São Paulo e Atlético terá juiz estrangeiro e mostra vitória de Kalil

A Conmebol definiu nesta sexta-feira a escala de árbitros para os jogos das oitavas de final, na próxima semana. O jogo entre São Paulo e Atlético-MG será apitado pelo paraguaio Antonio Arias. A escala foi uma vitória nos bastidores do clube mineiro, que reagiu a um pedido do rival, que queria árbitro brasileiro na decisão.

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, esteve na Conmebol na última terça-feira. Ele foi à entidade com o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marin, e o seu vice Marco Polo Del Nero.  A visita irritou a diretoria do São Paulo, que temia uma influência do rival na decisão do árbitro.

“Qualquer um pode ir lá. Eu marquei hora com a Conmebol e fui. O Marin foi para um lado e eu fui para outro”, disse Kalil em entrevisa ao UOL Esporte. Antes da decisão ser anunciada, o cartola reclamou do que chamou de pressão do São Paulo para definir o juiz das partidas das oitavas de final.

“Fui na Conmebol nesta semana, mas não falei de nenhum nome. Eles (São Paulo) querem o Heber Roberto Lopes e o Leandro Vuaden. Estão pedindo pelo amor deus”, ironizou Kalil.

Na partida final da fase de grupos da Libertadores, em que o Atlético perdeu por 2 a 0, em São Paulo, o técnico Cuca, jogadores e principalmente Alexandre Kalil reclamaram da atuação do árbitro Wilton Pereira Sampaio, de Goiás. O mandatário chegou a afirmar que o árbitro era ruim.

Diferentemente do que acontece no Campeonato Brasileiro, no torneio sul-americano não há sorteio. A definição dos árbitros nas partidas da Libertadores é da Conmebol. Em 2012, os confrontos entre brasileiros na fase final da Libertadores tiveram árbitros do país.

Os jogos entre Santos e Corinthians na semifinal foram apitados por Marcelo de Lima Henrique e depois por Leandro Vuaden. Já nas quartas, Vasco e Corinthians teve Sandro Meira Ricci e Vuaden.

Um comentário em “São Paulo e Atlético terá juiz estrangeiro e mostra vitória de Kalil

  1. Engraçado isso não é mesmo? O Kalil reclamou da pressão mas o que ele fez? Ele pressionou com a ajuda da CBF e conseguiu!

    E no ano passado os pateticanos ficavam falando CBFlu. E agora pateticanos? O que vocês acham dessa intimidade do presidente com a CBF? Frutífera, não é mesmo?

    O futebol agora é disputado fora de campo. Jogo de cartas marcadas. Coitado do povão que não enxerga a corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*