Sidão vê São Paulo mais seguro com três zagueiros e elogia Renan

Sidão reconhece o bom momento de Renan Ribeiro, goleiro titular do São Paulo e elogiado pela torcida. O jogador contratado do Botafogo para esta temporada perdeu o status de dono da posição após falhas individuais, admitidas por ele próprio, e principalmente por uma lombalgia, lesão que limitava seus movimentos em treinos e jogos.

Recuperado há cerca de um mês, ele se diz 100% e espera uma nova chance. O atleta está relacionado para o jogo contra o Sport, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), na Ilha do Retiro. Apesar de Renan ter acusado dores na coxa nas duas últimas partidas do Tricolor, contra Corinthians e Vitória, ele deverá seguir como titular.

Reserva do São Paulo, Sidão vê mudança significativa na filosofia de equipe de Rogério Ceni. No início do ano, o time procurava propor o jogo, marcar com pressão alta e buscava roubar a bola no campo de ataque para fazer os gols.

O estilo rendeu muitas bolas na rede. A favor e contra. Sidão acredita ter carregado o ônus dessa fase, mas faz avaliação positiva do próprio desempenho.

Ele conversou com o GloboEsporte.com na última sexta-feira, antes do clássico com o Corinthians, disputado na arena do rival.

– Tenho vídeos dos lances e dos jogos. O pessoal edita e me manda. Eu assisto e analiso alguns erros, mas de modo geral fui muito bem e cooperei muito coletivamente. O time tinha uma boa saída de bola e por isso fazia tantos gols, pois a bola chegava com muita qualidade lá na frente. Calhou de a defesa não estar tão bem. Sofria muitos gols e carreguei isso. Agora o time se acertou, tem equilíbrio – disse.

Sidão acredita que o São Paulo agora é um time mais protegido. Pela mudança do sistema tático, com três zagueiros, e também na forma de jogar. O equilíbrio citado pelo goleiro é respaldado nos números.

No Paulistão, o São Paulo fez 33 gols e sofreu 23. No Brasileirão, o panorama mudou: são oito gols marcados e cinco sofridos, em seis partidas (até o Majestoso, a equipe tinha a melhor defesa do Brasileirão: havia sido vazada duas vezes).

– Hoje o time é mais seguro. Joga com três zagueiros, uma linha mais baixa e esperando o adversário. Jogava bem ofensivo no começo do ano. Isso também ajudou a fazer muitos gols, porque roubava a bola no campo adversário e fazia. Hoje joga mais atrás, também pela qualidade do campeonato. São grandes clubes e atletas. Isso ajuda muito quem está jogando no gol, porque chegam menos bolas de risco. O time está bem. O Rogério mudou bastante o esquema. A proposta de jogo era diferente de hoje. Aprendemos a lidar com os times e jogos. Isso ajudou muito a nossa defesa – afirmou.

Ser o goleiro reserva não é exatamente uma novidade na carreira de Sidão. Ele viveu isso no Audax, no Botafogo e no próprio São Paulo no começo do ano, quando Renan sofreu lesão muscular e Denis iniciou como titular.

Sidão recebeu troféu de melhor jogador do Torneio da Flórida, em janeiro (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Sidão recebeu troféu de melhor jogador do Torneio da Flórida, em janeiro (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Sidão recebeu troféu de melhor jogador do Torneio da Flórida, em janeiro (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Acostumado com a situação, Sidão diz usar os exemplos de Fernando Prass, no Palmeiras, e Fábio, no Cruzeiro, para ter paciência, respeitar o momento dos companheiros e esperar uma nova chance. Ele nega qualquer frustração e, inclusive, revela transparência de Rogério Ceni desde o início sobre a disputa no gol.

– Faz parte. O Rogério me falou quando conversamos que viria que tinha intenção de me trazer ao São Paulo, mas não garantia que eu seria titular. Uma coisa que ele aprendeu no futebol é que treinador não poderia prometer nada para jogador. Ele deixou isso bem claro para mim. Em todo lugar que joguei foi por mérito, não porque o treinador gostava de mim ou por ter indicado. Desde o começo (foi transparente). Não tem nem o que cobrar dele, porque foi bem claro comigo e deve ter sido com todos os atletas sobre isso: vai jogar quem é melhor e quem merecer. É provar que tem condição e esperar a vez.

Veja outros trechos da conversa com Sidão:

PROBLEMA POR SER RESERVA OU ESTÁ ACOSTUMADO?

– É difícil. Todos querem jogar, mas tem de aprender a lidar. Não estou nessa há pouco tempo. Vejo acontecer com muitos goleiros de ficar fora por um tempo e depois retornar. No Brasileiro do ano passado e nesse ano houve isso com grandes clubes. O Fábio foi mais recente. Esperou a vez dele e voltou. No ano passado, o Prass se recuperou no fim do Brasileiro, mas o Jaílson estava bem. Ele continuou esperando. Infelizmente só joga um. Quem está fora tem de estar pronto para entrar e dar conta.

RECONHECEMINTO AO BOM MOMENTO DE RENAN

– Sim, ele esperou a oportunidade dele. Entrou, o time encaixou e está indo bem. Conseguiu o equilíbrio que todos falavam no começo do ano. Está vivendo um grande momento. Merece, sim (a vaga de titular).

RENAN PEDIU ATENDIMENTO CONTRA O VITÓRIA: ISSO GERA UMA ANSIEDADE PARA JOGAR?

– O goleiro é um caso atípico. Outros jogadores vão aquecer na esperança de ser chamado como opção. O goleiro não, só quando alguém sente ou por cartão. Quando goleiro chama atendimento acelera o batimento, porque você cria esperança de entrar, mas graças a Deus não foi nada e ele está bem.

GOLEIRO RESERVA VAI RELAXADO PARA O JOGO POR SABER QUE DIFICILMENTE ENTRARÁ?

– Fica no meio termo. Não pode ir totalmente desligado do jogo. Vamos sempre numa expectativa de se algo acontecer estar pronto. Por isso o treino é importante: se precisar entrar tem de ir e resolver.

SE O CENI LHE PERGUNTASSE POR QUE VOCÊ DEVE SER ESCALADO, COMO FARIA SUA PRÓPRIA PROPAGANDA?

– Tenho condições de atuar como titular. Provei isso ano passado, no Brasileirão e no Paulista. Tirei as dúvidas de ser um cara que apareceu e deu sorte. Não é isso. Provei que posso jogar em alto nível. Cada um tem suas qualidades. Eu coopero para o time de forma coletiva. Não consigo me vangloriar das minhas qualidades (risos), mas sei que tenho condição de ser titular.

ACREDITA QUE VAI RECUPERAR A VAGA ATÉ O FIM DO ANO?

– É difícil prever. Espero não contar com o azar dos outros para mostrar que tenho condição para jogar. Espero que apareça a chance de forma natural. Tem uma frase que diz: “Os campeões não dependem do azar dos outros para vencer”. É isso, esperar a oportunidade sem torcer pelo azar dos outros. Não lembro quem falou, mas é uma boa frase. Campeão de verdade não precisa depender do azar dos outros.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*