Ney admite que São Paulo participou de reuniões por ética na base

Em meio à guerra que o São Paulo tem travado com outros clubes por causa de problemas na categoria de base, Ney Franco sinalizou com uma tentativa de pacificação. O treinador da equipe do Morumbi admitiu nesta sexta-feira que os são-paulinos participaram, sim, do início das negociações e disse que já conversou com seu diretor Adalberto Baptista para esclarecer o que deve ser feito daqui para frente neste assunto.

A organização desse grupo começou quando Renê Simões coordenava a base do São Paulo, e Ney Franco estava à frente das categorias de base da seleção brasileira, contratado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

A tentativa era de moralizar as relações entre as categorias de base e evitar o que alguns clubes chamam de cooptação, quando os atletas acabam trocando um time pelo outro sem darem retorno pelo investimento.

“Eu tive uma conversa com o Adalberto e contei tudo o que é o pensamento deste movimento de categorias de base. Na época, eu estava à frente e fui idealizador de um seminário com as 20 equipes da Série A e 18 da Série B. Nós discutimos calendário, idade de participação de competições (Copa SP e Copa BH) e algumas coisas de reclamações de menores, por isso nós tratamos algo sobre de ética”, disse Ney Franco.

“Alguns jogadores se transferiam sem retorno ao formador e nós fizemos um pacto para que os clubes terminassem com isso. Na época, foi o Renê que participou disso, mas depois ele se desligou. O que houve foi uma falta de informação que já está sendo sanada. Eu conversei com Adalberto e acho que vai ter reconciliação a partir de agora”, completou.

No início desta semana, alguns clubes prometeram boicotar as competições em que o São Paulo confirmar a participação, a começar pela Copa 2 de Julho, em Salvador. Adalberto minimizou as ameaças e disse ter dezenas de convites. Ele também afirmou não reconhecer esses protestos, especialmente por se tratar de movimentos coordenados por empresários interessados apenas em lucro.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*