Precisando de gols, São Paulo sofre com crise do setor ofensivo

O São Paulo nunca, em 2013, dependeu tanto da força de seu ataque para continuar vivo na Taça Libertadores. O Tricolor precisa de gols para vencer o Atlético-MG e avançar às quartas de final. O problema é o mau momento de seu setor ofensivo. Com exceção de Jadson, todos os jogadores de frente do elenco passam por um período ruim.

O grande exemplo disso é Luis Fabiano, que voltará a ser titular na quarta-feira, no Independência. O centroavante da seleção brasileira na Copa do Mundo da África do Sul continua sendo o artilheiro do time na temporada, com 12 gols, mas não balança a rede desde o dia 27 de março, data da vitória por 2 a 0 sobre o Paulista, em Jundiaí, pelo Estadual.

Depois disso, entrou em um declínio considerável. Além de não marcar novamente, teve de cumprir a suspensão de quatro partidas imposta pela Conmebol – ofendeu o árbitro Wilmar Roldán após o empate contra o Arsenal, no Pacaembu, pela Libertadores.

Dúvida por causa de dores no quadril, Osvaldo também tem problemas quando o assunto é mandar a bola para as redes. Em alta nas assistências, o baixinho peca nas finalizações. O último gol saiu no dia 28 de fevereiro, quando o Tricolor fez 2 a 1 sobre o Strongest, no Morumbi – ele anotou cinco na temporada.

O pior aproveitamento pertence a Paulo Henrique Ganso, em crise com o gol desde 16 de fevereiro. O meio-campista fez apenas dois no ano, ambos pelo Paulistão – diante de Atlético Sorocaba e Ituano.

Quem vivia um momento melhor não jogará. Sem o Fabuloso, Aloísio foi o artilheiro da equipe na fase de grupos, com dois gols, ao lado de Rogério Ceni. No entanto, teve uma lesão na coxa direita logo no início do duelo da semana passada e ficará mais 15 dias fora.

Os outros atacantes reservas estão em baixa. Wallyson, contratado do Cruzeiro para ajudar a suprir a saída de Lucas para o Paris Saint-Germain, não fez nenhum desde que chegou. De quebra, nunca conseguiu se firmar e, nos últimos jogos, vem sendo preterido pelo treinador.

Já Ademilson, autor de um gol sobre o Galo na fase de grupos, perdeu quatro chances claras no confronto do mata-mata e também perdeu pontos na disputa pelas vagas. Tanto que, diante do Corinthians, Ney Franco optou por improvisar o lateral-direito Douglas no meio quando Osvaldo se lesionou.

A esperança está nos pés de Jadson. O meio-campista é o vice-artilheiro tricolor, com nove gols, e fez o tento do time na derrota por 2 a 1, na semana passada. Ele acumula outros em jogos importantes, como nos clássicos diante de Corinthians e Santos, e frente a Strongest (dois) e Arsenal, pela Libertadores.

– Nós já provamos que temos condições de vencer. Podemos passar pelo Atlético-MG em Belo Horizonte – afirmou o camisa 10.

Para avançar às quartas de final, o São Paulo precisa vencer o Atlético-MG por dois gols de diferença ou a partir de 3 a 2. Se fizer 2 a 1, a decisão será nos pênaltis. Quem passar pega Palmeiras ou Tijuana, do México.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*