São Paulo treina no CT do rival da decisão da Libertadores de 1992

De olho na estreia da Copa Sul-Americana, contra o Rosario Central, na próxima quinta (12), o São Paulo treinou no CT do Newell’s Old Boys – adversário do Tricolor na decisão da Copa Libertadores de 1992, a primeira das três vencidas pelo clube do Morumbi. O técnico Diego Aguirre permitiu que os jornalistas tivessem acesso apenas aos 15 minutos iniciais do trabalho desta quarta (11) e não sinalizou quais devem ser os onze jogadores que iniciarão a partida no estádio Gigante de Arroyito.

Pelo regulamento da Conmebol, o elenco do São Paulo apenas poderia treinar no palco da partida calçando tênis, para não prejudicar a condição do gramado. Desta forma, a comissão técnica optou por trabalhar, de chuteiras, nas instalações do Newell’s – maior rival do Rosario. O Tricolor já está definido para encarar a equipe argentina, mas Aguirre comunicará a escalação apenas minutos antes do duelo, válido pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Em entrevista para os veículos de comunicação argentinos, o treinador ressaltou que a postura do São Paulo não deve ser tão agressiva, já que atua longe de seus domínios. Mesmo assim, o comandante tricolor ressaltou que sua equipe fará um duelo competitivo, pensando em levar um resultado positivo para o jogo no Morumbi, no dia 9 de maio.

– Não é a mesma estratégia quando você joga de mandante ou de visitante. São coisas diferentes. Além do mais que a primeira partida define coisas para a segunda. Jogaremos condicionados ao resultado. Esperamos fazer uma boa partida e encaminhar a classificação. A obrigação de atacar é mais do Rosario, que é o mandante do jogo – pontuou o treinador, falando em língua espanhola.

Mesmo fechando os portões durante as atividades no CT do Newell’s, Aguirre não deve fugir do esquema com três zagueiros. A principal dúvida da equipe está no possível  retorno do meia-atacante Valdívia, que pode pegar a vaga de Petros entre os titulares.

– Estou no São Paulo tem pouco tempo e ainda estou tirando as minhas conclusões. É uma equipe importante do Brasil, com jogadores de peso e com grandes obrigações, assim como todas as outras equipes grandes. Temos nossas responsabilidades e o São Paulo precisa ser protagonista – concluiu o uruguaio, demonstrando que a postura do Tricolor será combativa.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*