamos continuar sofrendo e aguentado gozações principalmente da imprensa corintiana. Quem perdeu para o Goiás em casa vai ganhar do Grêmio em Porto Alegre? Difícil de engolir hein?

  3. Concordo com que o Pedro, em comentário abaixo, diz.
    Está claro a incapacidade do Ney Franco em dirigir o SP. Pode ser que ele faça um ótimo trabalho em uma equipe pequena ou média; para o SP, entretanto, ele não tem a bagagem necessária. Depois de um ano treinando esse time em bolas aéreas, tanto no ataque como na defesa (pelo menos é o que ele diz), o time consegue tomar gols de cabeça, praticamente, em todos os jogos; todos os adversários já tem isso em seu planejamento: alçar bolas na defesa tricolor que, com certeza, vai ” entregar para o bandido”.
    Outra coisa: dificilmente o NF acerta na escalação e, principalmente, nas trocas de atletas durante a partida. Ontem, jogando em casa, contra um time “meia boca”, quando todo mundo esperava um time com três atacantes para tentar golear, eis que surge um 4 4 2, com dois armadores lentos, e com um centroavante ineficaz. Pior foi depois. Mesmo com o Ganso não jogando nada todo o primeiro tempo (me lembrou o Evangelista no jogo contra o Atlético), ele não teve peito para saca-lo do time e colocar o Aloisio; e todos viram como ficou o time no segundo tempo.
    Mais outra: mesmo que o NF goste de trabalhar com jovens jogadores, a impressão que me dá é que ele não tem a mínima psicologia para lançar esses atletas. De-repente ele resolve e, do nada, manda um para o campo, quase sempre em situações adversas para eles.
    Foi assim no domingo com o Evangelista, foi assim ontem com o Caramelo (acho que marcou negativamente as estreias dos garotos).
    Tem mais: o NF não tem estofo suficiente para colocar no banco de reservas nem o LF e muito menos o RC que, cá pra nós, em outros tempos não tomaria o gol de cabeça que o Rodrigo fez, apesar da enorme falha da defesa.
    Por isso tudo, sou de opinião que está na hora do Ney Franco procurar outros desafios, outros ambientes para trabalhar. Ele é uma ótima pessoa: correto, educado, trabalhador, mas sem os predicados necessários para ser o treinador do nosso tricolor.
    Agora, a torcida pedir pelo Murici também já é demais, né! Deixe o “trabalhador” em paz. É outro ótima pessoa, do bem, mas ultrapassado como treinador de futebol (já deu muita alegria com as conquistas seguidas do brasileirão, mas, tb, já nos fez passar muita raiva).
    PS: Nos dois últimos jogos, eu que sou um ferrenho crítico do futebol do Douglas, achei que ele jogou muito bem; muito além do que vinha jogando (inclusive chutando bem a gol e criando boas jogadas no ataque sem comprometer na defesa). Muito bem. O que prova que eu realmente não entendo nada de futebol é que, quando ele fazia o ridículo de tentar ser um atacante, no máximo, no segundo tempo, quando o treinador mexia no time, ele voltava para a lateral; agora que ele, a meu ver, estava indo bem, eis que o treinero o tira do time para improvisar!. . . . Nossa, preciso urgente de uma consulta oftálmica para enxergar um pouco do que o Ney Franco enxerga! . . .

    • Paulo Roberto estamos alinhados, na sua colocação quanto ao caráter do técnico me lembra o “politicamente correto” e ao mesmo tempo o que Charlton Heston falava sobre estas figuras “os politicamente corretos são ditadores com bons modos” simplesmente insuportavelmente chatos.
      Quanto ao substituto dos disponíveis sou Mano Menezes, profissionalismo acima de tudo.
      Cordiais Saudações Tricolores

  4. Acho que não é hora de mandar o treinador embora, não é hora de desespero. O Ney é um excelente técnico, mas nem todo técnico acerta sempre.

    E muito menos seria a hora de Muricy. Aí sim, veríamos este time piorar muito.
    Fora que, por respeito ao Muricy, devemos deixar que ele descanse e cuide da sua saúde, pois o ser humano vem em primeiro lugar.

    Vamos acreditar no projeto, mesmo com todas os obstáculos que projetos assim podem ter.

    Abraço!

  5. O NEY FRANCO JA TEVE MUITO TEMPO PRA MOSTRAR SERVIÇO E NAO FEZ, PRE TEMPORADA, 15 DIAS A GORA E NADA MUDA TIME BAGUNÇADO E MAL TREINADO, VAMO JOGAR O ANO FORA DE NOVO COM ESSE TREINADO QUE SERVE PRO COXA, IPATINGA E CIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.