São Paulo atinge marca rara, mas reitera foco contra o rebaixamento

Após derrotar Flamengo e Santos, o São Paulo finalmente voltou a conquistar duas vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro, o que não ocorria desde maio, quando fez 2 a 0 em Avaí e Palmeiras, ainda sob o comando de Rogério Ceni. A série invicta levou a equipe ao 11º lugar, com 40 pontos, sete acima da zona de rebaixamento.

Mesmo assim, o discurso de elenco e comissão técnica segue cauteloso: a meta é alcançar a pontuação necessária para escapar do descenso. Feito isso, o time tricolor poderá pensar em objetivos maiores, como uma vaga na Copa Libertadores da América.

“Finalmente conseguimos. Desde que eu cheguei aqui, desde que eu retornei não tínhamos ganhado dois jogos seguidos. Conseguimos realizar esse feito, vitória com méritos, jogamos bem, neutralizamos a equipe do Santos. Uma vitória que mostra que conseguimos subir um degrau”, comemorou o meia Hernanes, após o clássico do último sábado.

O Profeta, contudo, refuta qualquer possibilidade de a equipe sonhar com o G7. “Ainda não, o primeiro objetivo é atingir 47 pontos. Enquanto não conseguirmos isso, nada feito. É um começo de reação, ainda não conseguimos realizar nosso objetivo. É apenas o primeiro passo. Ainda não estou satisfeito, equipe mostrou o primeiro sinal de maturidade, de humildade. Pés no chão, humildade e trabalho”, alertou.

A sete rodadas para o término da competição, o São Paulo precisaria de mais duas vitórias e um empate para se livrar de vez do risco da degola. A missão para entrar no grupo de classificação da Libertadores é bem mais difícil, contudo. No momento, o Flamengo, sétimo colocado, tem sete pontos a mais que o clube do Morumbi.

“Nosso foco é fazer os 47 pontos, é o nosso objetivo. Não pode se iludir”, afirmou o goleiro Sidão, tendo a opinião compartilhada pelo lateral direito Éder Militão. “Não, isto é batalha dia a dia, passo a passo, esquece isso de Libertadores. Estamos focados, vamos pensar jogo a jogo. O que vier para a gente é lucro”, reiterou o atleta de 19 anos, revelado em Cotia.

Em entrevista coletiva concedida após o San-São, Dorival Júnior admitiu que a situação de momento é mais confortável, mas refutou que isso venha acarretar em relaxamento por parte dos jogadores. O técnico, inclusive, chegou a utilizar como exemplo a derrota por 3 a 1 para o Fluminense, que sucedeu a vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR.

“Tranquilidade em termos. Fui para o Rio de Janeiro tranquilo e acabamos perdendo. Não podemos nos dar esse luxo, o campeonato não proporciona essa situação. O São Paulo conviveu muito tempo na zona, e aprendeu com isso. Essa semana será de muito alerta todos os dias”, prometeu.

O próximo compromisso do São Paulo é o duelo com o lanterna Atlético-GO, no próximo sábado, no Serra Dourada. Dorival espera que o desempenho da equipe seja o mesmo em Goiânia.

“Com os erros diminuídos, é natural que a equipe ganhe mais corpo. Oscilou em alguns momentos, mas de um modo geral a equipe vem encontrando um caminho, ainda não consolidado. Por isso, não podemos ter um relaxamento até porque nossa situação há 15 dias era duvidosa”, rememorou o treinador.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*