Tricolor “vira a chave” e quer embalo por vagas no mata-mata

Pode parecer inimaginável para um time que há alguns dias foi cobrado por não conseguir vencer o Trujillanos, da Venezuela, mas o São Paulo já se considera quase livre da crise que se estabeleceu no clube neste início de ano. Há quatro partidas sem perder, com direito a três empates, o são-paulino querem esquecer o momento complicado inicialmente e emendar uma sequência de vitórias nas fases de classificação do Paulista e da Libertadores.

“Espero que agora seja só vitórias, que a gente vire a chave e não perca mais, até porque precisamos dessas vitórias para classificar”, comentou o volante Hudson, reconhecendo que, antes das igualdades contra Ituano e Santos, além da vitória sobre o Botafogo-SP, as cobranças eram justas. “É normal que falem em crise, desestabilização da equipe. O que tem de fazer é não perder os jogos e mostrar um bom padrão, é isso que temos de melhorar bastante”, explicou.

Ciente da insatisfação da torcida com o desempenho recente também nos clássicos, dos quais o Tricolor só conseguiu vencer dois dos últimos 17 realizados, Hudson assegurou que o jejum ante os principais rivais também incomoda o grupo de atletas.

“Isso incomoda demais a gente porque são os jogos que trazem mais confiança, vencer enche o ego da equipe. É um desejo nosso vencer clássico porque a gente precisa dessa força”, analisou o meio-campista, sem deixar de valorizar o ponto conquistado na Vila Belmiro com a cabeçada de Alan Kardec.

“Festejar não é a palavra certa, mas você ir na Vila Belmiro com esses desfalques que tínhamos e não perder não é das piores coisas”, observou o jogador. Na avaliação do atleta, mesmo ainda buscando um melhor futebol, o trabalho do técnico Edgardo Bauza tem de ser bastante valorizado.

“Desde que o Bauza chegou aqui ele se importou com uma parte de marcação e organização que era muito defeituosa na equipe. Por mais que a gente tenha tido falhas em alguns jogos, acho que melhorou bastante. Ele tem qualidades muito boas. Se as vitórias não vêm, as críticas surgem, mas o trabalho dele está sendo muito bem feito”, concluiu o tricolor.

Com 18 pontos conquistados no Campeonato Paulista, o time tem a mesma pontuação do Audax e está dois à frente da Ferroviária, na liderança da sua chave. Até o final desta fase, vai encarar Linense e São Bento, fora, além de Oeste, em casa.

Já pela Libertadores a missão é bem mais complicada. Com apenas dois pontos conquistados, o time volta a campo diante do Trujillanos, no dia 5 de abril, terça-feira, pela quarta rodada do Grupo 1. O River, segundo com cinco, recebe o líder Strongest, que tem sete.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Tricolor “vira a chave” e quer embalo por vagas no mata-mata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*