São Paulo envia defesa de Calleri, mas não há prazo para julgamento

O São Paulo enviou a defesa de Calleri para a Conmebol nesta terça-feira e agora espera que o Tribunal Disciplinar julgue o caso – o atacante, expulso contra o Trujillanos na quinta-feira passada, está automaticamente suspenso da próxima partida. O clube fez apelo nos bastidores para apressar a decisão do pedido de efeito suspensivo, mas não há garantias. Por isso, é pouco provável a liberação do argentino para o jogo desta quinta-feira, diante do Toluca, às 21h45, no Morumbi, na ida das oitavas de final da Libertadores.

Os argumentos da defesa do São Paulo são de que a expulsão de Calleri foi injusta. Nas imagens da televisão e em fotos é possível ver o argentino sendo agredido. O motivo do cartão vermelho é por xingamentos a jogadores do The Strongest, segundo relatado pelo árbitro chileno Roberto Tobar no informe da partida. O Tricolor contesta essa versão, e o próprio atacante nega as ofensas.

Mesmo assim, o histórico de cancelamento de expulsões é raro. Os poucos casos estudados pelo clube ocorreram em erros de árbitros que se confundiram ao aplicar o segundo amarelo para um atleta fora do lance.

De acordo com o documento que deu origem ao procedimento disciplinar de Calleri, o argentino não foi enquadrado em artigo de agressão. Por isso, é improvável que o tribunal aumente a pena de um para três jogos. Assim, ele estaria livre para o duelo de volta, na próxima quarta-feira, no México.

O Tribunal Disciplinar da Conmebol é presidido por Caio Rocha, que não pode participar do caso por ser brasileiro, mesmo caso do boliviano Alberto Lozada. Completam o tribunal Adrián Leiza Zunino (uruguaio), Carlos Tapia Aravena (chileno) e Orlando Morales Leal (colombiano).

Sabendo da dificuldade da situação do artilheiro do Tricolor no ano, com 12 gols, Edgardo Bauza prepara o time com Alan Kardec no ataque. O centroavante, aliás, tem recebido atenção especial nos treinamentos de finalização e posicionamento.

Além de Calleri, o preparador físico Bruno Militano e o auxiliar José Daniel Di Leo também foram excluídos na confusão após o jogo com os bolivianos. Expulso nos minutos finais do jogo, o goleiro Denis será substituído por Renan Ribeiro ou Léo.

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “São Paulo envia defesa de Calleri, mas não há prazo para julgamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*