A vergonha na venda dos ingressos

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo vendeu, em menos de 24 horas, os 64 mil ingressos para a final da Copa Sul-Americana, dia 12, no Morumbi, contra o Tigre. Entretanto poucas vezes na minha vida, para não dizer que é inédito, vi algo semelhante, onde direitos foram jogados ao lixo e o desrespeito imperou.

Quem conseguiu entrar no tal site acesso fácil? Aliás, é bom que se pergunte, quem é que escolhe e como escolhe o site que vai receber a benesse  da venda de ingressos para um jogo desta envergadura? Soa estranho, não acham? O tal do Acesso Fácil não tem a menor estrutura para atuar nessa situação. E os responsáveis pela escolha deveriam saber isso. Ou são todos amadores na diretoria (isso só para pensar com alguma ingenuidade)?

Sócios torcedores, que pagam o ano inteiro uma mensalidade e tem, no contrato, a garantia de ingresso para qualquer jogo, ficaram a ver navios. Até porque quando se deram conta de que a venda havia iniciado e apenas pela internet, Inês era morta.

E os sócios do clube, que contribuem com manutenções altíssimas, gerando receita para o São Paulo? Sempre tiveram a possibilidade de comprar o ingresso na Tesouraria. De alguns dias para cá a venda passou a ser feita numa cabine, na saída do clube. Também ficaram de mãos abanando.

Provavelmente a única categoria que foi respeitada foi a de proprietários de cadeiras cativas no estádio. Bem, se eles também não conseguissem o ingresso, então poderíamos fechar o Morumbi.

Outro dia disse que o departamento de Marketing do Corinthians havia aprendido com maestria como desenvolver trabalhos que trazem frutos ao clube com o São Paulo. Só que aprendeu e inovou, enquanto nós ficamos parados ao tempo, olhando para o umbigo, com arrogância e prepotência, nos julgando insuperáveis.

Pois bem: Corinthians, Grêmio e Internacional têm controle do número de jogos que cada torcedor vai. E quanto surge um evento desta importância, abre a venda privilegiando aqueles que foram em mais jogos, que enfrentaram frio, chuva e sol, para assistir um jogo contra o Bahia, ou contra a LDU de Loja. Esse torcedor não merece ser privilegiado, a despeito daqueles que só vão na final?

Sei que vai ter muita contestação deste meu editorial dentro da diretoria, mas nós ficamos para trás em tudo destes nossos adversários. E isso só não vê quem é cego. E o pior cego é aquele que não quer ver.

Eu, assim como toda a imprensa esportiva de São Paulo, vou fiscalizar a ação dos cambistas dia do jogo. Não me venham com essa conversa que a venda foi feita corretamente, sem que cambistas tenham feito grandes compras. E vou denunciar aqui, na Jovem Pan, para a polícia e para quem for de direito. E seio que a diretoria vai falar: “cambista não é problema nosso, mas da polícia”.

 

14 comentários em “A vergonha na venda dos ingressos

  1. Paulo,
    Mais uma vez vc se mostra bem informado e lúcido em seus comentários.
    Sua critica é absolutamente procedente e importantíssima.
    A questão não é a venda de todos os ingressos em 24 h, mas as falhas gritantes que aconteceram.
    Várias informações erradas: disseram que a venda só começaria dia 3, mas começou no dia 2, domingo a noite. Em determinado momento o site dizia que determinado setor estava esgotado e depois voltava a vender ingressos nesse mesmo setor. Isso sem falar na extrema falta de capacidade técnica para grande procura como essa, visto o tratamento constante do sistema.
    Existem milhares de ingressos nas mãos de torcida organizada. Tiveram prioridade? Lotes de ingresso não foram desviados para os cambistas? Apareçam no entorno do Morumbi e confiram.
    Mais uma vez mostraram-se incapazes de desenvolver e gerir um programa sócio- torcedor decente, fonte de receita importantíssima nos principais clubes do mundo. Mensalidades foram pagas e o serviço não foi entregue: prioridade e comodidade na compra de ingressos. Jogaram a credibilidade do programa no LIXO!
    Por fim, parabéns Paulo pela lucidez e defesa do bom funcionamento do clube e respeito ao torcedor/consumidor.

  2. Paulo, também concordo contigo, sou ST e fui em todos os jogos da Sulamericana e fiquei me imaginando não conseguir ingresso quando eu vi que começou a ser vendido as 19:50 e corri para casa (cheguei em 10 minutos) para comprá-los mas o site já estava apresentando demora. Fiquei insistindo até as 00:30 quando finalmente conseguir comprar.
    Com certeza a prioridade de venda deveria ser para o ST e acredito que essa é uma prioridade que já até estipulada, quando você se associa.
    Até mesmo o Palmeiras quando chegou a final da Copa do Brasil, usou-se dessa prioridade para conseguir mais associados para o Avanti, não é possível que seremos inferior a essa Diretoria de rebaixou um time grande.

  3. Como tudo na vida, esse “problema” deixou patente a força que tem o Tricolor…Esgotar a venda de ingresssos em apenas 24 horas, mesmo que tenha havido interferência de cambistas, é uma façanha, uma prova evidente do poder de agregação da nossa massa torcedora quando o time responde dentro de campo. A lamentar o fato de o Estádio ter encolhido nos últimos anos e com isso não mais acomodar 110 mil pessoas, como acontecia no passado. Broncas à parte, vamos torcer para que esse ano acabe com um título internacional!

