São Paulo se reencontrará com Sul-Americana em momento melhor

Na próxima quinta-feira, no Estádio do Morumbi, o São Paulo se reencontra com a Copa Sul-Americanaapós um hiato de dois meses da classificação conquistada sob muitas dificuldades diante do Rosário Central. A partir das 19h30 (de Brasília), os comandados de Diego Aguirre medem forças contra outro argentino, o Colón, com praticamente tudo diferente do dia 9 de maio, data da vitória por 1 a 0 pela primeira fase. Desde a escalação até o momento… muito melhor.

Antes de sair do Morumbi classificado na competição continental vencendo o Rosário com um gol de Diego Souza, que aproveitou o chute na trave de Reinaldo, Aguirre tinha em suas mãos um time eliminado do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil e com um início de Brasileiro instável. No Estadual, um gol de Rodriguinho no fim levou o confronto na Arena Corinthians para os pênaltis e, posteriormente, ao revés. Já na competição nacional, a vantagem de 2 a 0 não sustentada diante do Atlético Paranaense culminou na saída precoce.

A vitória em pleno Estádio Cícero Pompeu de Toledo, porém, marcou a “virada de chave” do tricolor dentro e fora de campo. Dedicado apenas ao Brasileirão e com semanas para trabalhar, o treinador uruguaio conseguiu dar indícios de suas características e um primeiro esboço de sua ideia para o elenco. Desde a vitória sobre os argentinos, o São Paulo perdeu apenas dois jogos, venceu outros oito e chegou ao segundo lugar do campeonato nacional.

Na próxima quinta-feira, também, o time que será escalado deve ser muito diferente em relação ao que entrou em campo naquele dia 9 de maio. Da escalação inicial na partida decisiva pela Sul-Americana, dois jogadores sequer fazem mais parte do elenco, casos de Petros e Valdívia, ambos negociados com o futebol árabe. Outros, entretanto, não devem ser opções do comandante por diversos aspectos, desde lesões até “escolhas”:

Na meta, Sidão deve ser mantido. Régis, titular na lateral-direita, voltou a trabalhar em campo apenas na última terça após problemas pessoais e não será relacionado, dando lugar a Éder Militão. Na zaga Anderson Martins será mantido, mas Bruno Alves deve ceder seu lugar para Arboleda. Reinaldo, titular absoluto e em ótima fase, será um remanescente.

A dupla de volantes formada por Jucilei e Petros não será mantida. Além do ex-camisa seis, negociado, o camisa oito se recupera de lesão e será desfalque. Liziero, escolhido na partida, será mantido ao lado de Hudson, novidade. Nene, referência do elenco, será mais um jogador a ser escalado por Aguirre nos dois jogos, salvo algum imprevisto, assim como Diego Souza, autor do gol na oportunidade.

Por último, os lados do campo terão peças completamente novas. Inscritos na última terça-feira para a competição, Joao Rojas e Everton são duas peças quase que insubstituíveis sob o comando de Diego Aguirre. O meia contratado junto ao Flamengo já estava no clube do Morumbi contra o Rosario, mas não teve seu nome na lista viabilizado a tempo.

Diferente em muitos aspectos, o São Paulo se reencontra com a Sul-Americana em ótimo momento no Campeonato Brasileiro, apenas dois pontos atrás do líder e fortalecido após a dura sequência dos quatro primeiro jogos seguintes a pausa para a Copa do Mundo, dos quais o time venceu três (Flamengo, Corinthians e Cruzeiro). Além disso, com um comandante respaldado pela diretoria e pelos torcedores diante do bom trabalho.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “São Paulo se reencontrará com Sul-Americana em momento melhor

  1. Por mim era todos os reservas ,até mesmo pra eles ficar afiado para o brasileiro,,,e outra o que nenê , Diego Souza , Everton e Rojas correm em campo não dar pra ir assim até o final do Brasileiro,tem que deixar os cara descansa pra não vim desculpa que faltou perna poh

  2. O futebol que vem sendo apresentado pelo time, sob o comando do Aguirre, lembra, e muito, aquele saudoso time campeão do Peñarol dos anos 60, quando contava com a presença e o brilho do saudoso Pedro Rocha, além de Cubillas, Sasia, Spencer, Matosas e Maidana no gol. Como sou um fã ardoroso dessa forma aguerrida de encarar o futebol, atualmente, eu me sinto plenamente representado em campo pelo time, no qual o Nenê faz às vezes do grande maestro Pedro Rocha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*