Santos expõe mágoa e veta medalha de campeão da Recopa a Ganso

Os dirigentes do Santos não escondem que a mágoa com o meia Paulo Henrique Ganso ainda não passou. O meia, que deixou o clube para jogar no São Paulo, não receberá a medalha de campeão da Recopa Sul-Americana, conquistada pela equipe diante da Universidad de Chile, na última quarta-feira, no Pacaembu.

Como participou do primeiro jogo da final em Santiago, no Chile, no dia 22 de agosto, e a Conmebol disponibiliza medalhas para os 25 atletas inscritos, Ganso teria direito a receber o prêmio, já que foi inscrito com a camisa 10 do Santos na competição.

“Tem de participar por completo e o último jogo é o que fica. Acho que não, quem merece são os jogadores que estão aqui até hoje e fazem parte do grupo, esses merecem a medalha. Nem nos preocupamos com isso. O Ganso não é mais jogador do Santos, não tem por que receber medalha. É um detalhe que passou batido para nós. Premiamos quem é jogador do Santos hoje”, afirmou o superintendente do clube, Felipe Faro.

O atacante Neymar, principal estrela do clube e eleito o melhor jogador da final da Recopa, pensa diferente dos dirigentes santista. Após o término do jogo, o camisa 11 do Santos deu uma volta olímpica sozinho no Pacaembu e, em seguida, dedicou a conquista a Ganso.

“Fiquei (triste pela saída de Ganso). Já falei, mas já foi. Agora não dá para chorar o leite derramado. Ele está feliz: ‘Paulinho (Ganso) você faz parte desse título, pois jogou a primeira partida da final”, disse.

Ganso deixou o Santos em crise com o presidente Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro e companhia. Em meio às negociações com o São Paulo, o atleta recusou mais uma proposta de reajuste salarial do clube. Alegando que o aumento oferecido seria apenas por seis meses, Ganso deixou o clube para receber R$ 300 mil mensais no Morumbi

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*