São Paulo, Corinthians e Palmeiras unidos no combate à violência

Corinthians, Palmeiras e São Paulo se uniram à prefeitura de São Paulo para ampliar o alcance do programa “Tem Saída”, de combate à violência doméstica contra mulheres.

Representantes dos três clubes assinaram um acordo de cooperação com as secretarias de Desenvolvimento Econômico e de Direitos Humanos e Cidadania nesta quinta-feira na Prefeitura. Compareceram os presidentes de Corinthians e São Paulo, Andrés Sanchez e Carlos Augusto Barros e Silva (Leco), além do vice do Palmeiras Paulo Roberto Buosi.

O programa municipal tem como objetivo oferecer autonomia financeira, por meio da geração de emprego às mulheres vítimas de violência doméstica, para que elas tenham a possibilidade de não depender economicamente do agressor.

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, recebe representantes de Corinthians, São Paulo e Palmeiras — Foto: Fernando Vidotto

Bruno Covas, prefeito de São Paulo, recebe representantes de Corinthians, São Paulo e Palmeiras — Foto: Fernando Vidotto

Nas redes sociais, os clubes publicaram um vídeo e uma carta aberta a torcedores e torcedoras.

– Os três maiores clubes de São Paulo deixam suas diferenças de lado para que todas as mulheres, independentemente do time do coração, possam ser independentes financeiramente do seu agressor rompendo com o ciclo de violência – diz o texto.

Veja abaixo a carta aberta dos clubes:

“Quem frequenta o estádio, mais do que ninguém, sabe que o futebol não é só um esporte. São as arquibancadas que unem pessoas de todas as classes sociais, escolaridades, origens e etnias. E é para essas mesmas arquibancadas que nós, Corinthians, Palmeiras e São Paulo, fazemos nosso apelo.

No Brasil, a cada 7 segundos uma mulher é agredida. A cada duas horas, uma mulher é assassinada. São corinthianas, palmeirenses e são-paulinas entrando para estatísticas que nos deixam na parte de cima de uma tabela que não queríamos estar: a quinta posição no ranking mundial de feminicídio. Uma posição inaceitável diante da qual precisamos nos posicionar e manifestar nosso repúdio.

Os três maiores clubes de São Paulo deixam suas diferenças de lado para que todas as mulheres, independente do time do coração, possam ser independentes financeiramente do seu agressor rompendo com o ciclo da violência. Por isso, oficialmente, os três clubes tornam-se colaboradores do programa Tem Saída, criado pela Prefeitura de São Paulo juntamente com o Ministério Público, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, OAB-SP e ONU Mulheres.

Esperamos que cada vez mais empresas sigam este exemplo e unam-se à causa. Que a nossa união traga esperança para as mulheres e as encoraje a denunciar seus agressores. E que nossos torcedores sigam respeitando suas companheiras, mães, filhas e amigas.

Porque todos nós sabemos que, quando acreditamos, conseguimos virar o jogo. Que o futebol, mais do que ser sobre vitórias, é sobre esperança. E que, quando damos as mãos e entoamos o mesmo grito, somos capazes de tudo.

O que precisamos agora é do apoio de nossas torcidas. Só com a força de vocês entraremos em campo com a certeza de que #TemSaída.

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “São Paulo, Corinthians e Palmeiras unidos no combate à violência

  1. Até acho que se uniram por uma boa causa.
    Mas deveriam se unir para acabar com a violencia entre as torcidas e os classicos voltarem a ter duas torcidas, como era nos anos 70.

  2. Bom, se a Iniciativa vai tarde frutos não sabemos, espero que seja algo bom para as mulheres que apanham de seus companheiros e sabemos que é um número muito grande, muito triste, mas as mulheres precisam despertar mais cedo, pois é comum ver histórias de mulheres que ficaram casadas 8, 10, 14 anos com o agressor e sofrendo estes mesmos anos, bom agora acho que cabe aos clubes também ter iniciativas para clássicos de duas Torcidas, encher estádios e leis mais severas para agressores.

  3. Isso não tem absolutamente nada haver com futebol. O problema passa por um país totalmente ultrapassado em leis, leis que são extremamente brandas ou de dúbia interpretação. Porque aqui empera o tal do desencarceramento tão defendido pelos sacripantas da esquerda. Tomara que com os novos congressistas possamos ter leis, poucas mas que façam justiça!! Não esse amontoado que não pune ninguém!!!

    Outra aberração é o tal feminicídio! Todo e qualquer ato de aniquilar uma vida humana tem de haver igual punição e duríssima, não importa de qual sexo é e muito menos a idade!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.