Depois da derrota, o negócio é levantar a cabeça

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, é claro que eu, como todos vocês, não fiquei contente com a derrota do São Paulo para o Flamengo nesta tarde, no Engenhão. Também é óbvio que fiquei muito “p” da vida com o pênalti perdido pelo Luis Fabiano. Até demorei um tanto para escrever meu comentário para deixar a adrenalina cair e ser realista, com todo meu coração são-paulino. E conclui: o time não jogou mal e a derrota, até certo ponto, acabou sendo injusta.

Vamos entrar na língua do “se”, mas “se” o Luis Fabiano tivesse convertido o pênalti, tudo seria diferente. O Flamengo entraria em mais desespero ainda, a torcida começaria a vaiar, pressionar, e o São Paulo poderia administrar o jogo com tranquilidade. Um lance infeliz, o erro da cobrança de pênalti, acabou deixando o jogo igual. Pior: o São Paulo se abateu e o Flamengo cresceu.

Mesmo assim tínhamos maior domínio das ações e mantínhamos o jogo equilibrado. A contusão de Luis Fabiano, com sua saída no intervalo, acabou de prejudicar o time. Sem referência na frente, já que Ney Franco – para mim erroneamente – colocou Douglas em seu lugar, o time começou a tocar bola sem nenhuma objetividade. Em alguns momentos até chegava à linha de fundo, ora com Osvaldo, ora com Cortez, até com Wellington, mas faltava a referência no meio da área.

Para consertar essa situação, Ney Fanco piorou ainda mais o time: colocou Willian José, que, apesar de toda sua ruindade, deveria ter entrado no lugar de Luis Fabiano, e tirou Jadson. É fato que Jadson não estava bem, mas era o único que pensava o jogo e de quem poderia sair um passe, quem sabe, para a definição de alguma jogada.

O São Paulo perdeu, então, seu potencial de ataque e de armação e viu o Flamengo administrar a vantagem, sem correr risco algum.

Mas temos que levantar a cabeça e correr em busca dos objetivos palpáveis. O primeiro é nesta quarta-feira, na Sul-Americana, pois estamos na briga. Depois pensar no Sport, em Recife, pois o terceiro lugar ainda é algo bem próximo de ser conseguido no Brasileiro.

Um comentário em “Depois da derrota, o negócio é levantar a cabeça

  1. Um ponto precisa ser enfatizado, o Luís Fabiano não sabe bater pênalti, desperdiçou várias cobranças ao longo de sua carreira.
    Em sua primeira passagem no SP foi assim, agora a mesma coisa.

    Não podemos entrar no ”se”, mas o Rogério Ceni precisa voltar a cobrar penalidades, e esta marca pessoal de artilheiro do campeonato para o Luís Fabiano não pode sobrepor aos interresses do São Paulo Futebol Clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*