Pensando em G4, o empate em Curitiba não estava fora dos planos

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o empate em Curitiba não pode ser considerado de todo ruim, se formos levar em conta que lutamos pelo G4 e uma vaga para a Libertadores da América. Se verificarmos os jogos que São Paulo e Vasco têm pela frente, veremos que o G4 é absolutamente factível e em quatro ou cinco rodadas estaremos nele.

O São Paulo esteve longe de jogar um bom futebol, e isso é óbvio. Só quem é cego e assistiu o jogo não viu isso. Foi completamente dominado no primeiro tempo, mas as duas principais chances de gol estiveram nos pés de Lucas. E voltou para o segundo tempo com o comando do jogo. Quando tomou o gol, num pênalti não existente, era melhor em campo.

O pior de tudo isso é que Ney Franco havia acertado o time. Ao tirar Paulo Assunção, um zero a esquerda no meio de campo, e Ademilson, ainda muito cru para algumas partidas, deu mais consistência à marcação e à saída de bola. Casemiro tem melhor técnica e com três zagueiros fortaleceríamos a defesa. Mas um erro de arbitragem acabou causando o gol do Coritiba, pois por mais que Rhodolfo tenha falhado na marcação desde fora da área, não tocou no Rafinha, que simulou a penalidade e o árbitro, caseiro, entrou na dele.

Por mais cansado que estivesse, depois da estafante viagem a Lojas, no Equador, o time lutou muito e chegou ao empate, ainda que numa jogada de trombada de Lucas, com a bola sobrando para Osvaldo. Menos mal porque conseguimos um resultado razoável.

Mas deixou claro que estou preocupado com a falta de esquema tático do São Paulo. O time joga com três atacantes e não consegue atacar; perde o meio de campo e tem a defesa sobrecarregada. Não consigo ver onde está o desenvolvimento tático proposto por Ney Franco. O quer vejo é um amontoado de jogadores, o Maicon tocando de lado, o Jadson se escondendo e o Lucas e o Osvaldo saindo em velocidade para cima da zaga tentando alguma coisa na base do individualismo. É muito pouco para um time como o São Paulo.

Entretanto sou paciente e vou esperar mais um pouco. Não vou crucificar Ney Franco agora e vou dar tempo ao tempo. Afinal, 2012 está acabando e um prêmio ainda pode chegar. Aí é remontar tudo para o próximo ano. Mas sábado tem Palmeiras, porque o ano ainda não acabou.

4 comentários em “Pensando em G4, o empate em Curitiba não estava fora dos planos

  1. Esse horrível técnico opta por um frango ao invés de um galo velho – Ademílson à Cícero. Só pode dar no que está dando mesmo. Cícero joga muito bem de centro avante (bom cabeceador e finalizador), só essa mula passiva de técnico que nós temos, o Oswaldo de Oliveira do novo milênio, não enxerga isso. Ai quando o sujeito entra em campo, está pouco se fud%¨$ mesmo.

    Esse cara já conseguiu ser pior que o Leão com um aproveitamento muito abaixo do esperado. Nosso time está longe de ser ruim, temos alguns talentos que por algum acaso não estão vingando. Esse Cortez não pode ter esquecido de como jogar bola, não é possível! O problema está no uso vicioso do Rodolpho, esse sim está mostrando o quão ruim ele é. Jogador de campeonato paulista. Não dá segurança alguma para os laterais avançarem.

    Vamos colocar no papel aqui um time titular:

    Ceni
    Wellington
    Paulo Miranda (está gastando a bola!)
    Tolói
    Cortez
    Casemiro
    Denílson
    Jadson
    Osvaldo
    Lucas
    L. Fabiano.

    Time que tem valores semelhantes a esses está em primeiro lugar e se chama Fluminense.

    Um técnico gabaritado como o Abel ou o Muricy deixaria-nos na mesma situação do atual líder, certeza.

  2. Paulo, o empate não foi ruim, mas o que está assustando é a baderna dentro de campo.

    O time não tem padrão de jogo, muitos reclamavam do Leão, vejo que não mudou nada, o sistema defensivo continua comprometendo, o Meio não marca e nem cria, o time depende de uma arrancada do Lucas ou do Luís Fabiano, nas poucas vezes em que está em campo.

    O Ney Franco lembra demais o Owaldo de Oliveira, muitos confudem sabedoria com silêncio, que no referente caso é passividade mesmo.

    O Elenco é bem fraco, Não há peças de reposição, principalmente no ataque e meio.

    O Cícero entrou no jogo com uma displicência enorme, aliás, muitos dos jogadores do atual elenco não tem compromisso com o clube.

    Muita coisa precisa mudar para 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*