Salário dificulta acerto com Cícero e Tricolor nega contato por Goulart

Após anunciar Wellington Nem e Sidão como os primeiros reforços para 2017, o São Paulo dá sequência na montagem do elenco para a próxima temporada. Nos últimos dias, o nome do meio-campista Cícero, do Fluminense, foi ventilado no Morumbi, mas a negociação é vista como improvável em função da pedida salarial do jogador.

“O Rogério lembrou do Cícero, que jogou com ele. É um jogador interessante, porque faz várias funções, chega bem à frente. É um jogador que poderia nos ajudar, até para alavancar os garotos. Mas tem um problema salarial, uma questão de negócio que parece ser mais difícil de ser realizada”, declarou o diretor executivo de futebol do Tricolor, Marco Aurélio Cunha, em entrevista ao canal Sportv, na tarde desta terça-feira.

Com 32 anos, Cícero atuou pelo clube do Morumbi em 2011 e 2012 e seria um dos pedidos do técnico Rogério Ceni. “Não vai ser a salvação do São Paulo, mas dá uma arrumadinha. O Renato para o Santos, quanto significa? Olha o que o Renato faz pelo Santos. São jogadores que são ótimos como pessoas, trabalham bem, são eficientes. Acho difícil (a negociação) poder dar certo, mas é um jogador interessante”, acrescentou o dirigente.

Marco Aurélio Cunha elogiou Cícero, mas citou questão salarial como empecilho para negociação (Foto: Mailson Santana/ Fluminense)
Marco Aurélio Cunha elogiou Cícero, mas citou questão salarial como empecilho para negociação (Foto: Mailson Santana/ Fluminense)

Marco Aurélio também elogiou o atacante Cristian Colmán, do Nacional, do Paraguai. O diretor, inclusive, chegou a compará-lo ao argentino Jonathan Calleri, que foi destaque da equipe ao marcar 16 gols na primeira metade do ano.

“Eu acho que é uma ótima contratação se ela se viabilizar, porque é um menino de muito futuro tanto quanto foi o Calleri, que pouca gente conhecia. Ele pode fazer um trabalho semelhante”, afirmou.

Cunha, no entanto, disse desconhecer o interesse do São Paulo no futebol do também atacante Ricardo Goulard, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro, em 2013 e 2014, e que agora atua no chinês Guangzhou Evergrande.

“Nunca ninguém falou comigo sobre ele. Ontem tivemos uma reunião no Morumbi sobre a Florida Cup, com o presidente, inclusive, e esse nome não foi ventilado. Pode ser que seja uma coisa do Rogério, mas não tenho nenhuma informação sobre o Ricardo Goulart”, esclareceu.

Sobre Ricardo Oliveira, Marco Aurélio descartou a contratação do centroavante por conta de um pedido do presidente do Santos, Modesto Roma Júnior.

“O Modesto Roma, que é meu amigo, me pediu: ‘Por favor, eu não quero abrir mão do Ricardo Oliveira’. E eu, respeitosamente, entendo que se o presidente do Santos não quer, não adianta insistir e ser deselegante com ele”, revelou.

Apesar de observar o mercado em busca de reforços para 2017, o São Paulo também está atento para suas categorias de base. De acordo com o diretor de futebol do clube, a solução para os problemas do time pode estar nos jovens atletas.

“O São Paulo está vendo o Colmán, mas ainda não tem nada definido e tem umas outras observações de troca, de possibilidades de trazer algum jogador experiente para nós. São poucos e pontuais para não ficar criando grandes expectativas, porque temos os meninos da base que são a solução”, concluiu.

Após mais de três meses no Tricolor, Marco Aurélio Cunha volta a exercer seu cargo na CBF (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)
Após mais de três meses no Tricolor, Marco Aurélio Cunha volta a exercer seu cargo na CBF (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

Saída do cargo de diretor

Na última segunda-feira, Marco Aurélio Cunha entregou o cargo de diretor executivo de futebol ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Entretanto, ele vai continuar ajudando informalmente a cúpula são-paulina no planejamento para 2017.

Coordenador de futebol feminino da CBF, Marco Aurélio teve sua licença da entidade encerrada e já retomou ao cargo na semana passada, quando esteve junto à Seleção Brasileira na campanha do título do Torneio Internacional de Manaus. Dessa forma, o dirigente não viajará com a delegação tricolor para os Estados Unidos, onde a equipe disputará a Copa Flórida, marcada para acontecer entre os dias 7 e 21 de janeiro.

“Agora eu retorno, já estive em Manaus com a Seleção feminina. A pré-temporada lá em Orlando, na Flórida, eu vou passar porque estou de férias a partir de hoje. Vou ajudar um pouquinho no começo do Rogério, mais como dirigente amador. Vou fazer isso por eles”, explicou.

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Salário dificulta acerto com Cícero e Tricolor nega contato por Goulart

  1. Eu entendo que se o Cícero vier numa condição de reserva, tudo bem. Para compor elenco. Se a ideia é lançar jovens, precisaremos de veteranos que deem suporte aos moleques. Agora, se estão considerando o Cícero titular, estamos com sérios problemas.
    De resto, o que é esta declaração “o presidente do Santos não quer”? Que puta bundão, hein?
    Aliás, que contribuição deu o MAC nesse passagem? Não vejo nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*