Sem mágoas, Caio reencontra o São Paulo, que não o quis em 2008

O jogo deste domingo entre São Paulo e Vitória além de ser marcante para Kaká, que fará sua reestreia no Morumbi, será também especial para o atacante do Leão Caio. Artilheiro da equipe baiana na competição, com quatro gols, o jogador reencontrará o São Paulo, clube que não o quis em 2008, quando ficou três meses e meio treinando com a base tricolor.

Na época, Caio pertencia ao Volta Redonda. Segundo o atacante, o empresário paulista Eduardo Prada o viu jogar e conseguiu um teste no clube do Morumbi. Caio diz que ficou duas semanas treinando no CT Laudo Natel, em Cotia, e se destacou. Nesse período, marcou oito gols em treinos coletivos e despertou interesse de compra do São Paulo, que pediu ao clube carioca mais três meses para observação e adaptação do jogador.

Ainda de acordo com o jogador, o Volta Redonda havia falado que o valor para a sua compra era de R$ 300 mil. No fim dos três meses, quando o Tricolor foi acertar, porém, o clube subiu o valor para R$ 800 mil, e isso fez com que o negócio não saísse.

– Não tenho mágoas. Fiquei triste na época porque queria muito ter ficado, pela estrutura que tem o clube. Já estava me sentindo jogador do São Paulo. A tristeza agora ficou para trás. Todo o jogador sonha em jogar lá, em time grande. Tive uma experiência maravilhosa lá. Quem sabe no futuro eu possa vestir a camisa novamente – sonhou o jogador.

Caio pertence ao Internacional até 2018 e está emprestado ao Vitória até o fim deste ano. Ele, que já passou pelo Botafogo e Figueirense, disse que vai encarar o jogo de hoje como como qualquer outro.

– Vai ser legal, mas não encaro como vingança, não. Hoje, penso no Vitória que abriu as portas para mim – ressaltou.

Das boas lembranças que traz do período em que ficou no São Paulo, Caio lembra que dividia quarto no CT de Cotia com Oscar, meia que disputou a Copa do Mundo e que defende o Chelsea (ING).

– Hoje converso com ele pelo Instagram. Ano passado ele foi até o Internacional, treinou em Porto Alegre e deixou até um recado. É um jogador muito humilde – disse.

O atacante, que completou 24 anos no último sábado, quer marcar seu quinto gol pelo Vitória neste domingo, como presente.

– Quero fazer gol e tirar o Vitória dessa situação. E como atacante, penso sempre lá na frente e busco a artilharia do torneio – projetou.


Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*