Sem Cueva, Ceni tenta encontrar uma solução na armação; veja as opções

Sete gols marcados (artilheiro da equipe no ano), cinco assistências, participação em 13 dos 31 gols do São Paulo na temporada 2017. Os números mostram a importância de Cueva no esquema tático do técnico Rogério Ceni.

Só que o peruano será desfalque nas três próximas partidas da equipe, contra Botafogo (22/03), Corinthians (26/03) e São Bernardo (29/03), já que estará servindo a seleção do seu país, que joga pelas Eliminatórias da Copa de 2018. E o treinador terá apenas mais um treino para encontrar a melhor formação.

Até por isso, Ceni só permitiu que os jornalistas acompanhassem o início do treino de segunda-feira, no CT da Barra Funda. Nesta terça, nem o aquecimento poderá ser visto. Às 8h30, um jogador ainda indefinido dará entrevista coletiva e, na sequência, os jornalistas deixarão o local.

Analisando as opções que Rogério Ceni tem no elenco, o GloboEsporte.com mostra abaixo como o treinador pode armar a equipe:

Campinho do São Paulo com Lucas Fernandes (Foto: GloboEsporte.com)Com Lucas Fernandes no meio, time atuaria no esquema 4-1-4-1 (Foto: GloboEsporte.com)

1ª opção: Usar Lucas Fernandes

Dentro do grupo inscrito no Campeonato Paulista, o garoto revelado na base de Cotia é o que mais se parece com Cueva. Sua presença faria o treinador mudar o esquema tático da equipe, saindo do 4-3-3 para o 4-1-4-1. Contra o Palmeiras, o peruano não atuou e o camisa 29 entrou no segundo tempo, quando o Palmeiras vencia por 3 a 0. Seu posicionamento no meio-campo é mais centralizado, ao contrário de Cueva, que roda pelo campo todo.

Shaylon gosta de jogar aberto pela direita e pode ser opção (Foto: GloboEsporte.com)Shaylon gosta de jogar aberto pela direita e pode ser opção (Foto: GloboEsporte.com)

2ª opção: utilizar Shaylon

Mais um garoto revelado na base, Shaylon foi chamado por Rogério Ceni para integrar o time profissional na pré-temporada realizada nos Estados Unidos no começo do ano, quando acabou contratado em definitivo da Chapecoense. Se destacou nos jogos-treinos realizados no IMG Academy e também atuou contra o River Plate, na estreia do Torneio da Flórida, quando o Tricolor venceu nos pênaltis. Shaylon é diferente de Lucas Fernandes e gosta de jogar mais aberto pela direita, com liberdade para entrar na área. No time sub-20, onde se destacou, costumava marcar muitos gols.

Com Wellington Nem, Rogério Ceni apostaria na velocidade pelas pontas (Foto: GloboEsporte.com)Com Wellington Nem, Rogério Ceni apostaria na velocidade pelas pontas (Foto: GloboEsporte.com)

3ª opção: colocar Wellington Nem

Um dos reforços contratados para esta temporada, Wellington Nem começou como titular no Torneio da Flórida mas, na primeira rodada do Campeonato Paulista, sofreu uma lesão muscular na coxa, ficando um mês parado. Perdeu espaço para Luiz Araújo e ainda tenta recuperar seu espaço. Somente contra o ABC, pela Copa do Brasil, em Natal, é que começou como titular. Com a entrada do atacante, o time ficaria sem um armador nato, apostando tudo na velocidade do seu ataque. No meio-campo, Thiago Mendes e Cícero, alternadamente, ganhariam mais liberdade para subir ao ataque.

Com Thiago Mendes adiantado, Ceni repetiria o que fez contra o Palmeiras (Foto: GloboEsporte.com)Com Thiago Mendes adiantado, Ceni repetiria o que fez contra o Verdão (Foto: GloboEsporte.com)

4ª opção: adiantar Thiago Mendes

Nesse caso, Rogério Ceni repetiria o que fez no primeiro tempo do clássico contra o Palmeiras, realizado no estádio alviverde. Mais adiantado, o camisa 23 jogaria aberto pelo lado direito, enquanto Jucilei ganharia uma vaga no meio-campo, ficando como primeiro homem de marcação. Contra o Palmeiras, essa ideia não deu certo, tanto que no intervalo daquele jogo, quando a equipe perdia para o rival por 1 a 0, Ceni tirou Jucilei, recuou Thiago Mendes para o meio-campo e promoveu a entrada de Wellington Nem aberto pelo lado direito do ataque.

Com Chavez e Gilberto no ataque, São Paulo atuaria com novo esquema tático (Foto: GloboEsporte.com)Com Chavez e Gilberto no ataque, São Paulo atuaria com novo esquema tático (Foto: GloboEsporte.com)

5ª opção: escalar dois atacantes (Chavez e Gilberto)

Como no caso de Lucas Fernandes, para utilizar dois atacantes o treinador seria obrigado a modificar o esquema tático, passando a atuar no 4-4-2. Nesse caso, Wellington Nem e Luiz Araújo jogariam aberto pelas pontas, com dois volantes pelo meio e Chavez e Gilberto à frente, já que Pratto também não poderá atuar, já que está servindo a seleção argentina também nas Eliminatórias.

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Sem Cueva, Ceni tenta encontrar uma solução na armação; veja as opções

  1. Acho o Rogério muito apegado ao futebol do Cicero e do Tiago Mendes, Buffarini e o Denis, com isso as escalações e o esquema de jogo ficam engessados e sem velocidade, não tendo aquela movimentação necessária dos atletas para desenvolver a idéia de futebol que ele quer. Toda dificuldade está em deixar alguns na reserva, e assim nossa base vai ficar novamente prejudicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*