Organizadas e Polícia vetam recepção em praça para evitar pedras em ônibus

Em reunião entre os representantes dos órgãos de segurança da cidade, do São Paulo, do Corinthians e das organizadas, hoje, ficou definido que os torcedores do Tricolor não deverão fazer a já tradicional recepção para a delegação da equipe antes da final do Campeonato Paulista, que será realizada neste domingo, no Morumbi. A intenção é evitar que o ônibus com os atletas do time alvinegro seja apedrejado.

Desta maneira, será ampliado o policiamento na região próxima ao estádio. Em geral, os são-paulinos ficam na praça Roberto Gomes Pedrosa para festejar a passagem do veículo do Tricolor. No entanto, em algumas partidas, os adversários foram alvos de pedras, garrafas e outros objetos. Em certos jogos, a Polícia Militar também organizou a escolta para que os dois times chegassem juntos.

Vale destacar que antes mesmo da decisão, tomada hoje em consenso, as principais organizadas do São Paulo, Independente e Dragões da Real, já tinham indicado aos torcedores e sócios que não deveria ser feita a recepção para que problemas fossem evitados.

O caso mais recente de hostilidades aconteceu na última visita do Corinthians ao estádio tricolor, em julho de 2018. Na ocasião, a escolta da Polícia Militar resolveu atrasar a chegada do ônibus em mais de meia hora na esperança de que houvesse menos torcedores na região do portão principal do estádio. A estratégia foi frustrada, e uma pedra arremessada quebrou uma janela do ônibus corintiano.

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchéz, chamou a atenção para o assunto nos últimos dias. Segundo publicou o Meu Timão e confirmou o UOL Esporte, o Alvinegro enviou ofícios ao próprio São Paulo, à Polícia Militar, ao promotor de Justiça Paulo Castilho e à Federação Paulista de Futebol. No texto, o alerta: não vai ter jogo caso os torcedores rivais ataquem o ônibus corintiano, como não raro acontece no entorno do Morumbi.

O delegado Antonio Olim, presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, chegou a falar na possibilidade de o time alvinegro perder a partida por WO (3 a 0), caso não entrasse em campo. Hoje, ele mostrou cautela em relação ao assunto. Já o técnico do São Paulo, Cuca, disse respeitar a decisão corinthiana.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Organizadas e Polícia vetam recepção em praça para evitar pedras em ônibus

  1. Uma declaração de um presidente de um time sobre algo que sequer ocorreu gera toda esta celeuma.

    Gas lancado no vestiario do São Paulo no intervalo de uma semifinal de campeonato nao gerou nada. Exceto acusações conta o próprio São Paulo. Quando escutas telefônicas comprovaram que o gas foi lancado com conhecimento de dirigente do clube mandante, o caso foi abafado. O delegado responsável foi contratado pela Federação Paulista de Futebol, entao presidida pelo Sr. Marco Polo Del Nero (deixo o julgamento sobre a reputação deste senhor ao critério do leitor, mas lembro que ele não faz viagens internacionais há anos) e nunca mais se ouviu falar deste caso. É incrivel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.