O alvo dos protestos tem que ser o verdadeiro culpado pelo fracasso

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, me causou espanto a reação da Torcida Independente na última quarta-feira, no gelado Morumbi, quando resolveu xingar o presidente Juvenal Juvêncio. Sim, porque até então todos eram criticados, desde o técnico, passando pelos jogadores e chegando aos funcionários. Mas havia um silêncio absoluto em relação ao mandatário máximo do Tricolor.

Surgiu uma denúncia na imprensa dando conta que um dirigente, antes do jogo contra a Portuguesa, teria dado R$ 20 mil para que torcedores direcionassem críticas ao técnico Emerson Leão e poupassem o presidente. Será que agora faltou o pagamento? Ou a Independente fez isso para forçar uma nova “conversa”?

Outro alvo de uma extrema minoria – felizmente – foi Luis Fabiano. Temos Edson Silva, Paulo Miranda, Cícero, Willian José, Maicon e tantos outros que não servem para nada, mas visam Luis Fabiano, que, queiram ou não, tem uma média espetacular de gols este ano com a camisa do São Paulo.

Dizem alguns que ele não ganhou nenhum título com o São Paulo. Só quero lembrar a estes que Rogério Ceni, nosso mito e maior ídolo, ganhou o primeiro título importante do São Paulo em 2005, 11 anos após ter assumido o gol do São Paulo. Então, nunca é tarde para se alcançar a vitória.

Além do mais, se Luis Fabiano for embora, quem ficará no seu lugar? Willian José? Ademilson? Vamos jogar como o Barcelona – que heresia – sem centro-avante fixo, com Rafinha e Osvaldo abertos pelos lados do campo? Improvisar Cícero como centro-avante? Ou alguém imagina que saindo Luis Fabiano o São Paulo, com esta diretoria vigorosa, vai contratar Messi ou Ibraimovich? Quem sabe Liedson, que está saindo do Corinthians?

Ora meus amigos, vamos raciocinar. Nosso grande problema não está dentro do campo, nem sentado no banco. O problema está localizado numa belíssima sala do Morumbi, sentado atrás de uma mesa, com alguns assessores que só sabem dizer amem a tudo o que ele fala e acha que o São Paulo F.C. é sua propriedade, e de mais ninguém.

Do alto de sua arrogância e prepotência, Juvenal Juvêncio, que fora, talvez, o melhor diretor de futebol que o clube já teve em sua história e um grande presidente na primeira gestão, não percebe que o São Paulo é grande demais para pertencer a alguém. Ele é de uma imensa comunidade, que merece respeito por tudo o que fez pelo clube. Enquanto a torcida ficar procurando culpados onde eles não estão, os desmandos vão continuar acontecendo e o Tricolor vai continuar se apequenando frente aos adversários.

Hoje, sem dúvida alguma, somos a quarta força dentro do Estado de São Paulo. Triste para quem, agora há pouco, era a principal força do País.

 

13 comentários em “O alvo dos protestos tem que ser o verdadeiro culpado pelo fracasso

  1. Paulo, boa tarde.
    O Diario de São Paulo de hoje mostrou o pq ninguem esta jogando no São Paulo
    falta de dinheiro, atraso de din din, os caras ja são ruins e com mais éssa não
    vão jogar mesmo.

  2. Sinceramente não entendo essa babação em cima do Fabuloso, um jogador caro em todos os sentidos, quando não está machucado, deixa o time na mão por falta de resposnsabilidade com sua indisciplina. É taõ apagado ou qaunto o restante do elenco quando o time precisa. E estranhamente sempre poupado e defendido, interessante que vemos outros centroavantes sem tanto nome mas com um desempenho muito masi favorável. Tudo isso é proteção?

