Xodó no SP, cascudo na Seleção: Brenner é um dos trunfos no mata-mata

Pouco antes de se apresentar ao técnico Carlos Amadeu na seleção brasileira sub-17, Brenner renovou o contrato com o São Paulo. O novo vínculo tem duração de cinco anos e vai até setembro de 2022. A multa rescisória subiu para R$ 100 milhões para clubes brasileiros e € 50 milhões (R$ 186,36 milhões) para times do exterior.

Brenner vem se destacando neste início de Mundial Sub-17 (Foto: Divulgação / CBF)

Brenner vem se destacando neste início de Mundial Sub-17 (Foto: Divulgação / CBF)

Brenner ganhou um bom aumento salarial e o novo contrato prevê novos reajustes de acordo com metas que forem alcançadas pelo atleta no futebol profissional. Foi com essa valorização que o atacante chegou no Mundial da Índia. Além disso, é um dos poucos convocados que já integram o grupo principal no seu clube. O que para ele faz diferença.

– Quando você sobe e se mantém no profissional, ganha experiência, fica mais cascudo. Mas acho que no geral todos começaram o campeonato na mesma condição, todo mundo pensa no trabalho aqui na Seleção – disse.

O atacante chamou a atenção do ex-técnico do São Paulo Rogério Ceni quando era o principal destaque do time sub-17 no Campeonato Paulista, competição em que já havia marcado 28 gols. Também foi relacionado pelo atual técnico do Tricolor, Dorival Júnior.

Brenner é considerado pela comissão técnica um atleta de enorme potencial e que certamente terá muito espaço em um futuro próximo.

Titular e destaque da Seleção

O atacante está no São Paulo desde os 11 anos de idade. Faz parte da base da seleção brasileira há pelo menos dois anos. Com a ausência do atacante Vinicius Junior, que não foi liberado pelo Flamengo, ganhou ainda mais espaço e forma um trio de ataque muito interessante com Paulinho, do Vasco, e Lincoln, do Flamengo.

– A gente joga junto há muito tempo, desde a Seleção sub-15. Já temos a noção de tem onde o outro está. A gente se dá bem fora de campo e só flui para a gente, para ajudarmos o time – frisou.

Nas duas primeiras rodadas do Mundial, contra Espanha e Coreia do Norte, Lincoln e Paulinho marcaram dois gols cada. Brenner deu duas assistências, mas faltava alguma coisa. Não falta mais.

– Não era um peso para mim, porque o importante é servir o time, seja com assistências ou gols. Estou feliz pelo gol, é sempre bom marcar – afirmou.

Na terceira e última rodada da fase classificatória, o Brasil vendeu Niger por 2 a 0, gols de Brenner e Lincoln (assista no vídeo acima). A Seleção confirmou o primeiro lugar do Grupo D, deixa Goa e volta para Cochim. Na quarta-feira, começa o mata-mata para a Seleção. O adversário nas oitavas de final será a seleção de Honduras, que ficou na terceira colocação do grupo E – o duelo será disputado na próxima quarta-feira, às 12h30 (de Brasília), em Cochim.

Brenner acha que o Brasil ainda não mostrou todo seu potencial na competição.

– Sempre dá para ir além, podemos ir além. Procuramos isso, melhorar nos treinos, nas partidas, porque vamos em busca do título.

Fonte: GLobo  Esporte

Um comentário em “Xodó no SP, cascudo na Seleção: Brenner é um dos trunfos no mata-mata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*