São Paulo vence Palmeiras, mantém tabu e esperança no Brasileiro

Segue de pé o tabu do Palmeiras no Morumbi e sua agonia para escapar do rebaixamento à segunda divisão. Na fria noite deste domingo, Luis Fabiano ratificou seu afiado poder de decisão em clássicos e ajudou a garantir ao São Paulo vitória por 2 a 0, com um belo gol, o seu centésimo pelo clube em Campeonato Brasileiro. O outro foi de Rafael Toloi.

Se o lado alviverde continua sem vencer o rival em seu domínio desde 2002 e vê a folga para a faixa de descenso cair de cinco para três pontos (39 contra 36), restando agora quatro rodadas, o time capitaneado pelo goleiro Rogério Ceni – que fez neste domingo seu centésimo e possivelmente último clássico no Morumbi – ao menos sustenta em quatro pontos a distância para o líder Cruzeiro, que tem um jogo a menos.

Os dois times voltam a campo no meio de semana, mas por interesses distintos. O São Paulo joga na quarta-feira em Medellín, contra o Atlético Nacional, pela primeira final da Copa Sul-americana. No mesmo dia, o Palmeiras estreia o Allianz Parque, seu reformado e rebatizado estádio, diante do Sport, em compromisso agora ainda mais importante pela competição nacional, na qual não venceu nenhum dos seis clássicos que disputou.

Na abertura da nova arena, o técnico Dorival Júnior já deverá ter Valdivia, meia que fez muita falta neste domingo por estar a serviço da seleção chilena. Enquanto o São Paulo dispunha de seu camisa 10 (Paulo Henrique Ganso) e do sistema ofensivo completo – com Alexandre Pato no banco, inclusive -, o Palmeiras foi para o jogo com Felipe Menezes responsável pela armação.

Sem ter nada a ver com o problema alheio, Muricy Ramalho lançou sua equipe para cima do rival, cuja proposta foi, desde o início, claramente se defender em busca de um empate. Aos três minutos, porém, Diogo tomou bola de Denilson na meia direita e partia com absoluta liberdade em direção ao gol de Rogério Ceni quando foi derrubado por trás pelo volante são-paulino. O árbitro entendeu que o lance havia sido legal e deu vantagem para o time da casa, em lance que poderia até ter custado um cartão amarelo.

Em um clássico bastante estudado pelos dois lados, o São Paulo chegou pela primeira vez à linha de fundo aos nove minutos. Só sete minutos depois é que houve a primeira finalização. Por parte do Palmeiras, que cruzou bola da meia direita para a área e viu o zagueiro Tobio, de frente para Rogério Ceni, desviar para fora com a perna esquerda. A resposta veio três minutos mais tarde, em ótimo cabeceio de Luis Fabiano que Fernando Prass precisou esticar ao máximo o braço esquerdo para evitar o gol.

Na disputa particular, o goleiro palmeirense perderia para o atacante em seguida. Aos 21 minutos, Hudson alcançou lançamento na linha de fundo e cruzou. Nathan esticou a perna e não conseguiu o corte, para felicidade de Luis Fabiano. O atacante pegou de primeira e colocou a bola no canto esquerdo baixo. Na comemoração do gol, tirou parcialmente a camisa e não foi advertido. Dorival Júnior e Fernando Prass chiaram com o árbitro, e o goleiro é que acabou sendo punido com cartão amarelo por reclamação.

Precisando sair um pouco mais do campo de defesa, o Palmeiras se revelou desorganizado no ataque e errou muitos passes. Marcelo Oliveira fechava bem o meio-campo, mas não tinha grandes opções para dar sequência ao jogo. Ainda assim, aos 38 minutos, o empate ficou bem perto. Henrique recebeu cruzamento de Juninho no meio da área e chutou de primeira, em cima da canela direita de Rogério Ceni.

Desperdiçada a rara oportunidade de gol, o Palmeiras viu o São Paulo aumentar o ritmo na parte final do primeiro tempo. Aos 43 minutos, após longa troca de passes, Alan Kardec foi acionado na área e cruzou para ninguém. Dois minutos depois, o ex-palmeirense teve chance ainda melhor, graças a uma furada da defesa, mas, de frente para o gol, finalizou mal, à direita.

Dorival Júnior não fez nenhuma alteração no intervalo, mas o Palmeiras voltou mais agudo na segunda etapa. Melhor ainda depois que, com apenas oito minutos, Wesley foi sacado para a entrada de Mazinho. Com as linhas adiantadas, a equipe alviverde aumentou a posse de bola e acuou o São Paulo. Aos 12 minutos, após cruzamento de Victor Luis, Tobio cabeceou por cima do travessão e fez Rogério Ceni se revoltar com sua retaguarda por conta da marcação frouxa. Antes de a bola ser reposta em jogo, o árbitro expulsou o técnico palmeirense.

Com alguma demora, aos 19 minutos, Muricy Ramalho reforçou seu meio-campo, deslocando para lá Michel Bastos e colocando Reinaldo em campo (no lugar de Alan Kardec) para atuar na lateral esquerda. A substituição recolocou o São Paulo aos poucos no jogo e, aos 33 minutos, após escanteio cobrado pelo lado esquerdo, Rafael Toloi completou para a rede para definir o resultado positivo. Simultaneamente, o Vitória fez o gol do triunfo sobre a Chapecoense, o que aumentou a agonia palmeirense até quarta-feira.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO x PALMEIRAS

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 16/11/2014 – 19h30
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Herman Brumel Vani (Ambos de SP)
Público/Renda: 36.850 pagantes/R$ 992.285,00
Cartões Amarelos: Edson Silva, Souza e Allan Kardec (SÃO); Fernando Prass (PAL) e Cristaldo (PAL)
Gols: Luis Fabiano (21’/1ºT), Rafael Toloi (33’/2ºT)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Hudson, Rafael Toloi, Edson Silva e Michel Bastos; Denilson, Souza, Ganso e Kaká (Osvaldo 36/º2T); Alan Kardec (Reinaldo 19’/2ºT)  e Luis Fabiano (Alexandre Pato 31’/2º T). Técnico: Muricy Ramalho.

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho; Marcelo Oliveira, Victor Luis, Wesley (Mazinho 7’/2ºT) e Felipe Menezes (Cristaldo 25’/2º T); Diogo (Allione 33’/2ºT) e Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*