Peças-chave: Luis Fabiano e Jadson participam de 68% dos gols tricolores

Luis Fabiano voltou para o São Paulo para ser o artilheiro, o homem que desperta a atenção da defesa adversária, abre espaços e, no fim, empurra a bola para o fundo do gol. Jadson veio para organizar o meio de campo tricolor e contribuir com passes decisivos para os atacantes. E a receita parece ter dado tão certo que os dois chegam na reta final do Campeonato Brasileiro como as peças-chave de Ney Franco. Resultado: depois de dois anos sem disputar a Libertadores, o time está bem perto de garantir a vaga no torneio internacional.

A prova em números está na participação dos dois em gols: 37 dos 54 (68,5% dos gols) marcados pela equipe na Série A deste ano. Em 11 ocasiões (20,3% dos gols), ambos estavam envolvidos no mesmo lance. Luis Fabiano é atualmente o vice-artilheiro com 16 gols, três a menos que Fred, do Fluminense. E metade destes gols (8) saíram de uma assistência de Jadson, que, por sua vez, contou com o passe de Luis Fabiano em uma única oportunidade para balançar a rede, na 13ª rodada (São Paulo 4 x 1 Flamengo).

Apenas duas vezes os dois participaram de um lance que não teve ligação direta do atacante para o meia ou vice-versa. Aconteceu na 28ª rodada, na vitória por 3 a 0 sobre o Palmeiras. No primeiro gol tricolor, Jadson faz um bonito lançamento para Lucas entrar na área e chutar. Bruno defendeu, a bola tocou na trave e sobrou para Luis Fabiano. E na 20ª rodada, na vitória por 4 a 0 sobre o Botafogo, quando Luis Fabiano recebeu de Jadson na cara do gol, chutou e Jefferson deu sobra para Osvaldo marcar.

Individualmente, no entanto, o Fabuloso está a frente do companheiro. Em 26 dos 54 gols são-paulinos, ou seja, 48,1%, o camisa 9 teve sua parcela. Nos 16 gols, nas cinco assistências ou nas cinco vezes que ajudou a construir a jogada, ele estava lá. O número parece ainda mais incrível se levado em conta as 21 vezes que entrou em campo durante as 35 rodadas. Para se ter uma ideia, em nove partidas ele teve mais de uma participação em um dos gols. Não à toa o time tem 63,4% de aproveitamento com o artilheiro em campo. Um dos melhores entre os atletas do clube.

– Ele (Luis Fabiano) é um jogador maduro, que jogou Copa do Mundo, um cara que a torcida gosta muito. Sempre tentei ajudar. A minha característica é deixar o atacante em melhores condições, e na metade dos gols dele ajudei bastante no último passe – elogiou Jadson, que explicou que não há um trabalho específico, mas que a sintonia é conquistada ao longo das partidas:

– É mais no momento da partida, na movimentação que ele faz.

Jadson não sofreu com a sequência de problemas de lesão como o companheiro, por isso participou de mais partidas: 34 ao todo. O aproveitamento com ele em campo é menor: 54,9%. Mas o camisa 10 tem se mostrado fundamental para a equipe. Em 22 gols ele estava lá para dar sua contribuição (40,7%). Foram 10 assistências, cinco gols e seis participações na construção da jogada. Um dos pontos fortes são as bolas paradas. Dos pés de Jadson saem as cobranças de escanteio e faltas alçadas na área.

– Com o decorrer do tempo fui pegando o entrosamento, o jeito que o Luis Fabiano joga, a movimentação dele. Graças a Deus deu certo no campeonato e conseguimos fazer boas partidas, com ele fazendo gols e eu dando assistência – destacou Jadson.

Outros três jogadores ajudam a construir a campanha do quarto colocado. Lucas é uma das principais armas ofensivas de Ney Franco, mas acabou fora de 13 partidas por conta da disputa das Olimpíadas de Londres e amistosos com a seleção brasileira, além de cumprir suspensão por acúmulo de três amarelos. Do meia vieram 16 participações. Uma a mais queOsvaldo, que conquistou de vez o seu espaço no time, e três a mais que Maicon.

Confira a lista de participações dos jogadores nos 54 gols do São Paulo:

Jogadores Envolvimento em gols Percentual do total de gols
Luis Fabiano 26 48,1%
Jadson 22 40,7%
Lucas 16 29,6%
Osvaldo 15 27,7%
Maicon 13 24,07%
Bruno Cortez 8 14,8%
Ademilson 6 11,1%
Douglas 5 9,2%
Cícero, Denilson, Paulo Miranda e Rafael Toloi 4 7,4%
Rogério Ceni e Willian José 3 5,5%
Casemiro, Rhodolfo e Wellington 2 3,7%
Piris, Rafael Oliveira e Rodrigo Caio 1 1,8%
Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*