  4. Sãopaulinada: nos que não conseguimos comprar nosso ingresso para a final, vamos torcer pela tv, no conforto do lar, tomando aquela cerva geladinha, mesmo que chova, com todo o conforto e muita emoção tb. Parabéns para quem vai estar lá. Chará, achei meio que “amargo” seu texto. Essa venda fantástica não depõe contra nossa diretoria; pelo contrário . . .
    abraços

  5. Paulo, acho que você está se deixando levar pela sua briga com a diretoria.
    O SPFC vendeu mais de 64000 ingressos em menos de 24 horas e isso é incopetência?
    Quando os ingressos eram vendidos nas bilheterias todos da imprensa falavam que o sistema era ultrapassado e que as vendas deveriam ocorrer pela internet, pois bem, o SP assim o fez e agora é criticado por você.

    • Cláudio, meu amigo, todos têm o direito de discordar do meu comentário e externar esse descontentamento aqui, como está sendo feito. A tribuna é livre. Mas você foi infeliz ao justificar minha posição no editorial com a briga com a diretoria. Sei bem diferenciar as coisas e não misturo estação. Se é fato que a venda de 64 mil ingressos em menos de 24 horas foi uma absoluto sucesso, não é menos verdade que muitos foram prejudicados e ficaram de mãos abanando, como expus no editorial. E atente bem:não é o meu caso. Como jornalista, editor de um site esportivo, sou sócio da Aceesp e tenho credencial. Mas quando falo tenho como objetivo defender a torcida e o São Paulo. Aceito de coração aberto seu ponto de vista, mas não aloque fatos que não têm nada a ver com o assunto. Abraços

      • Paulo,

        O meu comentário da sua briga foi estratégico só para provocar sua resposta e acabou dando certo.rsrs
        Agora continuo discordando do seu comentário “Se é fato que a venda de 64 mil ingressos em menos de 24 horas foi uma absoluto sucesso, não é menos verdade que muitos foram prejudicados e ficaram de mãos abanando,”.
        O estádio possui uma capacidade máxima que foi atingida e o fato de haver mais procura de ingressos do que o estádio comporta é mais do que normal em jogos como esse, isentando, NO MEU ENTENDER, o SPFC de qualquer culpa.
        Grande abraço!

  6. Pessoal, menos né?
    É uma final, a procura estava altíssima e a quantidade de ingressos é limitada a um número X. Nesse caso como em qualquer outro, seja algum show, teatro, espetáculo, vão existir aquelas pessoas que não conseguirão um ingresso e ficarão frustradas. Agora, dizer que é incompetência ou falta de estrutura conseguir vender 64 mil ingressos em 24 horas? Eu acho que é totalmente o contrário, é muita competência e muito boa estrutura comportar uma venda desse volume em tão pouco tempo.
    E outra, acho que já passou da hora de ficar com essa babaquice de achar que algumas pessoas são mais merecedoras que as outras só porque vão em um São Paulo x XV de Piri Piri. Cada um vai ao jogo que lhe interessa, torce como lhe interessa e acompanha o que lhe interessa. Não deixem suas frustrações começarem a virar preconceitos. Ou querem criar as cotas para torcedor ativo também?

  7. Olá Paulo Pontes. Concordo em 90% do que você disse, exceção à parte em que diz que deve-se privilegiar quem acompanhou o time em jogos de menor importância. Moro em Brasília e estarei no jogo no dia 12, assino o PPV e pago 380 reais por ano para acompanhar o time. O fato de as vendas terem problemas não é porque alguns tem que ser privilegiados e sim falta de organização e de recursos técnicos. Por quê nos EUA as coisas funcionam bem?? Por quê na Europa não tem problemas??
    É só encontrar uma empresa capacitada para este tipo de evento.
    Abs

  8. Em partes posso até concordar, mas vou comentar a meu favor. Eu moro em Santa Catarina, na fronteira com a Argentina e o Paraná. Raramente tenho chances de ir ao estádio para ver um jogo do SPFC, pois, além da distância há também o fator financeiro, isso impossibilita de estar acompanhando todos os jogos no estádio. Então eu pergunto, eu não sou merecedor em ir ao estádio no dia 12 ver o jogo? Pelo fato de eu ter visto pela tv os jogos do São Paulo. Na minha opinião, se o cara é torcedor, o cara acompanha as notícias, e nas notícias fiquei sabendo que as vendas iniciais seriam pelo site, e na minha opinião, não vejo nada de errado a torcida ESGOTAR os ingressos em menos de 24 horas. É complicado, quando a imprensa fica falando que torcida mesmo é a dos gambás, que lota o estádio, que compra tudo antecipado, mas aí quando a torcida do São Paulo faz o mesmo, é errado???

  9. Concordo Paulo Pontes, eu mesmo fui em quase todos os jogos aqui no Brasil pela Sulamericana, e pois é não consegui comprar meu ingresso para a final, muita palhaçada, muito mal assessorada e organizada, nunca vi vender ingressos de futebol uma semana antes de tal evento.
    Desrespeito com quem é torcedor e vai sempre nos estádios perdendo ou ganhando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*