  3. Paulo Pontes,
    Nada funciona no Morumbi por uma questão simples de hierarquia. Quem manda no elenco não é o técnico e os jogadores sabem disso. Por isso entra técnico e sai técnico, sai jogador entra jogador e o São Paulo não rende.
    Veja um caso claro de que jogador não precisa se empenhar no São Paulo: Cicero. Não está rendendo nada, não se empenha e nem se preocupa em melhorar. Mas vira e mexe está sempre entre os titulares, enquanto já deveria estar em Cotia de castigo. E por que isso não acontece? Fica claro que o motivo disso é não desagradar seu empresário, que tem muita força no mercado. E diga-se o mesmo de alguns outros jogadores.
    Acho que já ficou claro para todos que depois do JJ, quem manda mais é o Milton Cruz, depois o Rogério Ceni, depois o JPJL, depois o Adalberto Baptista, depois alguns outros jogadores/empresários e, por último, o técnico, que talvez não consiga dar ordens nem para os gandulas no Morumbi. Essa hierarquia está acabando com o São Paulo.
    Quanto ao Luís Fabiano, ele não deixa de ter a parcela de culpa dele por conta de algumas má atuações, mas é importante ficar claro que o LF não é jogador para liderar e sim para ser liderado. É uma característica dele e de formação cultural. Sempre foi assim em todos os times pelo qual ele passou.
    Alguém já falou isso e eu concordo, estão jogando nas costas dele uma responsabilidade que não lhe cabe. Ele veio para fazer gols, nem isso está conseguindo porque falta principalmente empenho de seus companheiros, em decorrência da falta liderança ativa (e não distância como a de JJ e Milton Cruz) dentro e fora do campo.

    • O quem corroborar com o que eu falei são as palavras do técnico Ney Franco agora pouco no programa Arena da Sportv. Ele disse que o São Paulo possui imagens aéreas (???) do campo de jogo contra o Vasco onde fica demonstrado claramente que vários jogadores não estão fazendo nada em campo (ele disse ‘marcando’ para ser mais educado), enquanto todo o time do Vasco se preocupa em preencher todos os espaços do campo.
      Por que essa falta de interesse e vontade dos jogadores do São Paulo?
      Alguém consegue explicar?

  4. Juvenal Jumento quer ser o Eurico Miranda do Morumbi. Inclusive de uns tempos pra cá, tem agido como personagem folclórico.

    Grandes times sempre surgiram da união entre experiência e juventude. A era Telê nos mostrou isso por muito tempo.

    A preocupação do Juvenal não é a base em si, mas sim o que ela representa: suas convicções – e vai querer prová-las mesmo que isso custe muito caro para a reputação do nosso SPFC.

    Precisamos lutar também por eleições DIRETAS no SPFC. Chega de eleger fantoches que no fim das contas, serão submissos a um ser egocêntrico, autoritário e ultrapassado.

    Temos que nos unir e fazer um grande movimento FORA JUVENAL. Vamos fazer banners, colocar nos nossos sites, vamos fazer cartazes para levar ao estádio. Vamos nos unir para tirar o SPFC dessas garras que insistem em minar o crescimento do clube. Vamos cantar “FORA JUVENAL!”.

    Se conseguirmos deixar bem clara nossa indignação através desse movimento, mesmo que nada aconteça, pelo menos não nos culparemos depois pela omissão.

    Abraços!

  5. Apoiado. Apesar de ter ficado decepcionado com o Ney Franco também.

    O erro foi terem tentado transformar o Luis Fabiano num líder que ele não tem capacidade de ser.

    • Exatamente!!!
      O Luis Fabiano não é líder!! É guerreiro!!!
      Guerreiro vai p/ cima sem olhar quem vem atrás!!!
      Líder análise tudo a sua volta, dá ordem, comanda e também vai para cima olhando todos!!!

      Luis Fabiano é guerreiro artilheiro!!
      Rogério Ceni é líder!!!

  6. Paulo,

    Esta sua denúncia é muito séria.
    Devemos dar nome aos bois e dizer quem foi este dirigente que financiou a independente e riscá-lo do mapa do SPFC.

    Precisamos organizar um movimento para tirar o maior diretor de futebol do SPFC de todos os tempos e pior presidente em todos os mandatos já!

    • Alexandre, só uma correção: a denúncia não é minha. Foi feita pelo blog de Juca Kfouri na semana posterior ao jogo contra a Portuguesa. E eu não tenho motivo para duvidar da palavra de Juca Kfouri. Por isso, na época, publiquei a matéria, com o devido crédito, e hoje citei aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*