Santos e São Paulo combinam trégua sobre o caso Ganso

Sem declarações polêmicas que piorem o clima entre Ganso e Santos. O UOL Esporteapurou que o Peixe e o São Paulo combinaram que amenizarão o tom das explanações via imprensa e irão estabelecer uma trégua para que o caso não repercuta ainda mais.

Apesar de as partes sinalizarem que a negociação para a saída de Ganso ao São Paulo terminou, as conversas continuam. Segundo cartolas são-paulinos, apesar de o presidente do Santos descartar a venda de Ganso abaixo do valor da multa, há no Conselho Gestor do Santos gente interessada na negociação.

Os sinais de que o acordo está sendo colocado em prática puderam ser vistos já neste domingo no Pacaembu. O vice-presidente de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, fez questão de botar panos quentes na nota oficial do Santos em que fazia críticas ao técnico Ney Franco por ter dito que “rabiscou um campinho” com Ganso no time.

“Seria deselegante da nossa parte comentar qualquer tipo de nota oficial vinda de outro clube”, justificou o dirigente são-paulino.

Ney Franco seguiu a mesma linha de Jesus Lopes e fez questão de pedir desculpas ao Santos e ao técnico Muricy Ramalho pela sua declaração. O treinador falou também que não comentará mais nada sobre o caso Ganso.

“[A declaração] foi mal interpretada na forma como foi veiculada. Ao pessoal do Santos, eu peço desculpas. Talvez tenha sido infelicidade minha de entrar oba-oba.  Botei o rabisco na gaveta, ele vai ficar fechadinho lá e só volta quando a  gente for enfrentar o Santos, pois aí vou saber como enfrentá-lo”. No Morumbi, a declaração de Ney foi atribuída justamente à trégua combinada.

Pelo lado do Santos, a trégua foi comprovada pela decisão do presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, comunicada pela sua assessoria, de que ele não falará mais nada sobre o assunto, “para não alimentar polêmicas”.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*