A derrota para o Atlético-MG não foi o fim do mundo

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo perdeu para o Atlético-MG em Belo Horizonte, num resultado que, convenhamos, era previsível. Fez um primeiro tempo horrível, sem dar um único chute a gol e um segundo tempo digno de quem está disputando um torneio importante e que precisava do resultado. Componentes que unem o azar às falhas decidiram o resultado.

O primeiro gol, dito pelo próprio Ronaldinho Gaúcho, foi absoluta sorte. O time não treina esse tipo de jogada. Sorte deles, azar o nosso. Mas nesse gol acrescento: o time do berçário do meu bairro não tomaria gol igual. Ou, para não ser tão ofensivo, nos rachões lá no clube não são marcados gols deste tipo.

E na minha opinião falharam Rogério Ceni, que viu o atacante ali e não chamou a defesa, talvez pensando inocentemente que ele não faria um mal desses ao “amigo; Rhodolfo e Lúcio, pois Jô passou no meio dos dois, correndo na direção da área para marcar o gol; Cortez que estava marcando a bola; e os volantes, que deveriam colar em Ronaldinho, e o deixaram livre.

O retrato do primeiro tempo foi sintetizado nas palavras de Rogério Ceni, na saída para o vestiário: “não podíamos cometer falhas. E falhamos”. Foi esse o detalhe, até porque, por mais que o Atlético tenha dominado por inteiro o primeiro tempo, teve apenas mais uma chance clara e gol, com boa defesa de Rogério Ceni.

O São Paulo tinha Paulo Miranda, que perdia todas as disputas com Bernard; Douglas, que não conseguia ajudar na marcação, muito menos atacar, como era intenção de Ney franco ao escalá-lo; Jadson que não conseguia armar uma jogada; Wellington e Denilson que se revezavam na marcação de Ronaldinho, mas invariavelmente eram batidos; e um ataque inoperante por completa falta de assistência.

Pensei que Ney Franco fosse mudar para o segundo tempo, mas nada. Então o quadro pouco se alterou. E só mudou porque Paulo Miranda tomou um cartão amarelo e, certamente, seria expulso. A entrada de Aloísio, com Douglas passando para a lateral, surtiu efeito. O São Paulo cresceu e passou a pressionar. Depois veio Ganso, que também acertou o passe do meio.

Mas novamente Ronaldinho desequilibrou, passando por um Ganso imóvel e um Wellington com medo de chegar no jogador atleticano. Cruzamento para o meio da área que encontrou um Rhodolfo preso ao chão e Rever cabeceando quase sem pular.

Luis Fabiano, que no primeiro tempo fora presa fácil da zaga adversária, resolveu sair da área. E numa dessas meteu uma linda bola para Aloísio marcar o nosso gol. O São Paulo continuou pressionando e ainda teve a chance, no último lance do jogo, nos pés de Ganso. Mas, de novo, o azar, para nós, esteve presente e a bola tirou tinta da trave atleticana.

Não estou no barco daqueles que acham que o fim do mundo chegou e que com este time não chegaremos a lugar nenhum. Acho que temos um bom elenco. Falta Ney Franco encaixar um esquema para Ganso jogar. E falta, principalmente, a diretoria abrir a mão e trazer um jogador que supra a ausência de Lucas, ou explique onde foi enfiado o dinheiro da venda do nosso craque.

10 comentários em “A derrota para o Atlético-MG não foi o fim do mundo

  1. Vou analizar alguns jogadore do São Paulo :

    1- Wellingthon – parece o amaral ex-curintians piorado, falhou no jogo contra o Santos e neste contra o Galo. Rodrigo Caio
    2- Rodolfo – mediocre em todos os sentidos só tem tamanho e não tem tempo de bola – Toloi
    3- Cortez grande peladeiro – Carleto
    4- Douglas parece que é mais não é – Henrique Miranda.
    5- Luis Fabiano imprevisivel devia assistir o jogo entre Toluca x Boca para aprender que pode jogar a bola por cima do goleiro, Futebol é jeito e não força.
    6- Jadson deve ser proibido de voltar depois do meio campo de defesa, se acha um craque. Humildade é bom..Canete.
    8- Ney Franco poderia deixar de ser teimoso um pouco e não achar que certos jogadores tem que insistir(Douglas)..
    Obs; minha opinião.

    Abraço.
    7- Adenilson como jogador não tem nenhum futuro, só sabe correr.

  2. A obrigação do nosso presidente era contratar um BOM JODADOR para substituir Lucas, mas o não fez, contratou jogadores que não passam de promessas e ainda não quer ser criticado? Não me venham com desculpas, o mercado é simples tanto q o napoli preferia emprestar o Vargas para o arsenal pois tinha a intenção de vende-lo após o empréstimo e o SP com caixa para contratar, só ouvi falar em empréstimo! Nem proposta rasoável de compra fez! Acho que não podemos achar q está bom perder para nenhum time, alias não tenho medo de enfrentar nenhum time da América mas está faltando um bom jogador pra fechar o elenco está! E é pra ontem!!!

  3. Já comentei neste site minha opinião a respeito do técnico Ney “Fraco”, anotem o que disse no comentário anterior: Ele está indo no mesmo caminho de Paulo Cesar “Enganador” Carpegiani e Emerson “Truculento” Leão, a cada jogo e nova derrota vejo de forma mais nítida mais uma temporada perdida que se fortificará com a derrota para o Atlético no Morumbi.

  4. Perdão amigo P. Pontes, mas pela grandeza do Soberano, não existe e nunca deverá existir uma DERROTA PREVISÍVEL… Por favor suprima essa expressão do seu comentário. Como um time grande, que somos, temos que jogar sempre pela VITÓRIA. No nosso regulamento interno de torcedor, não existe nenhum item que estabeleça um eventual DERROTA PREVISÍVEL…efetivamente não gostei. Se partirmos de uma análise desse viés, na percepção de uma eventual DERROTA PREVISÍVEL, por quê torcer? Por quê perder tempo precioso se a previsão é de derrota…Para encerrar…lembro que um dia nos apelidaram de CLUBE DA FÉ…e na fé, nenhuma DERROTA É PREVISÍVEL…

  5. Se a derrota era presivivel como a tempos vinhamos falando porque a diretoria não se mexeu atraz de boas contratações , ai a derrota não seria presivivel.

  6. “Cansado” de ser otimista a toda hora , toda hora a desculpa que a derrota era presisivel , que temos que ter paciencia e mais um monte de bla bla bla , porra aki é SPFC , nunca temos que achar que perder é normal e ta bom e ficar por assim mesmo , ja sabiamos que iriamos perder o Lucas a tempos e a diretoria ficou apenas no nome do Vargas e não se mexeu atraz de outros nomes , e agora estamos nesta situação sem time definido , e podendo entrar em situação delicada senão vencer os 2 proximos jogos no Morumbi , e com tudo isso com 90 milhões nos cofres , e a diretoria com a desculpa que nao tem opções no mercado , o que falta é boa vontade desta diretoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.