São Paulo diz que negociou com Lugano. Mas zagueiro conta outra história

O Brasileirão estava próximo da pausa para a Copa do Mundo quando o zagueiro uruguaio Diego Lugano rescindiu com o West Brom, da Inglaterra, e provocou comoção popular entre torcedores do São Paulo. O retorno foi pedido e o nome do ídolo do clube – campeão da Libertadores e do Mundial em 2005 – foi gritado no Morumbi. Muricy Ramalho jogou para a torcida, pediu publicamente a volta de Lugano e fez com que o presidente Carlos Miguel Aidar mudasse de ideia. Pelo menos publicamente: Aidar falou que negociaria com o uruguaio. O tempo passou, a Copa se foi e nada se ouviu. Agora, Lugano falou mais uma vez e da forma mais clara de todas que gostaria de se aposentar no São Paulo, enquanto a diretoria do clube conta história diferente.

Uma das partes envolvidades, seja a diretoria do São Paulo ou Diego Lugano, esconde parte da história. O presidente Carlos Miguel Aidar agora afirma que procurou, sim, o uruguaio para negociar durante a Copa e que não houve acordo. O zagueiro de 33 anos, no entanto, lamenta não poder encerrar a carreira no clube pelo qual se tornou um dos maiores ídolos da história. Lugano falou sobre o assunto na última quarta, à Rádio Sport 890, de Montevidéu, no Uruguai. E nesta quinta-feira, Carlos Miguel Aidar foi questionado sobre o tema. E respondeu:

“Durante a Copa do Mundo nós não travamos nenhum entendimento porque o atleta estava concentrado e o foco dele era a seleção uruguaia, mas ao contrário do que você está afirmando, nós procuramos falar com o Lugano e com seu empresário, e a informação que encontramos é que ele gostaria de ficar na Europa. Falamos com o Lugano no meio da Copa, ficou claro que nem ele queria, e nem o São Paulo queria”, falou Aidar.

A declaração vai de encontro e se opõe ao que diz o uruguaio. Hoje, a pessoas próximas, ele confidencia que deverá jogar na Ásia. Estuda com mais atenção uma oferta dos Emirados Árabes Unidos e outra da China. À rádio uruguaia, o capitão da Celeste e ídolo são-paulino deixou claro qual seria seu sonho para o fim de carreira.

“Eu sempre disse que gostaria de encerrar no São Paulo porque o carinho que as pessoas têm comigo é incrível, e por reconhecimento e prazer deveria ser assim. Eu gostaria que fosse assim”, falou, sem citar qualquer conversa com o clube durante a Copa do Mundo.

Diego Lugano também afirmou que agora, aos 33 anos, tem calma para escolher o próximo destino porque deve disputar sua última temporada profissional antes da aposentadoria. Apesar de já ter confidenciado a amigos que deverá jogar na Ásia, ele diz que também tem propostas de clubes da Europa e uma do Brasil, e explica porque não cogita voltar ao futebol uruguaio.

“Existem algumas situações, não há um prazo. De Ásia, Europa e de América. Na América, se vou, é para o Brasil. Estamos vendo o que é o melhor, tanto esportivamente quanto no pessoal. É um tempo de cansaço mental, 13 anos dando voltas, esse é o último tiro e tem que ser certo. O Uruguai não é uma opção. Depois de 10 ou 11 anos de seleção, 9 como capitão, ir ao Uruguai para me identificar com outro clube não é o melhor, nem para mim nem para a torcida”, falou.

Lugano definitivamente não é uma opção para o São Paulo, mas agora pela primeira vez desde 2006, quando deixou a equipe, vive situação em que seu discurso não bate com o do clube. Em todas as outras vezes, o uruguaio deixou claro que não era momento de voltar. Quando manifestou o desejo estando desempregado, as histórias não entraram em harmonia.

 

Fonte: Uol

2 comentários em “São Paulo diz que negociou com Lugano. Mas zagueiro conta outra história

  1. “Direito de espernear”.
    Quando não tem mais nenhuma porta aberta tenta forçar a “antiga tranca”!
    Prazo de validade vencido!
    Melhor ficar com as boas lembranças vividas pelas partes durante a passagem pelo SP….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*